O ECLIPSE SOLAR

image

Mensagem Jeshua ben Joseph (Jesus)
expressando-se através de Judith Coates
3 de Setembro de 2017  

 
Amado, você experienciou recentemente ou ouviu sobre um acontecimento maravilhoso que, em muitas ocasiões anteriores, foi motivo de preocupação. Foi quando a luz do sol seria apagada, e os raios do sol não estariam fluindo na Sagrada Mãe Terra

Havia muito medo nisto. O que aconteceria se o sol desaparecesse e nunca mais voltasse? Esta era uma crença que desencadeou o medo há muito tempo. E se um deus tirasse o calor e a luz do sol? Você acreditou em muitos deuses inconciliáveis e caprichosos. Agora um eclipse é uma ocasião a ser celebrada e testemunhada, e para saber com fé que, sim, o sol retornará.

Você chegou agora a um espaço de confiança. Você chegou a um espaço onde faz o milagre; verdadeiramente, você faz o milagre de saber que ele voltará. Sua realidade é maravilhosa, pois ela é maleável e mutável. Ela pode estar e está, a cada momento, mudando. Ela parece ser um continuum, mas você pode interromper isto a cada momento e mudá-la. Você tem a fé e o conhecimento de que o sol irá retornar.

Agora, em outro nível, você já sentiu que o sol saiu de sua vida? Houve alguém que foi o sol da sua vida e ele perdeu a aparência física? Agora, ele não desapareceu. Ele está com você, sempre, porque realmente há apenas Um. Mas o corpo separado o deixou, e houve um sentimento de falta de luz do sol, um sentimento de falta de Luz, um sentimento muito triste de que algo que você valorizava o deixou.

Você passou por um período de luto, um período de falta desta energia, um período de, na verdade, valorizá-lo, de reconhecer para si mesmo o quanto ele significava para você, quanta luz do sol ele lhe trouxe. Agora, você fez isto sozinho, mas ele lhe permitiu sentir que a vida valia a pena de ser vivida, que era divertida.

Então, por causa da história dele, aparentemente, ele partiu. E você disse: “Bem, eu sei que ele ainda tem que estar aqui, mas eu não o ouço, eu não o vejo, eu não sinto mais a luz do sol do seu amor.” Então, à medida que o tempo passava, você se tornou mais confiante ao saber que realmente ele não o deixou, ele não pode deixá-lo, e de vez em quando você sente a sua presença. Você sente uma afirmação dele, algo que fosse um lema talvez que ele tinha, e isto irá lembrá-lo e “provar” para você que ele está ainda aqui com você. E ele está.

Assim, se houve um eclipse da luz do sol de alguém que você ama, permita-se confiar, acreditar e saber que a luz do sol dele não se afastou de você. Ele está evoluindo, tendo experiências, como você fará quando se libertar do corpo. Ele está seguindo em frente no que ele entende ser a sua vida prolongada.

É muito surpreendente para muitos, quando eles liberam o corpo, que a consciência ainda esteja viva. “Eu ainda estou ciente.” Às vezes, ele tenta falar com você, mas porque houve uma crença profundamente enraizada, você acha que não o ouve. Ele está gritando para você. Ele está tentando atrair a sua atenção. Ele está colocando coisas a sua frente para lembrá-lo dele, e você, por causa da crença profundamente arraigada, sente apenas a dor da separação quando você vê que aquilo seria um lembrete de que “Eu ainda estou com você.”

Eu, Yeshua, estou ainda com você. Eu não fui para longe de você, e no entanto, foi contada uma história de que eu liberei o corpo na cruz e que eu voltei, ressuscitei e então, mais tarde, ascendi ao meu Pai, para me sentar a Sua mão direita, o que eu faço – e a Sua mão esquerda, ao mesmo tempo.

É o que você faz quando libera o corpo. Você tem a oportunidade de saber que você está no céu. Ainda que você não esteja se expressando com o corpo, você ainda tem consciência. Você ainda está vivo e isto, para muitos, é uma grande surpresa. Isto, para muitos, é confuso, porque, então, ele se aproxima para pegar um copo de bebida e não consegue fazê-lo. Ou ele lhe diz algo, e parece que você não o ouve, ou parece não confiar no que ouve interiormente. Então, há um pouco de mudança na crença.

Você está agora preparando a sua consciência para quando estiver sem o corpo. Você está fazendo a preparação de modo que quando liberar o corpo, você saberá. “Eu ainda estou vivo. Eu ainda estou consciente. Não da mesma forma como era com o corpo, mas eu ainda estou. Eu ainda me sinto um pouco estranho, talvez, por um momento ou mais, mas não por muito tempo, porque, então, haverá uma idéia que chegará até você. “Eu quero ver isto e isto, e levará muito tempo para vê-los, porque eles estão a meio caminho da sagrada Mãe Terra.” Mas, imediatamente, você está lá. Então, haverá um pouco de ajuste, mas está tudo bem. Você se ajustará rapidamente. Você ficará mais feliz.

Esta é a mensagem que você deseja dar aos outros que estão ainda ativando o corpo. Você quer que eles saibam. “Eu estou bem. Estou realmente feliz, e ficarei muito mais leve do que quando com o corpo.” E outros, porque não lhes foi ensinado, não sentirão que eles o ouvem. Eles o ouvem, mas não confiam nisto. Diga-lhes isto agora. Prepare-os para acreditar.

O que você está fazendo agora, nesta vida, é se preparando para o próximo capítulo e preparando o cenário para que outros saibam que você ainda está no palco. Você está bem aí. Foi uma boa vida. Você fez o melhor possível. Você é o mestre de cerimônias, e contou todas as piadas, as histórias bem humoradas.

Você está feliz? Você pode ficar. Por favor, eu o aconselho. Quando você aparecer no seu próprio velório, tenha um bom tempo nele. Se aquele que foi um espinho no caminho da vida surgir no velório, você pode sussurrar em seu ouvido: “Ei, você ainda não terminou comigo.” Tenha um senso de humor.

Mas o que você está fazendo agora é muito parecido com a preparação do que você faz no Eclipse Solar, no físico. Você está se preparando para o próximo capítulo na história de sua Vida – com “V” maiúsculo. Você está se preparando. Assim, em seus momentos de meditação, permita-se fazer uma lista, talvez, de como quer que seja o capítulo. Não que você irá acelerá-lo. Você não irá correr e dizer: “Oh, bem, eu seguirei para o céu, porque esta vida aqui no físico é muito difícil.” Você não fará isto, mas você terá uma facilidade sobre como isto será, a facilidade com que será.

Diga aos seus entes queridos antes que libere o corpo que você estará com eles, e você pode estabelecer certos pontos onde eles dirão: “Oh, bem, este é o tio Joe. Ele disse que faria isto. e, com certeza, ele fazia cócegas na orelha do cachorro e o cachorro está agora coçando a sua orelha.” Ou seja o que for que queira compartilhar com eles.

Você é a luz do sol para outros em sua vida. Você é aquele que traz o humor e faz os outros rirem. E você continuará a fazer isto, se quiser, depois de ter liberado o corpo. Como você foi a luz do sol para alguém, você ainda o será – se eles acreditarem nisto.

Então, coloque algumas dicas lá fora. Não é que você estará liberando o corpo no dia seguinte. Não será assim tão rápido. Mas você pode colocar em movimento a preparação para que eles compreendam um eclipse solar e, então, o aparente eclipse da liberação do seu corpo.

Ao mesmo tempo, você conhecerá os seus amigos. Aqueles que estão próximos de você e eles são como o sol para você. Eles sempre o serão para você. E aqueles que foram como uma trovoada e você logo os deixaria ir, que assim seja. Você pode deixá-los ir.

Permita-se estar na alegria sobre a sua vida, como ela é. Como é no nível físico e como ela pode ser no nível espiritual. Esteja na alegria em relação a ela. Nada realmente tem que ser opressivo. Você carregou por muitas vida o pesado fardo do ensinamento de gerações de que a vida – e eles estavam falando da vida física – tem que ser uma luta. Você teve os ensinamentos religiosos de que quanto mais você lutasse e mais opressiva fosse a vida, mais recompensas teria no céu.

Então, você liberou o corpo e disse: “Ok, onde está a minha recompensa?” E você teve que criar a sua própria recompensa, em outras palavras, aceitá-la. Você teria que aceitar que a grama é ainda verde no prado, que os narcisos ainda florescem em seu espaço, que as pessoas ainda sorriem umas para as outras e que há amor.

Então, enquanto você faz a preparação, apenas vivendo a vida neste dia e hora, em uma atmosfera feliz, você levará isto com você. Aqueles que pareciam ser a avó/ avô, que souberam aproveitar tudo ao máximo, eles ainda estão aproveitando o máximo no céu. E aqueles que aproveitaram o mínimo, eles passaram algum tempo aproveitando o mínimo. Então, alguém sussurrou em seu ouvido, no ouvido espiritual. “Ei, olhe o que eu encontrei. Porque, entenda, há mestres, amigos em toda parte. Você pode levar este conhecimento ao céu com você. Todos os amigos que você teve nesta vida, se eles liberaram o corpo antes de você, eles estarão lá para encontrá-lo e recebê-lo.

Agora, não estou dizendo isto porque você fará a transição amanhã. Você tem trabalho a fazer aqui. Assim, você não irá imediatamente.Mas, mais tarde, quando você for, saiba que realmente, eu irei encontrá-lo, se você quiser, e os entes queridos que partiram antes de você, eles lá estarão, também. Na verdade, você terá muita diversão ao seu reunir e se encontrar com cada um, mas há uma ressalva que eu daria: muitas vezes, quando outros libertam o corpo e sentem a alegria do céu, como é chamado, eles, muitas vezes, podem não estar da maneira como você se lembra deles. Eles podem assumir uma determinada imagem por algum tempo, de modo que você os reconheça, mas nem sempre.

Procure o espírito que você reconhece. O ótimo tio Joe sempre contava piadas, estava sempre rindo muito sobre a sua perna mecânica. Bem, agora no céu, ele não tem uma perna mecânica. Ele decidiu que não mais precisava dela. Mas ele pode colocá-la para você, de modo que você o reconheça. Trago isto apenas como um exemplo.

O que você tem a sua frente é maravilhoso, porque você está se expandindo em sua compreensão e em sua aceitação dos milagres, pois eles parecem ser milagres. Você está se abrindo para novos ensinamentos, novas ideias que vêm até você. Você brinca com uma ideia por algum tempo, e ela se torna mais e mais um ensinamento profundo para você, porque você está agora aberto para ela.

Todos vocês são mestres para os amigos e parentes, quando eles estão abertos para isto. Às vezes, quando você diz algo que pode parecer ser para eles não natural, lá fora, você planta uma semente, e isto pode vir a se concretizar nesta vida, ou eles podem levá-la com eles. Nada é perdido. Você tem isto agora “provado” para você em seus círculos científicos: esta energia nunca está perdida. Ela pode mudar de forma, mas nunca é perdida.

Uma ideia-semente nunca é perdida. Ainda que não seja colocada em prática imediatamente, ainda está aí e eles a carregam com eles. E, mais tarde, em algum momento, como você mede o tempo – que é um conceito maravilhoso em si mesmo – ela poderá chegar a consciência deles, diante deles. Eles olham para ela e a veem de forma diferente.

Então, se uma ideia vier a você, brinque com ela, seja feliz com ela, compartilhe-a e saiba que realmente o sol em sua vida nunca desaparece. Você é o seu próprio sol. Você é o sol para todos os seus amigos, porque você aprendeu o segredo – que realmente não é um segredo – o segredo de que você é o criador de sua realidade, momento a momento, e se não gostar do que estiver experienciando, sente-se, pense sobre isto e o mude.

Permita-se saber que você pode mudar a sua realidade. Nada nunca é imutável e não há um Deus lá em cima o julgando. Apenas Deus como Amor.

