ENTENDENDO A LINGUAGEM DO CORPO

image

Mensagem de Jeshua
através de Pamela Kribbe
15 de dezembro de 2018  

Queridos amigos, eu sou Jeshua. Apresento-me aqui hoje e amo profundamente cada um de vocês.

Sintam meu amor – ele é totalmente aberto a quem vocês são. Não precisam esconder nada de mim. Vocês são anjos feridos, e eu estou aqui hoje para estender minha mão a cada um de vocês, porque este é um tempo de cura. As coisas finalmente estão começando a mudar, mas para muda-las em um nível profundo, é preciso dar um mergulho na escuridão. É preciso dirigir-se às feridas que lhes foram infligidas. Façamos isto agora.

Imagine que você está segurando uma tocha de luz. Consegue segurá-la? Consegue aceitar que você é um portador da luz? Uma das maiores tragédias que vejo acontecer na sua vida é você não reconhecer mais sua própria luz. Você olha para fora de si mesmo, procura autoridades, pessoas que saibam, procura orientação fora de si mesmo. Mas não estou aqui para lhe oferecer este tipo de orientação. Estou aqui para guia-lo a partir do seu próprio interior. Você precisa voltar a familiarizar-se com a sua própria luz.

Você se acostumou tanto a se diminuir, a se fazer insignificante, que agora lhe peço para segurar novamente aquela tocha de luz, em sua imaginação, e observar as qualidades dessa luz. Sinta como essa luz tem um efeito curador sobre você. De todas as ferramentas de cura que você pode receber, esta é a mais poderosa para reconectá-lo com sua própria luz interior.

As tragédias na Terra, as histórias de violência e guerra que este planeta conheceu, todas se devem ao fato de as pessoas terem se desconectado da sua própria luz, do seu próprio sentido de certo e errado, da sua própria intuição. Deixaram-se abater pelo medo, sempre olhando para fora de si mesmas em busca de segurança. Isto tem que acabar agora! Se uma nova era deve se introduzir neste planeta, tem que ser através de pessoas que possam aceitar sua própria luz e viver por meio dela.

Então, como podem se livrar do medo, das vozes de falsa autoridade que vêm de fora de si mesmos? Ao assumir este processo de libertação, vocês estão indo contra as energias de uma longa história, portanto são pioneiros e revolucionários. Quando estive na Terra, plantei as sementes desta revolução, e cada um de vocês é um portador destas sementes, que devem germinar neste momento.

Banhe-se na luz da sua tocha. Imagine que essa luz penetra todo seu corpo. Essa luz vem da sua alma e vai relembrá-lo de que você não é simplesmente um ser de carne e osso, mas que desceu à Terra vindo de outro reino. Sinta esse reino agora, pois ele é o seu Lar. E receba a energia do Lar. Sinta a energia dos seus guias e dos anjos junto a você, pois eles realmente estão a apenas um sopro de distância. Eles desejam elevá-lo para além do peso, da densidade da Terra e, mais do que tudo, desejam elevá-lo para fora do abismo do medo.

Imagine que esta sala se preenche com nossas luzes combinadas. E sinta o quanto a Terra deseja receber esta luz, porque esta luz – a luz de todos vocês – é necessária na Terra. Mas para ser o Trabalhador da Luz que você é, é preciso primeiro voltar-se para suas feridas internas e permitir que seu corpo fale. O próprio corpo, embora contenha energias tanto masculinas quanto femininas, possui uma energia geral, em relação à alma, que é feminina. O corpo é receptivo – ele recebe as energias da sua alma e da sua personalidade, e reflete de volta para você, não só as qualidades da sua alma, mas também quaisquer distorções que possam ocorrer como resultado da sua personalidade.

Assim como a Terra é uma energia feminina, em comparação com a energia masculina do Sol, o corpo carrega uma energia mais feminina, relativa à energia da sua alma, que está mais próxima do princípio masculino. Mas ambas são igualmente valiosas, e o corpo anseia pela atenção da alma, que é seu verdadeiro guia e aquilo que o inspira.

Na sua sociedade, você se acostumou a abordar e tratar seu corpo por meio da sua mente. E acostumou-se também a abordar a doença com a mente e com a ajuda da medicina, de modo que seu corpo acabou sendo negligenciado. Para recuperar o relacionamento natural entre alma e corpo, é preciso, em primeiro lugar, aceitar seu corpo, independentemente de sua aparência ou de quaisquer enfermidades que ele possa ter.