Assim, como você testemunhou o ofuscamento temporário do sol em um eclipse, saiba que pode haver um escurecimento temporário do seu sol, mas não é para sempre. Seu sol retornará – o sol que você testemunhou em um ente amado e a sua própria luz do sol. Assim como com o eclipse solar onde você viu a sombra cobrir o sol, você sabe que, verdadeiramente, isto está passando. É um evento maravilhoso, e agora você compreende que você é o Sol e sempre você estará brilhando, dando aos outros a Luz para que eles sigam, a Luz do Espírito.

Que assim seja.

Jeshua ben Joseph (Jesus)  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br

Anúncios

QUEM OU O QUE É A ALMA?

image

Jeshua
através de Pamela Kribbe
22 de agosto de 2017  

Querido, eu sou Jeshua, seu amigo. Estou aqui neste momento como um irmão.

Aceite a minha companhia, a minha presença, pois não estou longe. Quero tocar seu coração com minhas mãos, para relembrá-lo de quem você é e da unidade que nos liga. Cumprimente-me e abra seu coração para mim. Sou um mensageiro da Unidade e ajoelho-me diante de você, porque você é meu irmão, e vejo em você um igual, um companheiro de alma.

Respeito o que você faz e o que você é na Terra. Este é um dos lugares mais sombrios para uma alma estar encarnada num corpo humano. Quando está aqui, lhe é extremamente difícil lembrar-se de quem é, da sua origem cósmica, sua grandiosidade, sua amplidão, sua natureza eterna, porque tudo aqui parece estar voltado para o seu esquecimento de si mesmo, da sua essência mais profunda. Desde a mais tenra idade, você aprende a confiar apenas nas suas percepções sensoriais, naquilo que seus olhos, ouvidos e nariz lhe dizem que é a realidade verdadeira.

O mundo material à sua volta é visto como a síntese do que é real, sólido e verdadeiro. Principalmente nesta época, em que a visão científica englobou tudo, existe um grande ceticismo a respeito da capacidade de enxergar mais além da realidade física, sensorial. Enxergar com a visão interna, sentir e intuir com o coração… tudo isto é descartado como não real, como tola superstição. Isto é um grande paradoxo, pois é somente no nível da alma que você descobre quem realmente é. É exatamente no mundo interno, e não no externo, que você encontra a si mesmo. Você acaba se desviando do caminho, nesta sociedade, porque muita ênfase é colocada na importância das aparências e no conhecimento exterior e comprovável. De acordo com esta sociedade, para que algo seja considerado real e verdadeiro, precisa ser percebido com os sentidos ou deduzido pela mente.

Mas, o que dizer de todos os sentimentos que as pessoas vêm enfrentando, como a solidão profunda e a futilidade, com as quais muitos têm que lidar? Este não é apenas um problema individual, mas fundamental no mundo. Há uma crise existencial profunda no mundo, que corrói o coração da maioria dos indivíduos. Percebe-se uma carência da alma como fonte de significado na vida diária.

Quem ou o que é essa alma? Nos dias de hoje, é corajoso aquele que busca explicitamente a alma; que deixa de lado a compulsão do pensamento racional restritivo e olha para dentro de si mesmo, procurando o que está vivo no seu nível mais profundo, principalmente se for diferente dos padrões existentes e dos conceitos sociais. E assim, lentamente penetra seu mundo interior, onde encontra, não só a luz, mas também as trevas. Pois, justamente quando se abre a porta do mundo interior, é que o indivíduo se torna consciente de todas as suas partes sombrias. É então que ele é testado e terá que confiar na realidade maior dessa alma, para perceber que mesmo as partes aparentemente mais sombrias têm significado.

É desesperadamente necessário reconhecer e sentir a alma, neste mundo. Este é o caminho de volta ao Lar, de volta a quem você verdadeiramente é. A partir da luz que se irradia de lá, é que você pode incutir novas ideias no mundo e imbui-lo de nova energia, coragem e confiança. Há tantas coisas necessárias aqui, que podem fluir para o mundo através do canal de uma alma desperta! Há tanta tristeza, tanta dor e sofrimento neste mundo… e não falo isto para desencorajá-lo, mas para ressaltar o quanto é importante e urgente que você reconheça e sinta a alma em sua vida. Desta forma, você se torna a luz, não apenas para sim mesmo, mas também para os outros.

Como você se conecta com a sua alma? Este mundo está tão alienado da alma, que esta pergunta é raramente feita. É uma pergunta que nunca é apresentada às crianças enquanto estão crescendo e frequentando a escola. Como você se conecta com seu mundo interior? E não somente com suas emoções e humores transitórios, mas com o que está por trás do seu mundo interior. Existe um mundo mais permanente, o mundo da sua alma, da energia do seu “Eu” único, da energia da sua alma? Este provavelmente nem sequer é reconhecido, portanto você não é ensinado a perguntar por ele ou se conectar com esse mundo. E o resultado é esta pobreza espiritual que existe aqui!

Para lhe explicar o que é a realidade da alma, convido-o a imaginar que você está na última hora da sua vida, que a morte está se aproximando e você vai atravessar o limiar da vida pós-morte. Você já fez isto diversas vezes, porque já viveu muitas vidas na Terra e, em todas elas, atravessou esse limiar no final, algumas vezes com mais paz em seu coração do que em outras.

Mas mesmo quando teve uma transição difícil, com uma sensação de luta em seu coração, você também vivenciou uma libertação intensa, no momento em que, como alma, desprendeu-se da forma física. Quanto mais em paz você morre, mais feliz é a transição, mas, em qualquer caso, no desprendimento do corpo terreno há uma profunda sensação de alívio, de voltar a um modo natural de ser, que lhe é tão familiar que você não entende como pôde ter se esquecido.

Venha comigo, abandone todas as ideias negativas sobre a morte e imagine que está no fim da sua vida. Você desiste da luta e, no momento em que solta seu último suspiro, você – sua alma – deixa seu corpo terreno, muito delicada e suavemente. Com facilidade, você ascende para fora do seu corpo e, no mesmo instante, sente a leveza; não apenas a luz ao seu redor, mas a leveza do seu corpo, a flexibilidade, agilidade e ausência de peso e de esforço. Você é como um pássaro que, imediatamente, sai voando para onde seu coração o leva.

Deixe sua imaginação voar. Imagine o que acontece quando está livre do seu corpo terreno, e dirija-se para onde seu coração o atrair, em termos de um novo ambiente. Talvez você veja um jardim, ou o mar, ou uma floresta, que aparece para você sem esforço; e em tudo o que vê, você percebe e sente a vida que vem de seu interior. Tudo o que vive olha para você com benevolência. Um convite amável emana de tudo o que você vê. E há uma beleza deslumbrante e esplêndida! Você sente a alegria borbulhando em seu coração, e então pensa: “Ah, é assim que deveria ser! Isto é normal, isto é natural! Aqui eu estou em casa, no meu Lar!”

Você vai encontrar amigos e parentes falecidos, e também guias que o receberão com o coração aberto, que silenciosamente lhe permitirão ser quem você é, e que lhe estenderão a mão amiga quando necessário. Você acabou de entrar na dimensão da alma. Tudo aí é diferente. Espaço e tempo parecem muito mais flexíveis, porque é possível estar em um outro lugar, se assim você quiser e se seu coração for atraído para lá. O interior tem precedência sobre o exterior.

Se você se conecta com alguém no nível interno, a partir do coração, e seu chamado é respondido, de repente vocês se encontram juntos numa atmosfera física. Embora não tão física quanto na Terra, aqui na vida pós-morte, nós ainda conseguimos conversar em termos de formas. Você tem um corpo, a outra pessoa tem um corpo, e vocês podem se comunicar um com o outro, mas com muito mais facilidade e menos esforço do que estão acostumados na Terra.

Além de espaço e tempo serem mais flexíveis, a forma do seu corpo também o é. A forma que você assume é muito ágil e fluida. Você pode assumir uma forma física e parecer velho ou jovem, a seu gosto. A cor do seu cabelo, dos seus olhos… tudo pode ser modificado; e isto lhe dá alegria! Você escolhe a forma que lhe é mais apropriada internamente, aquela que lhe agrada mais e que facilita sua comunicação com outra pessoa. Nesta dimensão da alma, você percebe que o seu interior dá forma à sua aparência externa. O que vive em seu interior determina o que está fora de você, aquilo que o rodeia. Sinta isto por um momento. O que há no seu interior que dá forma, que atrai e cria essas experiências para você?

Aparentemente, você não é a forma, você não é seu corpo, porque pode se apresentar em diferentes formas. Você não é o lugar onde mora nem o papel que desempenha, porque isto é muito flexível e dinâmico. O que permanece constante é aquilo que você chama de coração. Sinta seu coração por um momento. Sinta como seu coração, nessa atmosfera diferente que reina desse outro lado, é livre para explorar, descobrir e encontrar, e sinta a alegria de tudo isso. E perceba, então, quanto você sabia, quanto conhecimento havia em você.

Pergunte à sua alma se agora ela quer aparecer para você numa forma alegre, livre e feliz, que é apropriada para este momento. Ou, talvez, sob a forma de uma anciã ou de um ancião… ou de uma criança – tanto faz. A alma agora escolhe a forma adequada para a transmissão mais perfeita de uma mensagem para você. Deixe sua alma aparecer para você por um momento… e se não ouvir nem enxergar nada, então sinta-a. Sinta a dimensão do eterno, da qual você faz parte; e permita que ela o envolva. Houve um tempo em que você era esse pássaro livre; em essência, você é essa alegria, essa liberdade criativa. Permita que ela penetre o seu corpo, e desça até o seu abdome. Seja livre, e viva a partir dessa liberdade interior!

Qual é o propósito da alma na Terra? Por que ela está aqui? A alma quer aprender a despertar nesta dimensão. Esta é uma dimensão na qual você pode facilmente esquecer-se de si mesmo de maneira tão profunda, que se torne totalmente alienado da sua essência.

Sua alma queria estar aqui; ela é um mensageiro de Deus, uma partícula dessa energia todo-poderosa que você chama de Deus. Sua alma é uma partícula singular dessa fonte criativa infinita. Ela está trabalhando para se desenvolver ao longo do tempo, mas não deste tipo de tempo que você conhece na Terra. O mundo da alma é muito mais vasto e imensurável do que se pode medir com os padrões terrenos.

Como eu disse, tempo e espaço são muito fluidos e móveis, no nível da alma, e são formados mais a partir do interior do que do exterior. Pode-se dizer que sua alma está emergindo neste processo através do desenvolvimento em todos os tipos de vida, e uma dessas vidas é moldada por você. Você é uma fusão única da sua alma com esta personalidade terrena, portanto ninguém é exatamente igual a você.

Você também é especial para a sua alma. Esta vida é uma circunstância única, na qual sua alma deseja descobrir e entender profundamente o que significa viver aqui num corpo, e também doar de si mesma. Sinta o quanto sua alma é corajosa e grandiosa, embora, em essência, você é que se encarregue disto; é você que assume o risco deste passo.

Respeite a si mesmo. Você é um grande ser, uma parte inalienável do próprio Deus, embora constantemente se faça tão pequeno e sofra com o preconceito social e os conceitos de bem e mal. Quando lhe peço para se conectar com sua alma, estou lhe pedindo para se unir à sua luz e também ao seu fogo. Luz é fogo também, e fogo representa paixão, entusiasmo, inspiração.

Você é uma alma forte, e para poder empreender uma aventura de encarnação na Terra, precisa de muita coragem. Você assume o risco, porque pode chegar a profundezas inconcebíveis. E, de fato, já chegou nessas profundezas, porque esta não é a primeira vez que está aqui. Você já passou por abismos inimagináveis em suas vidas na Terra e, no entanto, está aqui novamente. Portanto, há em você uma convicção, uma paixão, um fogo que o tornam decidido a estar aqui e deixar sua luz brilhar.

Para conectar-se com esse fogo, é preciso que você enfrente também as emoções sombrias, seu lado sombrio, seja qual for o nome que lhes dê. Tudo o que vive nessas emoções tem uma mensagem para você: a raiva, o medo, o ódio, a resistência… tudo que tem sido rotulado de negativo traz uma força vital dentro de si. Conecte-se com esse reservatório de emoções; invoque-o; dê-lhe permissão para vir à tona escuro e fraco.