Sinta como a luz da sua alma aceita totalmente o seu corpo. Sua alma anseia por unificar-se com seu corpo; e a luz da sua alma anseia por penetrar em todas as células do seu corpo. É nesta fusão de alma e corpo que você se torna um ser humano inspirado – um anjo humano.

Seu corpo é verdadeiramente um instrumento divino. Sinta o devido respeito por ele. Quando conectar a alma ao corpo desta forma, outras possibilidades de cura surgirão. É verdade que é preciso nutrir o corpo no nível físico, e também pode ser sábio aceitar tratamento da medicina convencional para curá-lo, mas existe um nível mais profundo para se lidar com a dor ou os problemas.

O primeiro passo é aceitar o corpo como uma expressão da alma. E depois, é preciso abrir-se e esperar a mensagem que seu corpo está tentando lhe trazer. Como se acostumou a pensar demais, você provavelmente espera que a resposta à causa do seu problema lhe chegue verbalmente, através da mente. Mas o processo de descoberta do verdadeiro motivo e significada de uma doença é muito mais profundo e sutil do que isso.

É preciso tratar a doença como um amigo com quem você se familiariza pouco a pouco e que, gradativamente, vai lhe contando como se sente e que mensagem lhe traz. Entrar no caminho da doença é sempre entrar em território desconhecido – algo novo deseja penetrar sua consciência, e geralmente é um nível mais profundo de autoestima. Através da dor e do sofrimento, esse nível de autoestima acabará crescendo dentro de você, e lhe exigirá um grau maior de entrega, para que possa receber a mensagem ou resposta da doença.

Portanto, carregar a tocha da sua luz implica em duas coisas: a primeira é o reconhecimento da sua própria grandeza, da sua própria divindade, e de que você é seu próprio mestre, não dependendo de nenhuma autoridade de fora. E a segunda é saber ajoelhar-se e tornar-se humilde diante das coisas que acontecem na sua vida, abandonando a ideia de que você conhece todas as respostas com sua mente, ou que precisa procurar as respostas com sua mente.

Neste processo de autocura e autoconhecimento, é preciso aceitar que existe algo mais vasto do que você, e que essa vastidão que deseja revelar-se a você, na realidade, é o espírito. Então peço-lhe que assuma a sua luz, mas, ao mesmo tempo, esteja aberto à energia maior que deseja guiá-lo. Este poder maior não é uma autoridade, ela é plena de alegria e leveza. E o espírito deseja estar com você; deseja fluir através de você, enquanto você está sendo um ser humano na Terra.

Obrigado a todos vocês por estarem aqui hoje.

Estou profundamente conectado com todos.

Obrigado.  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.nethttp://www.jeshua.net/por 

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

CURVE-SE INTIMAMENTE PARA SI MESMO

image

Mensagem de Jeshua (Jesus)
canalizada por Pamela Kribbe
31 de dezembro de 2018  

Queridos amigos, belos filhos da humanidade

Eu sou Jeshua, seu irmão e amigo. Estou com vocês e seguro suas mãos. Eu também percorri a senda onde vocês se encontram e conheci as profundezas do desespero, da tristeza intensa e saudades do Lar. Conheço vocês internamente, porque são meus entes queridos, minha família. Eu os acolho aqui e agora.

Vocês são os portadores de um comando sagrado: espalhar, aqui na Terra, a luz do Céu e o sentimento de amor do Lar. Em primeiro lugar, para si mesmos, de modo a aliviar sua carga interna através do amor, da ternura e humildade para consigo mesmos.

Peço a cada um de vocês que se curve intimamente para si mesmo, de modo a dar forma, aqui, à luz da sua alma. Você consegue fazer isto? Consegue juntar suas mãos diante do seu próprio coração, na conhecida saudação oriental (Namastê), e curvar-se para si mesmo? E por que lhe peço isto? Por que você não se curva para si mesmo com frequência ou por vontade própria.

Curvar-se para si mesmo significa aceitar-se completamente como você é agora – sendo você mesmo totalmente e desapegando-se de tudo o mais, com uma suave expiração. Ser completo no momento é a verdadeira humildade, mas isto não é tudo. Nessa humildade, na ação de curvar-se a si mesmo, reside a confiança de que existe um ser-semente perfeito dentro de você, que não deseja nada além de se abrir, florescer e crescer. O que alimenta esse ser-semente? O que o faz abrir-se em flor e se desenvolver? O que mais o alimenta são a sua atenção silenciosa, seu apreço e carinho.

Dê um passo para trás e veja-se como o ser grandioso e especial que você é. Internamente, estenda-lhe as mãos com admiração, como se estivesse se aproximando de algo verdadeiramente precioso. Você poderá vê-lo como uma criança ou como a semente de uma planta, ou talvez, como um grupo de cores ou energia. Mas o que você está vendo, de fato, é o ser-alma que você é.

A alma desperta gradativamente através de vastas correntes de tempo e espaço. Da alma fluem diferentes raios de luz, que tocam e visitam a Terra, e estes são as suas encarnações neste planeta. De cada encarnação, a alma toma algumas coisas para si mesma: experiências, conhecimento, sabedoria e, inclusive, dor e incompreensão. E precisa digerir tudo isso. A alma encontra-se em um processo constante de transformação, de crescimento, que se torna cada vez mais exuberante. A semente germina, e o resultado é um milagre, um ser de beleza e esplendor que cresce infinitamente mais grandioso no cosmos.

Ao crescer e florescer, a luz se propaga como uma manifestação única, porque nenhuma alma é igual a outra. Cada alma espalha a luz do universo, a luz de Deus, de forma pessoal. Você está agora em uma das muitas encarnações da sua alma. Você é como um raio de sol conectado à sua alma, e como está conectado com sua alma, também se mantém conectado com outros raios de encarnação da sua alma.

Na encarnação em que você se encontra neste momento, algo especial está em andamento, algo milagroso… a energia da Terra está começando a mudar. As pessoas estão encontrando mais e melhor acesso à realidade interior e às suas almas. O véu – como vocês o chamam – entre o outro lado e a vida cotidiana está se tornando mais fino e transparente. As pessoas estão buscando e tentando encontrar sentido e significado em suas vidas. A própria Terra, e os corpos celestes ao redor dela, mudam com essa busca, e assim se tornam mais permeáveis e acessíveis às vibrações superiores e verdades essenciais.

Você está entre os que desejam absorver tudo isso e trazer para Terra o conhecimento da sua alma e sua conexão com o Uno – aquele que conecta todas as almas. Você tem sede dessa conexão, e esta vida é muito apropriada para isso. A vida na Terra, como um todo, deseja agora avançar em direção a uma vibração diferente e tornar-se radiante no nível da alma, e com a leveza, a harmonia e a inspiração que a acompanham.

Vocês são os receptores, os canais dessa nova energia que está nascendo agora na Terra. Quando cada um de vocês recebe a energia de sua alma, a informação é liberada, e junto com essa liberação muitas vezes surgem velhas cargas emocionais de vidas anteriores – como vocês as chamam – de outras encarnações, outros raios do sol que é a alma. Isto acontece por um motivo. Ao se familiarizar com essas cargas emocionais e conscientemente as redimir e transformar, você traz paz para sua alma. Muitas vezes, você vê a alma como superior à sua pequena personalidade, mas a verdade é que a alma aprende, se desenvolve e começa a florescer através da interação com suas encarnações, com você. Portanto, não subestime o significado da sua vida aqui e agora na Terra. Você faz diferença para a sua alma. Ao viver com abertura e consciência, e curvar-se à realidade de quem você é, você enriquece sua alma no nível mais profundo.

Quero falar agora sobre essas emoções pesadas, sobre a dor e dúvidas profundas, em parte trazidas de outras encarnações, que irrompem em você neste momento e, simultaneamente, surgem em muitas outras pessoas. Este processo não é apenas individual – é também um processo coletivo e tem grande significado, não só para você, mas para toda a consciência coletiva da Terra. E afeta, inclusive, seres não-humanos e a natureza em geral.