Há em você uma força primitiva. Sinta-a desde o mais profundo do seu ser. Deixe que ela venha da Terra através do seu chacra raiz, e permita-se senti-la. Enraíze-se na Terra, confie na sua força e assuma o seu poder neste planeta – e não vacile, pois você é demasiadamente imenso, belo e rico em tesouros internos, para ainda fazer isso. Precisamos de você na Terra como um farol de luz, e o primeiro passo para isto é que se lembre – que reconheça – quem você é, e que reavive a dimensão da sua alma no seu dia-a-dia, dentro de si.

Comecei esta conversa dizendo que o respeito, que me ajoelho diante de você, e estas não são palavras vazias. Você é um dos que carrega a tocha de luz neste mundo e é contrário às visões de mundo restritivas. E não age assim por meio de palavras ásperas nem pela força, mas através de uma conexão interior com quem você realmente é; colocando a dimensão da alma em primeiro lugar, como fazia naturalmente quando estava naquele outro mundo, antes de vir para cá. Reconhecendo novamente aquela realidade e permitindo que ela se irradie neste mundo em plena convicção, você literalmente traz luz para cá.

Agradeço-lhe por sua presença hoje neste mundo. Não duvide de quem você é. Seja a luz brilhante e bela que você é! Muito obrigado.  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net
http://www.jeshua.net/mornings/mornings18.htm

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

O VALOR DE UMA VIDA HUMANA

image

Mensagem de Yeshua
canalizada por Judith Coates
20 de Junho de 2017  

 
Amado, gostaria de lhe falar sobre o valor de sua vida. Será que realmente importa que você esteja aqui na Terra, no mundo físico, tendo esta experiência?

Sim. É importante. Sua vida é um presente. Você escolheu que estaria aqui para ter experiências, que teria o livre arbítrio, o que você tem. Talvez a sua vontade e as suas escolhas fiquem um pouco moldadas pelo ensinamento de gerações e pelo que eles disseram que é importante, mas, então, você cresce um pouco e diz: “Bem, eu não sei se isto é realmente tão importante, que eu tenha que pentear o cabelo e escovar os dentes pela manhã. Pergunto-me o que aconteceria um dia se eu não penteasse o cabelo e escovasse os dentes.” Você experimentou isto, e viveu no dia seguinte para pentear o cabelo e escovar os dentes.

A vida no mundo físico é um presente que você dá a si mesmo para experienciar e expressar a Luz que você é, a vibração que você é. Você está vibrando dentro de uma determinada largura de banda, como eles chamam a vibração.

Você interage com o outro e dá ao outro os presentes de experiências diferentes. Às vezes, no amor romântico… Falarei sobre isto em um momento, porque sei disto bem. Tive uma experiência romântica maravilhosa com a minha Miriam, Mariam, Mary. Éramos total e completamente apaixonados. A partir do momento em que nos encontramos, houve um alinhamento que sentimos e uma atração magnética, se você quiser chamá-lo assim, que nos uniu em uma frequência de vibração mais elevada que você conheceu, e quando você está no espaço desta frequência vibracional, você não quer nada mais que não seja este sentimento. É por isto que você o busca, e é realmente um dos passos para chegar ao espaço de conhecer a sua perfeição como o próprio Amor.

Muitas vezes me perguntaram: “Bem, Yeshua, não é isto um tipo de desvio se eu entro no amor romântico e sinto que isto é tudo e o fim de tudo, e isto não me leva a um caminho paralelo onde eu não mais busque o amor verdadeiro que eu sou?”

Na verdade, você não irá parar neste espaço, porque você irá querer mais. Você irá aperfeiçoá-lo, você o viverá, você o experienciará, e se acontecer de mudar de forma, como ocorrerá de tempos em tempos, você ainda o desejará. Você ainda o busca, você o procura e deseja conhecer o sentimento do amor. Assim, isto o levará ao próximo passo ou à próxima fase de querer conhecer a sua verdadeira natureza.

Sua verdadeira natureza é estar totalmente vivo na expressão do amor, e o amor romântico é o primeiro passo. Bem, talvez o segundo passo. Nós iremos primeiro à amizade e, então, ao amor romântico. É algo que você molda para si mesmo, a fim de saber que pode haver mais.

Muitas vezes, em situações familiares, não existe a experiência do amor. Muitas vezes, os pais bem-intencionados, porque querem que você seja o mais perfeito possível, dará o que lhes foi ensinado, a perfeição tem que haver ou deve existir. Às vezes, essas regras e a aplicação das regras não foram tão agradáveis, e você pensou em como é o Lar, como é o amor – porque há uma lembrança fraca. Às vezes não é tão fraca – e você sente um anseio pelo amor.

O jovem que cresce, mesmo o bebê nos braços, pode sentir a diferença entre amor e a ausência de amor, e você está sempre procurando por ele, para voltar ao Lar novamente. Então, quando você encontra alguém em uma situação romântica que olha para você e diz: “Você é a pessoa mais perfeita. Eu o amo”, e ele olha com os olhos do amor, e você olha para ele e retorna o amor, nesse momento o relacionamento se une ao amor, no que eu chamarei de primeiro nível de amor. Então, você continua para conhecer melhor a pessoa, para experienciar com ela cada vez mais e você se torna muito rico nas experiências.

Às vezes você se torna mais rico do que queria ser, se este talvez venha de um lugar diferente, e ainda existe amor entre vocês, de modo que você possa experimentar toda uma gama de amor romântico. É bom, muitas vezes, porque você consegue se aprimorar, afastar as partes que não são como o amor e chegar ao núcleo do amor. Isto pode ser quando ele não está mais sentado ao seu lado ou na próxima sala. Pode ser quando ele avançou e você começa a sentir sua presença e seu amor e saber que verdadeiramente o que você compartilhou com ele era o Lar. Era amor. Isto foi nos primeiros estágios.

Então, quando as pessoas chegavam a mim e diziam: “Mas o amor humano não é realmente algo a ser procurado. Não é uma perda de tempo. Eu não deveria estar apenas meditando e chegando a esse espaço de amor dentro de mim “. E eu digo a eles: “Você pode viver isso, e em muitas outras encarnações você ficou no mosteiro e aperfeiçoou a experiência meditativa até o ponto em que você renunciou ao corpo. “Mas nessa vida, em sua maior parte, você veio e disse:” Eu quero tudo. Eu quero o corpo, eu quero conhecer o amor, eu quero conhecer o amor romântico, e eu quero ir a partir daquele espaço entender a minha Totalidade. “E você irá chegar lá. Então, o amor romântico? Sim, é claro, você quer isso.

Agora, você é completo e perfeito a qualquer momento, então você não precisa de outro para completá-lo, mas quando você está apaixonado, mesmo nos primeiros estágios, isto lhe permite se afastar de você mesmo. Você teve esse sentimento de estar apaixonado por alguém, ou mesmo por alguma coisa, até o ponto em que você se esqueceu de si mesmo. O objeto de seu amor era a única coisa que era importante, e sua atenção estava muito fixa em sua percepção de como você era e como ele era com você.

Foi, como já disse, um bom primeiro passo. Então, talvez ele fizesse alguma coisa como para adverti-lo, e você disse: “Humm, eu tenho que pensar sobre isso.” Se ele fez coisas suficientes que o marcaram e você fez algumas coisas em retribuição, você pode chegar ao espaço onde você diz: “Tudo bem, eu acho que terminamos”, e vocês seguiram por caminhos separados. Isso é bom. Isso está bem, porque você ganhou um conhecimento do amor, uma essência do amor, mesmo quando ele realmente o estava contrariando.

Então, você se afasta do espaço de desejar conhecer a divindade de si mesmo enquanto se move através do amor humano, tão grande quanto ele é, e é. Quando é bom, é muito, muito bom. E quando é ruim, ainda tem valor.

Quando nos encontrarmos com outro que está espelhando muito para nós mesmos algo que não queremos reconhecer, pelo menos, podemos ter conhecimento disto e trabalhar com o perdão (dando amor) a nós mesmos e aos outros, e entender o que provocou o comportamento: por que ele se enraizou em si mesmo e, em seguida, deixá-lo ir. Isto muda a energia ao espaço onde você vê as coisas de nova maneira.

Qual é o valor de uma vida humana? Por que viver uma vida humana? Ou se você está em outra galáxia e tem outra forma que pode não ser a mesma coisa que a forma humana, qual é o valor do físico ou da individualidade de uma encarnação? É divertido experimentar. É um presente para você, para poder se mover, ter a oportunidade de conhecer o amor e ir além até do amor humano ou da individualidade, ao espaço da Totalidade do Amor que você é.

O amor humano ou o amor do indivíduo aparente é como uma porta pela qual você atravessa em algum momento, em algum ponto, na Totalidade que você é, para saber que: “Eu sou Um com tudo o que vejo. Estou apaixonado por tudo o que vejo. Então me vejo em tudo, como tudo, e eu me amo. E quando eu passar por essa porta, vejo que nada na expressão individual tira a Totalidade do Amor “.

Você está tendo essa oportunidade de vir em frente de você agora, em suas atividades geopolíticas. “Eu e meu irmão/irmã somos Um: temos uma encarnação humana. Nós temos um corpo humano. Queremos as mesmas coisas na vida, não importa como seja o corpo, não importa o que a história seja aparentemente, ou se a forma foi encarnada neste espaço geográfico terrestre muitas vezes. Não importa se a sua família sempre esteve aqui. Não importa se você tem muitas ou poucas moedas de ouro.

Além do físico para a essência de Quem você é, todos são iguais. Todos são Um no Amor. Isto lhe está sendo demonstrado por um excelente professor agora, um professor que não sabe que ele é um professor, mas ele é. Ele é um grande mestre que se ofereceu para desempenhar uma determinada parte, e ele está tão preso na parte que ele não sabe que ele está fazendo parte. E ele está trazendo isso à frente dos olhos de todos para ver: “Como seria se eu agisse dessa maneira?”

Então, alguns dos que pensam que estão em alinhamento com ele, estão tentando agir da mesma forma, mas isso não irá durar. Somente o amor permanece para sempre. Eles podem agir de acordo e será por um tempo, porque neste plano as coisas são temporárias, então está mudando e mudará. Não ficará igual. Mas isto lhe dá uma ótima oportunidade para vê-lo agir de acordo e ver as expressões nos rostos.

Ele está em um lugar de questionamento, um lugar de confusão. “Por que, se eu der uma ordem – o que eu costumava fazer, mesmo recentemente, há um ano ou mais no meu negócio – por que isto não é seguido? Por que as pessoas se levantam e dizem algo diferente? Por que eles não podem ver que estou falando sobre o que precisa ser seguido?”

Porque todos vocês são grandes mestres; é por isso. E todos vocês estão em uma jornada para voltar ao Lar, ao Amor, que valoriza a Unidade. Então, esta jornada, às vezes, tem um pouco das reviravoltas, e agora você está vendo com um forte contraste o que acontece quando outros sentem que podem tomar decisões unilateralmente e aparentemente afetar os outros.

É um método de ensino. E aquele que está apresentando as declarações acredita que é assim que ele quer que seja. Depois, há outros que veem as coisas de forma diferente, outros que estão dizendo: “Não, eu não compro isso. Não estou pagando por isso. Não estou tendo isso “.

Você vive em um momento agora de grande mudança, oportunidade para grandes mudanças, e isso estará acontecendo. A única questão é a rapidez com que acontece. Pode levar algumas gerações ainda, ou não. Isso não foi decidido. Isso ainda está em aberto. Eu não profetizo, porque, o que quer que eu diga em um momento, você o transformará e o mudará, porque você tem o livre arbítrio, e isso é bom.

Verdadeiramente, como é visto agora, há um grande impulso para a mudança e para a inclusão de pessoas que se unem. Por terem passado por muitas vidas em que houve o chefe guerreiro, o rei que possivelmente herdou, mas muitas vezes passou por batalhas para supostamente ganhar o seu poder – ou o poder dela, porque nem sempre foi o homem. Muitas vezes na pré-história, como alguns dos jovens gostam de chamá-la, há muito tempo houve mulheres que tomavam as decisões, que estavam no poder – e, no entanto, você está sempre em seu poder, e é isso que está vindo em primeiro plano: o seu poder, o poder de escolha.