Potencialmente, você é um profundo transformador da velha energia, e algumas vezes tem que lidar com violentas cargas emocionais antigas, que o confundem. Com sua mente humana, você não consegue nem sequer imaginar, quanto mais ter uma visão geral apropriada de tudo que deseja libertar-se dentro de você, para ser curado. Camadas muito profundas de velhas dores e saudades do lar estão agora vindo à luz, não somente em você, mas, ao mesmo tempo, em outros com os quais você está conectado. Quer queira ou não, quer compreenda isto ou não, você não é somente a “parteira” de si mesmo, mas simultaneamente, de todo movimento que deseja se revelar neste momento. Para desempenhar esta função de parteira, você precisa possuir o poder da autoconsciência.

Ao mesmo tempo, parte do trauma mais profundo de ser um humano é estar privado da força da autoconsciência, é ter se tornado alienado do seu conhecimento original mais profundo, do seu instinto de sabedoria e verdade. A impotência profunda que reside nas pessoas é o maior obstáculo que elas têm para receber e transmitir a nova energia na Terra. As pessoas se tornaram totalmente desanimadas em sua crença em si mesmas. Sinta este desânimo por um instante.

Sinta, em si mesmo, a “necessidade” de ser nutrido por fontes externas, através de outras pessoas, através do conhecimento e sabedoria de “especialistas”, cujas respostas lhe parecem muito corretas e bem fundamentadas. Esta necessidade também se faz presente nos seus relacionamentos. Quantas vezes você procura reconhecimento fora de si mesmo, pela sensação de lhe ser permitido estar aí? O vazio interno é tão profundo na maioria das pessoas, que elas não se dão conta da busca constante por afirmação de fora. Sinta esse vazio em você – estar consciente disto é um sinal de força.

Imagine que você é um poço onde alguém cai – um vazio solitário, rodeado de paredes cinzentas, sem nenhum meio de conexão, segurança e calor. Quase todo ser humano na Terra tem um vazio interior como esse. Veja essa imagem em si mesmo – você mesmo sendo essa pessoa que cai nesse poço que você é. Observe o desespero nos olhos dela. Veja-a tateando por todos os lados em busca de ajuda externa. Como foi que você acabou se afastando tanto do seu conhecimento interior, da sua coragem e fortaleza internas?

A resposta encontra-se na história da Terra. Houve uma interação entre poder e impotência. Havia, e ainda há, uma força na Terra que não vem da Luz, mas que se alimenta da dor dos outros e se sente crescer através do poder e do controle. Em um nível profundo, todos os seres humanos foram afetados por esse poder que você pode chamar de “ruim” ou “o mal”, no sentido de que é uma força que você rejeita porque ela quer torná-lo pequeno e fraco.

Você pode ver esse poder e essa força ativos, no passado, na política, na religião e em todas as esferas da sociedade. Esse poder – e as exigências, preconceitos e tabus que o acompanham – internalizou-se nas pessoas que absorveram essa energia e começaram a pensar e agir do mesmo modo. Essa força sombria, da qual agora falo, também é uma parte de Deus, por mais contraditório que isto possa parecer. É uma parte que se perdeu, se desconectou e caiu num vazio profundo, onde a luta pelo poder parece ser o único caminho para fora dele. Perceba que cada alma, cada ser vivo, já conheceu, dentro de si mesmo, esta luta pelo poder e, inclusive, exercitou-a. Você já desempenhou os dois papéis – tanto o de ofensor quanto o de vítima. O jogo de sombra e luz faz parte do universo.

Agora é hora de mudar. Um jogo de energias pode criar uma espiral ascendente ou descendente. Em uma espiral ascendente, a escuridão e a negatividade podem se tornar um mecanismo de crescimento e, portanto, ter significado. Mas, em uma espiral descendente, há falta de significado, e o sofrimento e a dor podem lançar uma sombra profunda, que não é mais produtiva e que lança uma mortalha sufocante sobre as pessoas. Isto aconteceu na Terra, mas agora é hora de inverter a espiral e lhe dar um impulso para cima. A Terra pede por isto, porque não pode mais suportar a camada sufocante de negatividade, com sua poluição e asfixia. E a humanidade não pode mais suportá-lo, porque há muito sofrimento. Portanto, do âmago da humanidade, soa o chamado para a mudança, a cura e a virada em direção à luz. Você está entre aqueles que ouviram este chamado em seu ser, por isto é importante que perceba quem você é e com que forças e jogos de poder você está lidando.