Então, as pessoas estão fazendo com que as suas vozes sejam ouvidas. Elas estão se posicionando para serem consideradas. Não só neste grupo geopolítico, mas diante de nossa sagrada Mãe, a Terra. Alguns dizem: “Nós já fomos lá, fizemos isso, completamos.” Então eles estão se posicionando para serem considerados.

Você escolheu a encarnação neste momento para fazer parte da voz que expressa a Unidade, que fala de inclusão, em vez de separação, que fala de querer encontrar atributos comuns, reverenciar e respeitar uma Fonte comum. É um momento emocionante para estar aqui. Para alguns, este pode ser visto como um tempo terrível, porque o futuro, como eles o veem, poderia ameaçar o modo de vida que eles querem ter.

No entanto, há muitas vozes, como se vê agora, que estão optando por conhecer a Unidade, conhecer o respeito. Aquele que está desempenhando o papel de líder quer conhecer o respeito. É uma das lições nesta vida para ele: Aprender a respeitar a todos. Quando ele aprender o verdadeiro respeito por si mesmo, como o Ser que ele é, ele saberá respeitar os outros. Você escolheu – e com razão, porque você o fez em outras vidas – estar aqui em um momento de mudança.

Então, qual é o valor de uma vida? É a oportunidade de vir ao Lar, a oportunidade de encarnar e ao mesmo tempo, conhecer todos os atributos do Amor – Com “A” maiúsculo. Este é o estado de ser que você caracterizou como o Cristo, um ser encarnado e amoroso, conhecendo a Unidade em tudo o que você vê diante de você, sabendo que realmente você é a perfeição, que você é amor – caminhando com os dois pés, sim. Estendendo os dois braços para abraçar os outros, para amá-los, para chegar a esta percepção de que, onde quer que eu esteja é Amor – com “A” maiúsculo.

Este é o valor. Você tem a oportunidade, em cada hora, em cada minuto, de ascender a este espaço do Cristo, ao reconhecimento de que: “Eu sou o Cristo encarnado”. E você é.

“EU SOU O CRISTO ENCARNADO”. SIM, VOCÊ É.

Gostaria de sugerir que você escreva isto em um dos seus cartões e o deixe em algum lugar onde o veja todos os dias – em sua geladeira, em seu espelho, em algum lugar – “EU SOU O CRISTO ENCARNADO.” Porque você é. Você se esqueceu disto. Você ficou tão imerso em todas as atividades da mente, em todas as preocupações e medos do mundo e trabalhando com eles, que acabou por se esquecer de sua essência. Você se esqueceu de onde você veio. Você se esqueceu de Quem você é. O que você é. “EU SOU O CRISTO ENCARNADO.”

Quando eu lhe falei há dois mil anos, eu falei com o seu Cristo. Nós caminhamos juntos, rimos juntos, o riso que você conhece, bem dentro de você. Rimos, muitas vezes, porque sabíamos que éramos o Cristo unindo a nossa realidade – com “r” minúsculo – pela alegria disto.

Agora, os Romanos nem sempre concordaram com esta mensagem, assim foi uma época bem parecida com a que você está tendo agora, quando parecia haver pessoas com poder sobre o corpo, sobre a encarnação. Mas como você leu a história, e como ela lhe foi transmitida de uma geração para outra, eu não fiquei no túmulo. Eu me divertia mais em estar na alegria. Tive que sair do túmulo para caminhar novamente com os meus irmãos e irmãs. De vez em quando, eu tento ser como você é e trago um pouco de humor ao mundo. Ria facilmente e com frequência, porque Cristo o faz.

Você é o amor Crístico encarnado. Isto ficou um pouco oculto com os ensinamentos que lhe foram transmitidos. Seus irmãos das ordens religiosas e filosóficas ao longo do tempo voltaram a ser influenciados pelo poder, querendo ter poder, querendo controlar. Assim, a mensagem foi que houve apenas um Cristo. Bem, isto é e não é verdade. Você é o Cristo em muitas formas encarnadas diferentes, tentando se encontrar, olhando como um dos filósofos com a sua lanterna: “Você é o Cristo?” Sim, você é. Segue até um, até o outro e olhando para ver: “Você é o Cristo?” Sim, você é. Você é o Cristo encarnado por um tempo, porque você disse que viria e seria ultrajante expressar palavras para outros que, às vezes, são um pouco estranhos e, no entanto, isto os desperta. É algo que eles pediram para saber. Então, você lhes dá uma pista, e talvez até os agite um pouco.

Caminho com alguns de seus colegas Cristos. Às vezes, eu sussurro no ouvido deles: “Quem é você?” O que você está buscando? Será que irá encontrar isto na prateleira?” E eles ficam olhando, olhando e olhando. Eles dizem: “Eu não encontro exatamente o que eu quero.” É claro, eles não encontram. Eles já o têm. Eles já são o Cristo encarnado. Eles já são muito mais do que jamais poderiam pedir.

O valor de uma vida é um presente que você está sempre desembrulhando, o presente que você está encontrando para si mesmo, que é você mesmo, o seu Cristo. Vida após vida, você busca em cima e embaixo. No alto das nuvens. Será que está lá? Sob as rochas. Está lá? E o tempo todo está aqui. E você percebe que quando o dá, mais lhe é dado. Em outras palavras, ele flui através de você. E se você não o dá, ele fica parado e não pode se mover. Assim dê, ame, ria – porque o Cristo o faria.

Que assim seja.

Jeshua ben Joseph (Jesus), expressando-se através de Judith Coates
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br

O MESTRE INTERIOR

image

Mensagem de Jeshua ben Joseph (Jesus)
através de Judith Coates
12 de Abril de 2017

Amado, foi-me perguntado se eu iria manifestar um determinado ensinamento que poderia leva-lo do início até o espaço da mestria. Na verdade, eu dei alguma instrução nesta área. Você tem livros que são como guias para estudar. Mas eu quero lhe fazer uma pergunta muito básica. Quando você usa um guia de estudo como este, onde ocorre a maior parte do estudo? Na mente.

E o que eu enfatizo com você é, ainda que você comece com conceitos da mente – que é um bom lugar para começar – o objetivo é chegar ao espaço do coração para que você, como tenho lhe falado por alguns anos, não volte ao início e envolva a mente unicamente.

Porque, na verdade, enquanto uso as palavras, elas não são tão importantes quanto o sentimento. Eu chego a vocês e toco cada um de vocês, coração a coração, enquanto a mente está ocupada lendo as palavras. A mente diz: “Oh, bom, eu posso me agarrar a essa ideia. Vou manter essa ideia”. Então outra ideia chega e você esquece a primeira, e então você se entretém com a segunda na mente. Se você tiver sorte, a mente se cansa, e você chega a uma sensação de paz.

É por isso que eu enfatizo tantas vezes que você reserve um tempo a cada dia para se interiorizar e apenas respirar. Agora, eu sei que quando você começar essa prática todos os dias, se você for como a maioria dos irmãos e irmãs, a mente estará ocupada com o que aconteceu no dia anterior ou naquele dia, e haverá certas coisas que você resumirá na mente: “Ela disse isso para mim. Isso aconteceu no trabalho. Isto é o que eu tenho que pensar amanhã. Espero ter tudo preparado para o jantar, com cem pessoas vindo para comer … etc “.

E então, como você praticou se concentrar na respiração, você pode chegar a um espaço de paz interior, aonde chega ao espaço onde você conhece o sentimento de expansão, onde não tem nenhum julgamento, nenhum pensamento, apenas o espaço de paz interior. Eu tenho compartilhado com você muitas vezes, e irei reiterar, que quando você encontrar esse espaço de paz interior, o corpo lhe agradecerá, porque o corpo, em seguida, começará a relaxar sem que você tente controlá-lo.

Você respira, sente-se em paz e o corpo se expande. Todas as células do corpo permitem que a sua Luz se expanda.

Falamos, muitas vezes, dos vários textos, dos escritos que são como pistas para colocá-lo em um caminho. Você tem muitos bons textos que você pode estudar. Você tem muitos bons poetas, escritores, músicos que escreveram melodias e as palavras para as melodias que irão transportá-lo de um espaço para certa emoção. Muitas vezes a música pode movê-lo de uma forma que nada mais pode. Agora, quando a música o mover para um espaço onde você perceba que as lágrimas estão fluindo livremente, alegre-se. Saiba que realmente houve vidas em que você não podia, não ousou derramar as lágrimas. Alegre-se cada vez que sentir as lágrimas descendo pelas bochechas, porque isso mostra que o coração está se abrindo.

Muitas vezes me perguntam: “Mestre, como posso me tornar um mestre? Mostre-me, ensine-me, leve-me aos livros certos para estudar. “Dependendo do que parece ser o próximo passo necessário para eles, irei sugerir.” Mas, muitas vezes, eles irão voltar e dizer: “Eu li os livros que você sugeriu. Eles eram bons. Eles me levaram até certo ponto em meu caminho, mas eu sinto que há mais. Há algo mais que eu deveria estar estudando?”

Quando eles fazem essa pergunta, eu sei que eles querem algo da mente, então eu sugiro algo que eles possam ler para a mente. E depois de um tempo, se eles seguiram o caminho de uma maneira, eles irão voltar para mim e dizer: “Eu li os livros que você sugeriu. Eu refleti sobre eles. Eu os questionei. Eu meditei sobre as ideias nesses livros, mas eu ainda sinto que há algo mais. Diga-me para onde ir, o que fazer.”

E lhes digo, como já lhes disse algumas vezes. “Acesse o professor interior, o seu próprio mestre interior.” Porque todos e cada um de vocês existiram antes do início do tempo, existiram desde o primeiro pensamento criado, e você conhece melhor o seu caminho do que qualquer outra pessoa. Você conhece o seu Mestre interior. Faça as perguntas ao seu Mestre interior.

Não há problema em fazer perguntas a irmãos e irmãs, porque eles estão percorrendo o caminho humano e talvez o que eles leram seja esclarecedor para você. Mas quando você chegar ao espaço onde souber que há algo mais, interiorize-se e pergunte ao mestre interior.

Porque há dois mil anos, você e eu caminhamos juntos, sentamos ao redor da fogueira, caminhamos ao longo da margem do mar e compartilhamos idéias, perguntas. Quando tudo isso foi feito e você partiu, para voltar ao lugar em que morava, ou para sua família, ou para onde você tinha que ir, restaram perguntas, perguntas que eu não poderia responder verdadeiramente. Eu só poderia responder o que era verdade para mim, como eu faço neste dia e tempo.

Mas o verdadeiro professor para você é o Mestre interior. É você, o mestre que você é, interiormente. Agora, a parte mais maravilhosa sobre isso é, como você estará querendo saber, pedindo para saber, realmente desejoso de saber, é que nada pode ser retido de você. Você trará o texto perfeito para você. Você trará os professores perfeitos para você. Você trará as circunstâncias perfeitas para você.

O seu Mestre interior nunca o deixará, nunca o abandonará. Você pode se sentir, às vezes, que você está abandonado, mas nunca poderá ser abandonado, porque o seu Mestre interior tem estado com você desde o tempo em que você pensou primeiro em criar, e você criou mundos, realidades, coisas a experimentar e expressar, porque você é a extensão do Princípio criativo. Portanto, o que você vai fazer? Você irá criar.

E você irá, de acordo com a mente, julgar suas criações. O seu Mestre interior não julga. O seu Mestre interior vive como você e está sempre acessível a você. Então, na verdade, você não precisa de um mestre fora de você.

É divertido jogar com outra pessoa, lançar idéias e dizer: “Bem, como você vê isso?” E, provavelmente, por causa de seu Mestre interior, esta pessoa pode ver as coisas de forma diferente de você, e dizer: “Bem, é assim que eu vejo.” E você diz: “Bem, vamos pensar sobre isso por um momento ou mais. Deixe-me ver como isto é.” E isto pode ou não parecer correto.