Algumas vezes você pensa levianamente demais sobre isso; e outras vezes, com seriedade demais. Você leva isso com muita leviandade quando está impaciente e quer forçar seu próprio caminho para a luz; quer ir mais depressa do que consegue dar conta. Nesses momentos, você não se curva para si mesmo – pelo contrário – você luta contra si mesmo, pensando que as coisas têm que ser diferentes. Nesse caso, não é seu coração que fala, mas é a sua vontade que expressa uma necessidade de controle e poder. É preciso que você se ponha de lado e leve em consideração a extensão dos processos de cura pelos quais você está passando. Só então seu coração pode atingir as profundezas do seu ser e, desta forma, retornar à luz.

Por outro lado, às vezes você vivencia este processo como algo pesado demais; você ameaça sucumbir às suas próprias sensações de sufocamento, de aperto no peito, desespero e solidão aqui na Terra. Esses são momentos em que eu e todos os guias ao seu redor desejamos estar muito perto para apoiá-lo, porque desejamos contar-lhe o quanto você é querido e como você pode estar aberto para a luz. Sua alma está muito próxima. Assim, lhe é solicitado que tenha respeito por tudo o que vive em você, mesmo que muito disso seja pesado; que veja esta vida como uma vida de cura e integração, e que permita que seus processos internos se desenvolvam no ritmo que você precisa para ser capaz de manter-se em equilíbrio.

Perceba como este processo interno é importante. Muitas vezes você olha para o lado externo da vida e vê o tipo de conquistas que algumas pessoas realizam na sociedade, e a forma visível que elas tomam, que é tão importante no seu mundo. Mas muito mais importante é o que está se passando dentro do seu coração, seus sentimentos, sua mente. Então veja se consegue realmente criar espaço dentro de si para essas velhas cargas e energias emocionais – às vezes de vidas muito antigas – que querem vir à luz, aqui e agora.

Você está frequentemente “movendo montanhas”, mas como os resultados não são imediatamente visíveis externamente, você não valoriza o que está fazendo. Honre a si mesmo, veja a grandiosidade do que você está fazendo! Respeite seu processo interno. E quando este se tornar pesado demais, e aquelas velhas cargas emocionais que vêm à tona tornarem-se muito sufocantes, recolha-se no âmago do seu ser. Sinta aquele poder eterno e imperecível, e lembre-se de quem você realmente é. Embora esteja agora aqui na Terra em um corpo de carne e osso, você é essencialmente livre – totalmente livre! Você é um ser de luz livre; você pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

É possível que, ocasionalmente, você anseie por um mundo diferente e queria conectar-se com os reinos internos de luz, de onde veio. E, de vez em quando, você possa afastar-se deste mundo e enxergar profundamente dentro de si mesmo, que você não pertence a este lugar, no sentido de que não faz parte das energias pesadas que aqui prevalecem. Deste modo, você entra e sai deste mundo. Você participa dele, digere e transforma antigas cargas emocionais dos velhos tempos, mas pode também retirar-se para a luz, para a sua descontração, alegria e liberdade. Perceba como você é uma ponte entre a escuridão e a luz. Este é o verdadeiro sentido de ser humano.

Sinta sua grandiosidade no que você faz. É isto que desejo enfatizar hoje. Você é um professor deste novo tempo; você constrói a ponte. Reconheça a si mesmo!!! Não se esconda atrás de falsa modéstia ou humildade. Mostre sua grandeza! Mostre quem você realmente é. Deixe a luz da sua alma irradiar agora. A cada respiração, você se solta e torna-se ainda mais aberto para a luz da sua alma. Sinta esse sol irradiar.

E agora perceba como tudo se torna luminoso neste lugar porque todos vocês estão reunidos aqui. Esta luz imperecível é o que vocês são. É por isto que os saúdo como irmãos e irmãs; é por isto que acredito em vocês como os pioneiros de um novo tempo na Terra.

Muito obrigado pela sua atenção.

Jeshua  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

RECONHEÇA SUA GRANDEZA E IMPORTÂNCIA NO PAÍS ONDE ESTÁ

image

Mensagem de Jeshua
através de Gabriel Raio Lunar
29 de outubro de 2018

Eu sei das suas dores, medos e incertezas quanto a tudo que poderá vir para você. Eu sei que você, às vezes, acorda muito determinado, confiante e certo de que nada o abalará. No dia seguinte, parece que uma onda desanimadora atravessa por dentro de você. Oscilações… Eu também as tive, meus amados. Eu também tive meus medos, e muitos, pois não sou diferente de vocês, sempre disse isso.

Muitas vezes, acordei ensopado de suor temendo o que me aguardava. E nessa época, na minha adolescência, sempre tive muito amparo da minha mãe, minha doce mãe. Depois, claro, sempre tive o apoio dela, mas precisei ir, viajar, fazer algumas coisas que não foram contadas a vocês nas escrituras, e nem mesmo em muitas das canalizações. Eu viajei por vários lugares, conheci muitas pessoas, dormi inúmeras vezes olhando o céu e contando as estrelas. Dormia, acordava com palpitações assustadoras, chamava por minha mãe como vocês fazem, às vezes. Chamava por Deus.

Voltava das minhas viagens e minha mãe me recebia com festa e muito carinho. Mesmo assim, sempre que eu estava sozinho me deparava com meus muitos questionamentos, e o principal deles era: “Por que eu?” E eu sei que para muitos esse é um questionamento comum. Para muitos de vocês, sentir-se digno de algo tão grande, vai do assustador à incompreensão, às vezes, pois no mundo onde vivem, ser grande é “Só para quem pode”, e muitos não se acham dignos disso. E mesmo, o “grande” vem carregado dos estereótipos, conceitos preestabelecidos e perpetuados por sociedades adoecidas e carentes do amor mais puro, enredadas em sinfonias desempoderadoras e opressoras, quando o “grande” é maior que o “pequeno”, perpetuando-se, assim, o desempoderamento e a falta da consciência verdadeira da GRANDEZA DA ALMA fundida à Fonte Amorosa.

Eu me fazia tantos desses questionamentos! Se eu seria de fato importante e se tinha que, realmente, ser eu a fazer o que ainda, conscientemente, não conseguia linearizar, mas sabia que era GRANDE o que me estava sendo confiado. Mas “grande” ou GRANDE? Eu não me sentia “grande”; Deus tornava-se GRANDE através de mim. E eu ouvia muitas vezes quando nas minhas crises mais profundas e desesperadas: “DEUS DESEJA FAZER-SE GRANDE ATRAVÉS DE VOCÊ…” E aquilo ficava ecoando dentro de mim, por dias. Não sou diferente de vocês. Eu vivi e honrei a minha humanidade, minhas fraquezas e medos, e o que lhes peço é que façam o mesmo. Honrem-se, meus queridos, honrem-se! Não sintam vergonha de si mesmos, pois, às vezes, quando são chamados de Trabalhadores da Luz, parece um estigma que não lhes é permitido sentir suas próprias dores e medos. São eles, é o reconhecimento deles na simplicidade do seu ser que o transformará para sempre. Foi isso que aconteceu comigo. O que me tornou GRANDE em mim mesmo foi o reconhecimento da minha humanidade. Reconheçam-na em vocês.

Quando eu abracei em mim mesmo os meus medos e dores, eles foram afagados tão lindamente no meu Amor que deixei de senti-los nesta face, mas os senti fundidos ao meu coração, que já pulsava o Amor mais profundo que um ser poderia sentir. Eu não conseguia mais ter medo, angústia, incerteza, insegurança. Eu não conseguia mais temer o que vinha, nem para onde eu iria, com quem e o que fazer. Não temia. Naquela noite da minha maior agonia, no Getsêmani, eu senti tudo potencializado, e aquela dor rasgava-me a alma em mil partes. Sentia-me inaudível, só e abandonado. Abracei a minha dor, abracei-a com tal poder que ela foi sendo substituída por uma onda tão grande de paz e ternura, como eu jamais havia sentido em toda aquela minha vida. O resto da história vocês já sabem.

Meus queridos, principalmente vocês desta amada pátria Brasil, eclética e cheia de cor e brilho. Aqueles, no momento, inseguros, não temam, pois toda sua nação está assegurada para elevação. Aqueles felizes por suas conquistas recentes lembrem-se de acalmar os corações dos aflitos, sem ironias e desdém. Somente o Amor elevará esta nação, e em verdade vos digo: não é o seu líder que trará o Amor, mas vocês mesmos. Não é o seu líder que trará as mudanças, mas vocês mesmos. O seu líder refletirá exatamente aquilo que você reflete de você. Ele é um espelho seu. É a mais alta representação de uma nação, logo, ele é exatamente a somatória máxima de sentimentos da maioria. Quando você se transforma, aquele que o representa também, pois é uma lei de afinidade. Assim, também, quando você se transforma e pulsa o Amor, você atrai mais dele; e a dor, o medo e a insegurança se dissolverão neste mesmo Amor. Você só experimentará aquilo que você emana de você.