Sempre que houver um momento em que você se sinta confrontado por outra pessoa, respire, e, então, interiorize-se, silenciosamente, e acesse o seu Mestre, dentro de você. Peça validação, porque, muitas vezes, o que você experimenta com a mente no mundo não é validação. As idéias virão à mente, e a forma habitual de participar com essas idéias tem sido avaliar, julgar, e muitas vezes o seu julgamento de si mesmo surgiu um pouco inferior do que o valor que você coloca em outra pessoa.

Então, quando isso acontecer, respire e pergunte a si mesmo: “Qual é a minha verdade? Fale-me, Mestre interior, meu Mestre interior”, e ouça. Novamente, não julgue. Não diga: “Bem, eu não acho que isso seja certo, porque eu li em algum lugar em um livro… etc, que tem que ser assim e assim.”

Basta ouvir e sentir. O que será mais importante será o sentimento, o sentimento de paz, o sentimento de aceitação que: “Eu estou bem. Posso ter idéias diferentes de outros, mas ainda estou bem com minhas idéias. Ainda estou bem com meus valores. Eu tenho valor”, porque você tem.

O mundo muitas vezes quer aniquilar o que você considerou como o seu valor. A mente lhe dará uma lista completa de como se valorizar, e muitas vezes você se encontrará perto do final da lista, porque é assim que habitualmente o ensino de gerações tem sido. Você aprendeu isto como os pequeninos. – “Você não sabe de nada. Você tem que me ouvir “, dizem os pais, ou o irmão mais velho, ou a irmã. Você faz isso por algum tempo, e então, começa a pensar, “Bem, não é assim que eu vejo as coisas, e eu não estou muito certo de onde eu irei com isso.”

Ouça o seu Mestre interior. Não seja confrontado com outro, porque o Mestre interior deles pode estar trazendo para eles o que eles disseram que a alma deles quer experimentar. Mas valorize o seu Mestre interior, porque esse Mestre é verdadeiro para você. É importante que você saiba do seu valor e se expresse, mesmo quando os outros não podem ouvi-lo. Permita-se valorizar a si mesmo e ao seu Mestre interior.

Leia os livros. Pergunte coisas. Discuta. Em seguida, leve-o em meditação para o Mestre Interior. Esse Mestre interior, quando você estiver sendo totalmente aberto, sem julgamento irá levá-lo à Verdade de seu ser.

Eu posso falar estas palavras para você agora, porque você está em um espaço onde você entende. Não só com a mente, mas com o Coração aberto. Eu posso falar isso para você como eu fiz há dois mil anos, quando nos divertimos trocando as idéias, porque nós o fizemos. Nós gostamos de usar a ferramenta da mente, então jogamos com a mente. E você fez isso nos primeiros anos desta vida, porque a mente é um grande brinquedo. Se você for tratá-la como tal, não sairá errado.

Mas o coração fala a verdade. Portanto, sempre que você se sentir ansioso e se perguntar o que está acontecendo, respire e então pergunte ao Mestre interior: “Como você vê o que está acontecendo?”

Todas as vezes que você perguntar ao seu Mestre interior, você receberá uma resposta. Você pode não ouvi-lo. Você pode não querer. Você pode não confiar nele, mas você receberá uma resposta a que você pode retornar e ver se a resposta é a mesma da próxima vez também. Permita-se confiar no Mestre interior, porque será verdade. Não a mente, mas o sentimento do coração.

Você irá se divertir com isso. A mente já está se divertindo com isto, mas o coração diz: “E daí? Eu amo, Eu Sou, Eu Sou, eternamente. ”

Então, interiorize-se e pergunte ao seu Mestre interior, “Fale comigo. Ame-me.” Isso é muito poderoso. Vá ao Mestre interior e peça: “Ame-me”. O sentimento que fluirá sobre você estará com você para sempre. Será poderoso e será para sempre, como eu estou com você. Eu caminho com você agora. Fale comigo de vez em quando.

Eu lhe dou uma promessa. Há dois mil anos, eu lhe dei uma promessa: “Estarei com vocês todos os dias, até o final dos tempos”. Isso será uma boa coisa para celebrar. Eu estou com você sempre, e amo o que você é, porque aquilo que você é, é Quem somos, fomos e seremos para sempre, fora do tempo.

Fale comigo durante o dia. Se você realmente quiser chamar minha atenção, diga algo engraçado, uma piada. Eu gosto de rir. Que a paz esteja com você agora e para sempre.

Que assim seja

– Jeshua ben Joseph (Jesus)
Expressando-se através de Judith Coates
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br

VIDA, CONSCIÊNCIA E A HERANÇA DO ANTIGO EGITO

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe, no Egito,
em 31 março de 2017  

Queridos amigos, eu sou Jeshua e saúdo-os às margens do Nilo! Estou tão contente de estar aqui com vocês! Como família, nós nos reunimos com muita frequência, em lugares diferentes, em culturas diferentes. Existe um fio que nos une e guia; é o fio da vida e consciência que procura manifestar-se mais ampla e profundamente na Terra.

A vida em nós anseia por consciência. E a consciência em nós deseja vida. A Terra nos oferece vida através de nossos corpos e emoções. Estes representam a Vida em nós, como um rio sempre fluindo, algumas vezes selvagem e incontrolável, fazendo-nos sentir como se estivéssemos nos afogando, inseguros sobre a direção que estamos tomando.

A vida tem a liberdade em seu coração. A vida deseja viver! Para a vida, estar vivo é um propósito em si mesmo; pode-se dizer que ela está cansada de “propósitos externos”. Vocês podem perceber isto quando observam a natureza: os pássaros, as montanhas, as flores… a natureza está intensamente viva! Ao testemunharem sua entrega despreocupada às forças e ciclos da vida, vocês podem compreender que o sentido da vida não pode estar do lado de fora, mas dentro da experiência da própria vida.

Entretanto, viver a vida requer consciência. Quanto mais conscientes e atentos vocês forem, mas abundante e plena a vida se tornará. Como seres humanos, lhes é solicitado que expandam sua consciência, para que a vida possa evoluir e expressar-se de modos mais criativos. A consciência traz mais espaço e liberdade. Ao observarem os animais na natureza, verão que eles estão cheios de vida pura, no entanto a maioria se mantém confinada ao reino de seus instintos, à sua animalidade. Cada um de vocês, como ser humano, também possui uma natureza animal, mas, ao mesmo tempo, traz dentro de si uma centelha de luz e percepção, que lhe dá a possibilidade de transcender sua natureza animal e acrescentar algo mais a ela. Este algo mais é a sua consciência, que permeia a vida com significado, direção e, finalmente, amor.

Esta consciência é você; é a centelha divina em seu interior. Esta centelha divina deseja fundir-se e dançar com a vida, com a encarnação, com a carne e o sangue do seu corpo. A centelha original de Deus, que se encontra dentro de você, tem o desejo de vivenciar a vida ao máximo, absorvê-la em todas as células do seu corpo, em benefício da própria experiência. A consciência anseia por vida, e a vida deseja consciência. Se você deixar que elas dancem juntas, encontrará significado e satisfação em sua vida.

O ser humano geralmente pensa que precisa conseguir algo em particular na sua vida, e mantém seu foco em algum tipo de objetivo ou propósito final. Se ainda estiver preso aos padrões da sociedade, aos valores do mundo exterior, vivendo a maior parte do tempo de acordo com eles, provavelmente estará focalizando metas externas, como um bom emprego ou carreira de sucesso, um relacionamento ou casamento, filhos, casa… Se estiver mais orientado para a espiritualidade e o mundo interior, poderá estar buscando purificação, iluminação ou equilíbrio interior.

Este último pode parecer um objetivo mais respeitável, no entanto, mesmo com o desejo de alcançar a iluminação, você não toca o motivo essencial da sua presença aqui. Por trás de todo o seu esforço nessa busca, geralmente há uma negação da própria vida. Você está aqui para experienciar a vida – em total entrega – e em seguida envolver essa experiência com a sua consciência, como braços abraçando a vida e sustentando-a para que floresça e evolua. Mas muitas vezes você luta com a vida.

Na maioria das pessoas, o poder original da Consciência se reduziu à energia do pensamento e análise, à energia da cabeça. Você tem emoções, desejos e paixões, e então começa a pensar: “Como devo lidar com isto? Isto é bom ou é ruim? Como posso entender isto, controlá-lo, mudá-lo? Como posso atingir minhas metas?” Deste modo, a Vida dentro de você – em sua manifestação livre e indomável – é interrompida e restringida. Ela é contrariada, e até atacada, pelo pensamento. Ao invés de uma dança mútua entre a Vida e a Consciência, surge um vazio e elas se tornam separadas dentro de você. A vida fica reduzida a emoções (reprimidas), e a Consciência fica confinada ao pensamento (geralmente de preocupação).

Isto aconteceu com praticamente todas as pessoas: uma separação entre sua parte pensante – que julga e procura controlar – e sua parte emocional, que tem vida própria e realmente não pode ser restringida pela mente. Você foi dividido. Vida e consciência não conseguem unir-se dentro de você. E assim você passa a se perceber como um ser constituído de um eu “superior” e um eu “inferior”. Sua parte pensante não é capaz de lidar construtivamente com suas paixões e emoções. A maioria das religiões da Terra procura controlar ou “transcender” a energia emocional e a sexual no ser humano – danificando, assim, a fonte viva da criatividade e inspiração em seu interior. Somente muito poucos ensinamentos espirituais abraçam totalmente a Vida, a natureza, a Terra, reconhecendo-as como parceiras da Consciência.

O que estou contando aqui não é uma simples estória abstrata. Todos vocês passaram por esta luta dolorosa com sua própria natureza humana, este abismo artificial entre vida e consciência; e não somente nesta vida, mas em vidas anteriores também. Você sabe o que é sentir-se dividido internamente, separado do seu eu verdadeiro, seu eu real. Seu eu verdadeiro está muito vivo. Comparado com seu eu verdadeiro, você está metade morto!

Há tanta coisa que você não está se permitindo fazer ou sentir! Você carrega tantos tabus dentro de si: “Este sentimento (ou desejo, ou pensamento) é ruim; eu devia superá-lo! Como ainda não me libertei disto?” Uma sensação de fracasso ou de estar constantemente falhando o acompanha. Deste modo, a vida não consegue aproximar-se de você, e nem você dela. Você tem um relacionamento problemático com sua natureza humana. Isto impede a alma de entrar na sua vida e no seu ser. A alma deseja viver! Ela quer mostrar a si mesma através das suas emoções, sonhos e desejos, luz e escuridão, “bom” e “ruim”. A alma quer se vestir com a sua natureza humana, com o seu corpo vivente. Você está lhe negando acesso porque não está se permitindo ser.

Eu não estou criticando-o por isto; meu objetivo é fazer com que se conscientize de que você vem de uma longa tradição, na qual as pessoas tentaram controlar a vida (tanto a vida interior – sua natureza humana – quanto a exterior, ou seja, a própria Terra). Meu objetivo é torna-lo consciente dessa questão, para que possa começar a se libertar dela.

Cada um de vocês carrega consigo uma longa história. É significativo que este grupo esteja aqui no Egito, neste momento, neste lugar e instante. Eu gostaria de falar algo especificamente sobre isto. No Antigo Egito havia muito conhecimento disponível a respeito do mundo interior, da psique, e havia também uma conexão aberta com outros reinos fora da Terra. O uso de poderes psíquicos e do terceiro olho era muito mais comum do que é hoje. Não existia nenhuma separação entre o normal e o paranormal. A energia psíquica, a energia de intenção e foco, era aplicada em diversos empreendimentos do cotidiano e usada, inclusive, na construção de edifícios, na política, na guerra e no comércio.

A espiritualidade fazia parte da existência diária e influenciava todos os aspectos da vida. Por um lado, havia uma profunda consciência do poder da psique humana e sua capacidade de criar e alterar a realidade física. O conhecimento esotérico atingiu um nível muito elevado. Por outro lado, havia um grande desequilíbrio e injustiça social no Egito antigo. Durante muitos séculos, as elites de poder se agarraram firmemente às suas posições privilegiadas e impediram que pessoas comuns expandissem sua consciência. Havia, ao mesmo tempo, florescimento e repressão da consciência. O abuso e a manipulação do poder psíquico eram usados habitualmente, e a inspiração original, que chegava à cultura egípcia de outros reinos do universo, era em grande parte reprimida e desfigurada por aqueles que estavam no poder.

As influências extraterrestres, das quais falo, continham sementes puras de luz que visavam ajudar a humanidade a adquirir mais liberdade e consciência. O conhecimento que era canalizado para a Terra tinha o propósito de capacitar os seres humanos a conectar sua natureza animal com a presença da sua alma; de criar uma ponte entre a personalidade e a alma, entre a vida e a consciência.

O Egito foi o berço e a terra natal de profundo conhecimento esotérico, vindo à Terra de lugares altamente desenvolvidos do universo. Esse conhecimento e consciência eram recebidos pelos corações e mentes das pessoas que viviam naquela época, e que estavam abertas ao influxo dessa consciência nova, clara e revolucionária. Eram artistas, escritores, pessoas comuns com o coração aberto, e alguns governantes que enxergavam além da necessidade de poder. A arte, os mitos e os edifícios monumentais do Antigo Egito são testemunhas da profundidade e poder desse impulso cósmico.

Há uma espécie de magia na cultura do Egito Antigo, que pode ser sentida como um chamado, quando se caminha entre os restos dos templos e tumbas. Muitos de vocês viveram nessa área no passado. Vocês conhecem o lado luz e o lado sombra dessa cultura. E têm uma percepção inata do que aconteceu com o conhecimento esotérico e os poderes do terceiro olho – como eles foram corrompidos em favor das lutas de poder e guerras. Alguns de vocês foram canais ou sensitivos e sentiam uma conexão verdadeira da vida com os campos de força sobrenatural e as energias superiores. E enfrentaram um dilema angustiante… como expressar seu conhecimento e inspiração num ambiente que poderia usá-los para benefício pessoal, ou para reprimir a liberdade e a verdade? Vocês ainda trazem dentro de si a dor relacionada ao abuso do poder daquela época, a ainda podem ser assombrados pelo medo de comprometer sua integridade quando começam a usar seus dons de leitura psíquica, cura e canalização hoje em dia.

Estou aqui para lhes dizer que podem fazer isto agora; vocês podem usar sua capacidade de canalizar, de perceber energias e compartilhar seus conhecimentos dos reinos internos, da vida e da morte. O impulso de luz e conscientização, que foi a origem das mais elevadas expressões da cultura egípcia, ainda está esperando para ser totalmente recebido. Ele não pode ser absorvido completamente naquela época, porque a consciência humana na Terra ainda não estava pronta. Podemos compará-la com o nascimento de uma criança morta. Ela foi trazida à Terra, mas ainda não podia viver aqui; as circunstâncias eram muito difíceis, e o bebê era frágil demais. Entretanto, apesar de ser um natimorto, essa criança estava lá e foi notada, foi reconhecida por algumas pessoas como portadora de luz e liberdade.

Vocês são chamados aqui hoje para trazer sua sabedoria, intuição e clareza mental para o mundo, compartilhá-las a partir de um coração aberto, sem abusar do poder, e respeitando sua condição humana. Vocês estão aqui para completar a missão, para cumprir uma promessa que lhes era muito querida. Vocês são os portadores da luz; e estão aqui para criar mudanças. Agora é possível fazer isto sem medo de perder a liberdade e integridade.

Vocês vivem numa época diferente agora. A consciência coletiva está atingindo o limite de medo e separação. Existe uma conscientização crescente da necessidade de mudança, não somente no nível externo, mas também no interno, uma mudança de coração. A humanidade está começando a perceber que a energia mais necessária agora é o Amor. O Amor é a energia da conexão, ele reconhece o que une as pessoas, o que as torna iguais; ele cria empatia e compaixão. O Amor é o construtor de pontes. O Amor é a ponte entre o Céu e a Terra. A presença do Amor está crescendo na sociedade humana como um todo. Cada vez mais pessoas estão sendo encorajadas a respeitar e expressar sua natureza individual; isto é um sinal de amor. Ser livre para explorar o que se é e expressar a si mesmo – seja feminino, masculino, jovem, velho, rico, pobre, etc… – está sendo cada vez mais considerado um objetivo desejável, hoje em dia. Isto é um progresso incrível! Embora a realidade ainda não corresponda ao ideal em muitas áreas do mundo, o fato deste objetivo ser publicamente considerado respeitável e essencial é um indício de expansão da consciência.

A livre expressão da sua natureza individual não era possível no Egito antigo, ou apenas muito limitada. Mas, desta vez, você nasceu num mundo em que existe cada vez mais espaço para a vida novamente. A personalidade humana, com todas as suas paixões, emoções e peculiaridades, pode vir à luz da conscientização agora e ser redimida. Este é realmente o verdadeiro propósito da espiritualidade, da consciência: honrar e respeitar a vida em sua expressão mais individual, que é a alma humana, e ajudá-la a desabrochar e se expandir com criatividade e alegria.

Para conectar vida e consciência dentro de si, acolha a sua vitalidade, suas emoções, sua natureza humana. Acolha-as sem julgamento, aceite a si mesmo, seja livre! Abandone os julgamentos espirituais, não se reprima, mas permita que sua consciência aberta penetre profundamente suas emoções mais sombrias. Esta é a alquimia que você está procurando.

Quando permitir que a consciência e a vida, a percepção e a emoção dancem juntas num abraço amoroso, você se tornará livre! Aprenderá a entender as mensagens por trás das suas emoções mais sombrias e mais luminosas, e trabalhará com elas ao invés de lutar contra elas. Vida é emoção. A vida, em forma de emoção, grita para a consciência: “Veja-me, sinta-me, preencha-me com sua luz!”

A alma é a portadora da consciência, e quanto mais você envolve suas emoções com consciência, mais facilmente sua alma desce e se funde com sua personalidade. Quando isto acontece, você se sente vivo e feliz, embora os problemas continuem vindo e indo, e você tenha que enfrentar as questões típicas, que todos os seres humanos enfrentam. A alegria é o sinal mais confiável de que você está se tornando inteiro: uma fusão entre vida e consciência, sempre se movendo e se desenvolvendo, e, ao mesmo tempo, seguro nos braços da Eternidade.
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

A DANÇA COM A ESCURIDÃO

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe
31 de março de 2017  

Querido amigo, eu sou Jeshua e saúdo-o como um igual, como um amigo que compartilha de suas ideias; aceite-me como um irmão. Quero estar com você para segurar suas mãos.

Para mim é mais fácil enxergar a vida de uma perspectiva superior e mais ampla, do que para você que está no nível terreno. A intenção da sua vida na Terra determina que você fique parcialmente imerso na ignorância, no peso do seu ambiente terreno, e tenha esta experiência a partir dele. Isto certamente não é fácil, mas tem um propósito.

Quando se está nos reinos superiores, nas esferas celestiais, como são chamadas, não há quase nenhuma resistência. Você aceita a experiência do amor ao seu redor como algo natural. E atrai para si o que melhor lhe convém em termos de ambiente e também em termos de energia das almas que você encontra. Existe uma troca fácil entre você e seu meio-ambiente, o qual é um reflexo de você mesmo, e assim você está relativamente livre de bloqueios. Ainda existe alguma “limpeza” a ser feita, por assim dizer, mas tudo acontece com fluidez e facilidade, algo do qual você poderá sentir muita falta enquanto estiver aqui na Terra.

Aqui falta essa leveza e facilidade, e nem sempre você está cercado por pessoas que compartilham o seu modo de pensar. Você se encontra com muitos níveis de consciência em sua vida. Inclusive, nasce como uma criança vulnerável dentro de uma família cuja energia muitas vezes não reflete sua essência superior nem combina com sua energia natural. Na energia de uma família geralmente existem medos e crenças limitadoras. E você não tem outra opção senão a de absorvê-las como uma esponja, porque, quando criança na Terra, você não está totalmente em contato com sua alma e com o conhecimento que possui no nível da alma. Quando criança, você está totalmente imerso na matéria, num corpo, a fim de adquirir a experiência terrena; e isto significa que absorverá energias não filtradas e irrestritas, que realmente não lhe pertencem. Só mais tarde você começará a discernir o que de fato lhe pertence.

Agora pergunte a si mesmo – e isto é uma coisa que deve perguntar-se constantemente – “Por que entrei nesta dança, na dança com a ilusão, na dança com a sedução, na dança com a escuridão?” Porque a escuridão quer ser transformada por seu intermédio. Você é um anjo de luz. Você quis assumir esta dança com a matéria e a incerteza, porque existe muito amor em você.

Há, dentro de você, uma fonte muito profunda, criativa e inspirada; e é isto que você é. Isto é a sua alma. E, em cada alma, essa fonte criativa, esse fluxo incessante de vida, desenvolve seu próprio e exclusivo brilho. Você é o seu próprio ser – único – ninguém mais é como você. E está aqui para dar forma, à sua própria maneira, ao amor em seu ser, e enfrentar a escuridão dentro de si e transformá-la. Na verdade, a escuridão é igual ao desconhecido, ao novo, à aventura. E se você tiver medo dela, vai se sentir perdido e inseguro.

Na maioria das vezes, uma pessoa fica tão oprimida pelo novo, pelo desconhecido, pela escuridão, que começa a duvidar de si mesma: “Não consigo fazer isto. Não sei quem sou nem onde estou. Eu me perdi.” Então ela precisa de autoconsciência para completar sua jornada, para cumpri-la com alegria. E é por isto que estou aqui, para recordá-lo de si mesmo e da consciência que deseja nascer em você.

Você é um criador – um criador extremamente poderoso – que está aqui para acolher a escuridão e transformá-la. Primeiro você pensa que não conseguirá fazer isto, que será engolido pela escuridão, pela ignorância e se perderá. Mas chega um momento em que percebe quem é que está olhando para a escuridão, quem é essa fonte poderosa, esse ser que constantemente volta a dançar com a ilusão e a ignorância. E então seu olhar deixa de voltar-se para fora e passa a se observar internamente, descobrindo quem você é.

Você está envolvido neste processo; está nesta jornada há muito tempo e já descobriu a luz em si mesmo. Mas há sempre momentos em que fica em dúvida e volta a olhar para fora novamente, encontrando aquelas energias negativas que estão vibrando lá, e que são baseadas no medo. Essas energias incutem medo em você e essa experiência afasta-o de si mesmo.

Estou aqui para ajudá-lo a voltar novamente o seu olhar para dentro de si, para a fonte de amor e conhecimento que você é. Às vezes fico frustrado ao ver que você me considera um professor que está acima de você. No entanto, é minha intenção manter seu foco no fato de que somos iguais, de que você traz dentro de si a mesma fonte de conhecimento que eu trago, e que não precisa sentir-se inferior a mim, pois esta não é a intenção; isso é uma ilusão. Estou aqui para derrubar essa ilusão e peço-lhe que coopere comigo nisso, porque preciso de você.

Fui representante de uma nova consciência na Terra, mas pude plantar apenas umas poucas sementes. As possibilidades eram limitadas, naquela época, entretanto neste momento as possibilidades são muito maiores. Imagine que você é uma daquelas sementes, mas uma semente que agora quer germinar, que está pronta para germinar.

Imagine que você se vê num canteiro de solo fértil. Você vê a semente na terra e sente o potencial de vida nessa semente. O sol está brilhando no solo úmido e fértil, e você então imagina como aquela semente desenvolve raízes e brotos. Sinta as raízes penetrarem no solo e veja como minúsculas folhas verdes começam a aparecer ao longo do seu talo. Aprecie a beleza dessa planta e sinta que ela cresce devido à atenção que você lhe dá com o seu deleite e admiração.

Sinta a Terra e como ela acolhe essa planta. Perceba como a planta vai se tornando maior e mais forte até estabelecer-se firmemente no solo da Terra e suas folhas serem grandes e capazes de absorver amplamente a luz solar. Lentamente essa plantinha minúscula transforma-se numa árvore magnífica. Sinta como esta árvore está conectada com o Céu e com a Terra. Perceba seu sistema de raízes e como essas raízes absorvem os nutrientes sem esforço. É um processo natural, portanto não lhe é difícil percebê-lo. O tronco é sólido e forte, e a folhagem é abundante e verde. O sol está brilhando na copa da árvore e esta absorve a luz… a luz do Lar.

Veja se consegue manter esta imagem e imagine que você – da forma que você é agora, no seu corpo – senta-se debaixo dessa árvore e recosta-se em seu tronco. Traga a energia da árvore para dentro de si. Perceba as energias da Terra e do Céu percorrerem suas costas e sinta como você é bem-vindo aqui.

Você é necessário aqui na Terra como um transformador de energia, mas o trabalho que você realiza é principalmente interno. E quando digo “você é necessário”, não quero dizer que você tem que fazer muitas coisas. Pode ser que se sinta inspirado a fazer certas coisas, mas seu trabalho tem mais a ver com manter a imagem daquela árvore. Você está aqui graças à consciência da força e inspiração que brotaram em você, e é isto que contribui com o conjunto mais amplo. Sempre que acredita em si mesmo e confia em sua própria força e criatividade, você muda a consciência coletiva de uma humanidade imersa no medo e na vitimização.

Houve pessoas na Terra que chegaram ao poder e fizeram seus subalternos duvidarem de suas próprias capacidades. Elas tiraram sistematicamente o poder do povo. E este é também um legado com o qual você precisa lidar. Mesmo numa sociedade moderna, livre, este legado ainda existe. É uma herança de medo, repressão e falta de confiança em si mesmo. Não subestime o poder desse legado.

É um grande passo voltar-se para si mesmo, acreditando em si e no seu poder único. Este é um passo enorme na consciência, uma virada de 180 graus. É por isto que o que você está tentando fazer é tão grandioso e impressionante! Porque este é o seu desafio, é o que você veio realizar aqui. Nada mais o cativa. Você quer dar este passo em direção a si mesmo, à germinação do seu verdadeiro poder aqui na Terra, depois de tantos séculos, depois de passar tantas vidas aqui.

O passo final é quando você reconhece que o medo que vive em você é uma ilusão. Já existem alguns momentos em que você sente isto; quando você tem um vislumbre do seu potencial verdadeiro, da sua integridade, da sua divindade. Mas, então, você volta a ficar ofuscado pelo medo, pela dúvida que cobre a Terra como um cobertor.

Esta sombra certamente não é algo que acontece apenas no nível individual. É um cobertor coletivo que sufoca todas as pessoas, e quanto mais você tenta superá-lo e libertar-se dessa velha herança, mais fortemente ele o segura. A pressão coletiva à sua volta é a de manter-se preso e não romper, porque a tendência dos seres humanos é querer se ajustar, é querer pertencer a um grupo.

Mas o que você verdadeiramente quer é escapar disso; libertar-se dessa pressão dos velhos pesos, como o conceito de pecado, a auto-anulação e a submissão. Você pode imaginar essa velha energia como uma cor cinza pesada, uma lama pegajosa que o captura, o atola e o mantém preso. Peço-lhe que não lute contra ela, senão ficará ainda mais profundamente preso e, possivelmente, até paralisado pelas ações dessa lama, dessas velhas energias. Neste sentido, o medo deseja que você lute contra ele, pois assim o domínio que ele tem sobre você ficará mais forte. Se considerar o medo um adversário terrível, você perderá. Porque ao ver o medo como um inimigo real, você está se entregando a ele e, portanto, já está perdido.

O medo, em sua essência, é uma ilusão que pode ser perfurada como um balão e se esvaziar. Não é um inimigo no sentido de um adversário real, mas uma ideia que tem poder sobre você. Não é uma coisa, não é um ser. Se entender a vulnerabilidade que existe em você desde que era um bebê recém-nascido, e começar a enxergar essa vulnerabilidade nas outras pessoas, então poderá perdoar a si mesmo pelo poder que o medo tem sobre você. Se assumir uma postura de perdão e entendimento, o medo não terá mais nenhum poder sobre você. Então você se tornará um doador, a fonte de amor. Você se tornará grande ao invés de pequeno.

Quando você é grande, o medo não tem mais nenhum poder sobre você, e então você começa a vê-lo como um pedido de ajuda; primeiro em si mesmo, depois nos outros também. E esta é a visão correta. O medo é um pedido de ajuda. O medo é uma necessidade, e você é aquele que pode ajudar a fazer essa necessidade desaparecer, porque pode preencher o vazio.

O medo pode ser transmutado pelo amor. Isto é o que você é e o que você pode fazer. Peço-lhe que acredite nisto! Mas o entenderei, mesmo quando perder esta perspectiva novamente. É por isto que estou sempre presente. E comigo estão muitos que também estão envolvidos neste processo grandioso… seus guias, seus Anjos. Eles querem ajudá-lo no que você está fazendo. Há muita ajuda disponível. Sinta essa ajuda aqui e agora, e abra-se para ela. A intenção é que você use a nossa energia, portanto não tenha medo de pedir nossa ajuda. Amamos fazer isto. Estamos realmente fortemente conectados com você.

Agradecemos sua atenção.
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: http://www.jeshua.net
Fonte: http://jeshua.net/mornings/mornings17.htm

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com  

A DIRETIVA PRINCIPAL

image

Mensagem de Jeshua ben Joseph (Jesus)
através de Judith Coates
5 de Março de 2017  

 
Amado, você teve algumas mudanças acontecendo recentemente na consciência coletiva, no coletivo desse grupo geopolítico e em outros grupos geopolíticos em todo o mundo. Este grupo geopolítico, que se estende à mentalidade mundial, tem sido bastante ativo. Você tem encontrado um pouco de desafios de vez em quando, absorvendo tudo e se perguntando sobre isto, e realmente eu o vi seguindo meu conselho: ocupar o assento na primeira fileira para assistir ao drama no palco, até e a menos que você sinta outra orientação.

Você comprou os assentos na primeira fila, e é seu prazer estar na alegria. Porque, como você irá se lembrar, você cria a sua realidade, e você irá chamá-la como queira. Na Verdade, nada pode se aproximar de sua morada que não seja boa. Toda vez que você tem o ego separado correndo no palco e dizendo: “Mas mestre, e aí… eu ficarei sem as moedas de ouro? Eu terei restrições sobre o que posso fazer, etc.? ” Você respira fundo e diz:” Não, ego separado, está tudo bem. Eu – com “E” maiúsculo – estou no comando, e eu decreto que tudo funcione como uma bênção para mim. “Então, você faz uma respiração profunda e se senta em sua poltrona e vê o que está acontecendo. Se alguém vem a você e quer ter uma discussão com você, você vem de um espaço de totalidade.

Você olha para o todo do que está acontecendo, e sabe que realmente nada pode lhe machucar. Nada pode interromper o Despertar. Na verdade, o que está acontecendo em seu drama nacional é trazer a receita mais maravilhosa para o Despertar. E eu digo isso com toda a Verdade. Não como uma piada, embora às vezes seja bom ter alegria e risos.

Na Verdade, você irá recordar este momento e verá como as várias partes se uniram para ajudar no Despertar. Permita-se assim viver em paz. Sim, você irá ter discernimento e dizer: “Hmm, algumas dessas coisas não parecem que irão levar a mais cura, pelo menos não a curto prazo.”

Está bem. Você pode dizer: “Eu não posso esperar para ver como tudo isso irá funcionar”, porque irá. Você sabe disto. Você já sabe que dará certo. Não importa como isto pareça em qualquer instante imediato, isto irá funcionar no momento. E então você irá dizer: “Sim, eu ouvi isso. Eu não tinha muita certeza sobre isso, mas você sabe, isto realmente passou.” Tudo o que você vê no palco, passou. Observe-o, aprecie-o, permaneça em paz, sabendo Quem detém o futuro.

Quando alguém chegar a você muito chateado com alguma coisa, pegue as suas mãos, em primeiro lugar, e diga: “Respire comigo”.

Então, ria e diga: “Está bem, vamos olhar, talvez, alguns anos ao longo do caminho. Como você se vê?

“Bem, eu não sei. Este é o problema.”

“Certo, como você gostaria de se ver?”

“Bem, eu gostaria de me ver com moedas de ouro suficientes para estar confortável e ser capaz de fazer o que eu preciso fazer e ir a lugares.”

“Está bem, você irá ter.”

“Bem, como você sabe?” Ele dirá.

E você apenas dirá: “Eu sei.” Porque você realmente viveu vidas suficientes e viu muitas coisas acontecerem. Você, por si mesmo, permanecerá na força, porque você sabe por experiências anteriores que tudo, não importa o quanto desagradável possa parecer em um instante, passará.

Então, respire, sorria, segure as mãos e diga: “Está tudo bem. Eu sei. Eu tenho, de boa fonte, que isto ficará bem “, e está. Você irá se divertir com isto, acredite ou não. E mesmo aqueles que estão torcendo as mãos e se perguntando o que irá acontecer com eles, eles irão ficar bem.

Agora, eu sei que há amigos que você tem que têm o hábito de se preocupar, um hábito de viver com medo, um hábito de julgar. Mas quando você segura suas mãos e respiram juntos por um momento ou mais, eles têm que deixar de lado a tensão, porque você não irá soltar as mãos até que eles liberem um pouco do peso que estão carregando , até que respirem e sintam o corpo relaxar um pouco.

Sim, as preocupações podem ainda estar lá, mas eles estarão liberando um pouco delas. Então você segura as suas mãos e vocês respiram juntos. Quando eles chegarem a um espaço de paz – e isso pode não acontecer de imediato, mas acontecerá – fale com eles … “Você sabe, eu tenho essa idéia engraçada. Estou como se estivesse sentado. Eu estou na primeira fila assistindo esta peça acontecendo. ”

“Oh, mas não é uma peça. Tudo irá se estragar e se arruinar.”

“Mas sim, você sabe, quando eu a assisto, às vezes é como alguns dos dramas que assistimos na tela grande.”

– Sim, mas estou bem nisso.

“Talvez você não precise estar.” Você pode fazer sugestões para eles para que eles possam recuar um pouco. Talvez não seja algo que eles pensaram que poderiam fazer. Uma nova idéia. “O que? Quer dizer que eu não tenho que me preocupar? Eu não tenho que resolver isso? ”

“Não, isso passará”, e realmente. Portanto, anime-se, porque há um ditado que você tem neste mundo, e é um provérbio muito bom: “Eu não posso saber o que o futuro me reserva, mas eu sei quem detém o futuro.” O seu Cristo detém o futuro. Então você irá se lembrar disso. Talvez transmita-o quando for necessário. Às vezes, nem sequer precisarão de palavras. Eles só precisam do abraço, do sorriso que diz: “Eu irei ouvi-lo.. Eu sei como você se sente. Está bem.”

E, então, enquanto eles estavam na tempestade, eles a veem passar. Você mesmo esteve lá. Às vezes, você apenas precisa se convencer disto, e, então, está terminado. Eu aconselharia que você deixasse que outros se persuadissem disto, porque se você tentar logo inserir uma nova ideia, você irá interromper o processo. O que é necessário é que eles sejam capazes de se expressar, e, então, haverá um pequeno espaço onde talvez algo novo possa chegar.

É por isto que você está aqui. É por isto que você se ofereceu para estar aqui neste momento. O seu Eu maior sabia que estes anos seriam anos de crescimento, anos de redenção. Você sabia antes de se inscrever que realmente era um tempo de despertar, e você disse: “Oh, eu quero estar aqui para isto. Eu quero ver todos despertarem.”

Bem, você, talvez, não sabia que eles passariam por pesadelos, em primeiro lugar, e quando estivessem em meio a pesadelos, você diria: “Oh, eu quero sair. Não é isto o que eu negociei. Não era para isto que eu pensei que estava me inscrevendo.” E, então, você dá a respiração profunda e se lembra de que tudo passou.

Vamos levar estas ideias um pouco mais adiante, porque há algo mais importante para que a consciência se lembre. É o que eu irei chamar de Diretiva Principal. Agora, você tem este termo. Você viu isto em seus dramas, na tela grande, em uma apresentação chamada de “Jornada nas Estrelas”, em uma galáxia muito, muito distante e há muito tempo, o que na verdade, sim, você pode dizer que isto aconteceu há muito tempo, e está prestes a acontecer novamente.

Havia uma diretiva principal, mas esta não é a diretiva principal de que falarei agora. Estou falando de algo que houve antes do tempo, e é a diretiva principal de sua vida, de cada vida que você teve. É a diretiva de viver no amor, de difundir o amor, de estar apaixonado, de estar apaixonado pela vida, de estar apaixonado pelos irmãos e irmãs, pelos quatro patas, por toda a vida em qualquer das suas formas, de estar apaixonado e expandir o Amor.

Esta é a Diretiva Principal que havia antes que o tempo fosse criado. É, na verdade, o solo do qual você se originou. O Amor existia antes de qualquer de suas criações. Você disse: “Eu participarei com as minhas criações nesta caixa de areia. Participarei com os irmãos e irmãs em determinado drama.”

E a Diretiva Principal disse: “Sim”. Ela sempre diz “sim”, porque o Amor sempre permite. Mas como ele está permitindo, ele também tem uma companhia, e esta diretiva principal vem com um companheiro da alegria, da felicidade, da aprovação, com qualquer termo descritivo que você queira usar; um coração leve. A Diretiva Principal sempre vem com um coração leve. Porque, na verdade, quando você está apaixonado, tudo se encaixa para servir ao próprio Amor. Esta diretiva principal é o que lhe permite saber que você está participando de um drama de outro tipo.

O amor o criou, como você disse: “Eu quero experienciar. Eu quero expressar. Eu quero expressar Aquilo que eu sou em todas as suas inúmeras formas e criações”. Isto é o que você disse desde o início, e isto é o que você está fazendo em toda a experiência. Você está expressando, de uma maneira ou de outra, a Diretiva Principal, porque você não estaria fazendo o que está fazendo sem que o Amor lhe permitisse.

Assim, cabe a você de vez em quando verificar e dizer: “Está bem, eu sou o ponto avançado da Diretiva Principal, interagindo com e em minhas criações. Eu sou a Diretiva Principal interagindo em e através de todas as minhas criações.” Porque, realmente, você é. Mesmo nas criações que você diria: “Oh, isto não pode ser bom. Isto não pode ter um bom resultado.” E, entretanto, quando você tiver terminado uma vida – e ouça isto bem – quando você tiver terminado uma vida, você terá a oportunidade de vê-la a partir do espaço da Diretiva Principal e contemplar tudo o que fez e chamá-lo de bom.

Você tem o espaço, a oportunidade de observar tudo. Você tem aqueles que tiveram o que é chamado de EQM, Experiência de Quase Morte. Bem, é uma experiência de morte, e, então, eles voltaram para falar sobre isto, e eles compartilham com você como foi, como eles tiveram uma oportunidade de observar o que estava acontecendo, o que eles estavam fazendo, e o que os outros estavam fazendo, e como eles o viram de forma diferente do que eles viam antes da interrupção da atividade da energia corporal.

Aqueles que voltaram para falar sobre isto não terminaram. Eles sabem que não terminaram com a experiência, assim eles voltam para lhe contar sobre ela. Na maior parte, há um acordo geral, um fio de experiência geral que passa por cada relato que as pessoas fazem. A principal coisa que eles se lembrarão é de que a vida é boa. Eles, com frequência, retornam, sentindo que seja o que for que estivesse lhes perturbando era realmente um presente, e eles estão aqui para compartilhar, para compartilhar a partir da Diretiva Principal do Amor.

Você conhece o sentimento do amor. Todos vocês que leem estas palavras, vocês sabem o que é se sentir apaixonado, estar tão imerso no amor que é tudo o que vocês veem e sentem. Talvez ele chegue e vá muito rapidamente. Talvez, ele dure uma vida inteira. Mas vocês conhecem o sentimento do amor total, completo.

Você conheceu isto, e é por isto que você se voluntariou para estar aqui, ainda que haja certo esquecimento que acontece quando você assume a forma física; nem sempre. E, na verdade, no começo, por algum período de tempo de meses, talvez anos, você ainda se lembre do amor, e é por isto que, com frequência, os pequenos dirão: “Eu quero ir para o Lar. Este não é o Lar.” Porque eles se lembram do Amor. Eles se lembram do Lar que é o Amor total e completo.

Assim, os pequenos lhe dirão, muitas vezes: “Eu não quero estar aqui. Por que eu estou aqui?” Porque neste ponto a alma se esqueceu de que ela se voluntariou. Você pode passar por anos de crescimento e dizer: “Eu não me ofereci para isto. Eu não me ofereceria para isto.” E, no entanto, cada alma que se voluntaria para assumir a forma física, veio como um emissário do Amor. Com frequência, é porque é do que ela quer se lembrar, e ela veio buscar por ele novamente.

Você conhece o espaço do amor. Você esteve lá. E, então, por causa da casualidade da vida física, você acha que ele escapou de você, e, ainda assim, é o que você é. É o que você tem que dar.

Você viu aqueles que podem não ter muitos bens tangíveis físicos. Eles podem estar vivendo a vida mais simples, sem muitos bens do mundo, mas há uma simplicidade sobre eles, e eles podem ser, e muitas vezes são, mais felizes do que aqueles que estiveram acumulando para si mesmos muitas moedas de ouro e muitas coisas físicas, porque eles sabem o que é realmente importante. Eles não perderam isto de vista.

Mesmo aqueles que estão aparentemente desprovidos de ajuda, nunca podem ser privados de Amor. É o que lhes permitiu vir e criar. É o seu próprio ser, como é o seu ser. Assim, você se permite conectar novamente com o Amor que você é. Agora, como você faz isto? Ótima pergunta.

Em primeiro lugar, sugiro que você reserve algum tempo a cada dia, para se conectar com o Amor que lhe permitiu estar aqui. Tenha algum tempo para meditação, o tempo para estar em silêncio por um curto espaço de tempo, por uma curta duração para se concentrar no maior milagre da vida física, a respiração. Se você não fizer nada mais em seu tempo de meditação, permita-se concentrar-se na respiração, inspirando e expirando, inspirando e expirando.

As ideias chegarão a você, sobre o que precisa estar fazendo: “Oh, eu preciso escrever assim e assim. Oh, eu preciso telefonar… Oh, eu preciso ser…” E você afasta tudo e diz: “Eu voltarei para eles mais tarde”. E se concentre novamente na respiração, inspirando e expirando. A própria simplicidade. Esta é a disciplina disto: simplicidade.

Depois de um tempo – pode não vir imediatamente. Pode até levar o que você entende por seis meses. “Oh, meu Deus, se eu não o conseguir nos primeiros vinte e um dias, eu falhei”. Não. Continue respirando, eu o aconselho. É melhor para o corpo se você continuar respirando. Permita-se concentrar-se na respiração, deixando de lado outras ideias.

Reserve algum tempo para você. Não um tempo para estar andando por aí, compondo algo, descobrindo o que você tem que fazer, onde você tem que ser, o que você irá dizer, mas apenas focando a respiração e como a respiração é curativa. Eu garanto que em algum momento você irá se sentir amado.

“Oh, meu Deus, de onde veio isto? Eu realmente me sinto bem.” Então a pequena voz chega e diz: “Bem, você não está bem. Você tem que fazer tal e tal, e tem que estar à altura”, e assim por diante, e, então, você começa a respirar novamente, concentrando-se na respiração. No início, um pouco do sentimento: “Hum, talvez a vida seja boa”, será, talvez, fugaz, ou não, mas isto cresce.

Se você tiver a disciplina – e você pode tê-la – de continuar respirando e se concentrando na respiração, com o tempo, na estrutura do tempo, você se sentirá transportado a um espaço de paz. Então, logo depois que você reconhecer isto, ela provavelmente desaparecerá, mas isto está bem, porque uma vez que você tenha tocado este espaço, você sabe que é real, e sabe que pode voltar a ele.

Pode levar outro mês ou dois, antes que o experiencie novamente. Está tudo bem. Saiba que você passou vidas sem mais nada a fazer do que ficar sentado na caverna e respirando, sentado no mosteiro e respirando. Você criou nesta vida inúmeras distrações para si mesmo, porque você é muito criativo. Mas você pode afastá-las por dez minutos e respirar, concentrando-se na respiração.

Agora, você irá se divertir com isto, porque a mente chegará lá e desejará uma coisa estruturada e sistemática para fazer. “Apenas se concentrar na respiração não é suficiente”, ela lhe dirá. “Você tem que ter diferentes etapas a realizar. Você tem que sentir que está fazendo progresso, e tem que ter certas informações que lhe permitam saber que você está fazendo certo.”

Se estiver respirando, você está fazendo isto certo. Se não estiver respirando, você pode pedir outra vida para começar de novo. Felizmente, você não terá que chegar a este ponto.

Continue a respirar. Muitas vezes, disseram: “Mas, Yeshua, Jesus, eu preciso de algo que tenha um esboço que me deixe sabendo que estou fazendo algum progresso com isto. Preciso ter um formato estruturado, de modo que eu saiba que estou fazendo certo”. Na verdade, quando você tem um formato estruturado, a que você está servindo? Você está servindo à mente, porque a mente quer saber. Mentes curiosas, especialmente, querem saber.

Permita que a mente fique em silêncio por um curto espaço de tempo. Concentre-se na respiração. Concentre-se na paz. Não no esotérico, no abstrato, como o amor tem que ser e como ele é, e como ele vem e vai, e em todos os atributos que você deu ao amor. Apenas se concentre no espaço do amor, no espaço onde tudo o que você quer é respirar, e você respira e se sente em paz. Então, aqueles me dizem: “Mas, Jesus, isto não é suficiente. Eu tenho que ter objetivos. Tenho que ter algo para realizar.” Então, quem está falando? A mente, mais uma vez. A mente é muito complicada. A mente é muito exigente, de maneiras muito escorregadias. Concentre-se na respiração. Conecte-se com a Diretiva Principal que lhe permitiu Existir para respirar, inspirando e expirando. É a própria simplicidade.

Todos os seus grandes mestres, os sábios de todas as eras, todos os filósofos que inventaram todas as técnicas, vieram em sua busca de volta ao mesmo ponto, onde o que eles estão experienciando é a totalidade do Ser, A Existência do Amor, a Totalidade que havia antes do tempo ser criado. Porque o tempo foi criado e aquilo que foi criado virá e passará. Mas a Paz que você é, o Amor que você é, viverá para sempre, porque existia antes do tempo.

Depois que você chegou ao espaço que parece muito vazio e ainda cheio, você avança neste dia para cumprir a Diretiva Principal de dar amor a alguém e a todos, porque você é tão pleno dele que ele transborda e tem que ser expresso. É a própria simplicidade.

Então, no resto do dia, se a mente vier até você e quiser estar muito ocupada, permita-o, sabendo que sempre com uma respiração profunda você pode retornar novamente ao espaço da paz, ao espaço do amor. No resto do dia, você pode passar fazendo o que a mente direciona, divertindo-se, porque é por isto que você criou a mente. É para se divertir, investigar, criar, mas lembrando-se sempre de seu critério da Diretiva Principal, o amor que o criou. Não apenas na forma física, mas na forma de avançar como o ser de Luz que você é, como o ser de Amor que você é.

Eu garanto que isto mudará como você vê tudo em seu mundo, tudo em relação a você. É a própria simplicidade. É fácil, e é por isto que a mente não se importa com isto. A mente quer dar voltas, andar em círculos, mas você está no centro do círculo. Você perceberá que depois de ter experienciado o espaço da paz, concentrando-se na respiração, você irá assistir a mente correndo ao redor, tentando reunir tudo, e haverá um grande sorriso no rosto, porque você está em paz, e você sabe que tudo vem do Amor.

Que assim seja.

Jeshua ben Joseph (Jesus), expressando-se através de Judith Coates
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br