Aqueles que estão tristes, inseguros e amedrontados, acalmem-se e asseverem-se. Nada irá feri-los, a menos que você acredite nisso. Vocês que já estão na certeza da paz, segurança, amor, igualdade, lembrem-se de ajudar aqueles que ainda não alcançaram esses estados. E lhes digo mais: em verdade, aqueles que por esses tempos se deixarem envolver pelo ódio serão tragados pela intensa necessidade de reverem seus atos, não perante um juiz que está no céu para julgá-los, como lhes foi dito, mas pela sua própria consciência e auto-responsabilidade, pelo ser soberano e auto-suficiente que é. Revistam-se de Paz, Amor e Igualdade e nada lhes afligirá a alma, pois aqui reescrevo o que lhes foi dito no passado: “Aquele que matar pela espada perecerá pela espada”, lhes atualizo dizendo: “Aquele que tentar ferir pela espada, pensará mil vezes, pois sua consciência já grita pela conexão amorosa.” – E mais: os seus olhares, o Amor a emanar de vocês será a maior arma que poderiam ter. Aproveitem-na!

Resta, amados, a aqueles que obtiveram êxito recentemente promoverem o amor, e aqueles que não obtiveram honrarem e abençoarem para que aqueles amados seres que lhes representarão sejam cobertos desse seu Amor, e lhes representem tal como emanam dos seus corações. Mais uma vez lhes digo: não tenham medo, pois a Criação tem confiado a vocês a GRANDE missão, a GRANDE missão de restaurar o planeta. Forças foram direcionadas para esse amado país, para que através do Amor dos seus corações possam inundá-los pelo Amor mais puro a emanar de todos, nação abençoada de cores e sabores dignos. Reafirmo-lhes que o que lhes foi escrito está correto, e não passará uma geração sem que tenham as provas nos seus olhos: “O lobo conviverá com o cordeiro e o leopardo repousará junto ao cabrito. O bezerro, o leão e o novilho gordo se alimentarão juntos pelo campo e uma criança os guiará.”

Os abençoo com todo Amor do meu coração, regado de uma paz sem fim para que possam abastecer-se dela. Lembrem-se de mim, seu irmão, que, nunca estive longe de vocês. Nunca os abandonei. Nunca fui para longe, e jamais faria isso. Meu lugar é junto a vocês e assim como vocês, não sairei daqui até que tudo esteja consumado. E vocês… Vocês, a cada dia que passar, saberão mais porque estão aqui. Porque são aqueles que vieram dar um exemplo, como eu vim. E não importa como possa parecer assustador, às vezes, mas nunca desistirão. Essa linha não existe!

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.”

Eu os amo infinitamente.

Jeshua  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: Gabriel Raio Lunar
http://www.sementesdasestrelas.com.br/  

UMA VIDA BEM VIVIDA

image

Mensagem de Yeshua
canalizada por Judith Coates
14 de Outubro de 2018  

 
Amado, vamos falar agora sobre “O que é a realidade?” Como eu vivo na minha realidade? Como eu vivo uma vida que afeta os outros de forma saudável? Como eu tenho uma vida bem vivida?

Você teve exemplo disso muito recentemente com um de seus companheiros [John McCain], bem famoso, que realmente teve uma vida bem vivida. Ele veio com uma missão, se você quiser, duas missões, na verdade: uma para compartilhar com todos aqueles que tinham olhos para ver e os ouvidos para ouvir a missão de curar, e também para si mesmo, para reviver uma vida que ele fez várias outras vezes, mas para vir desta vez nesta vida e não carregar as cicatrizes do terror, não levar essas cicatrizes para a vida posterior; para curá-las e poder continuar com uma empatia com todos os irmãos e irmãs e entender que todos, não importa o que pareça, estão tendo suas próprias batalhas para chegar ao lugar da percepção da divindade deles mesmos. .

Então você teve alguém que veio e deixou sua marca neste momento, nessa realidade – “r” com letra minúscula.. Ele sabia antes da encarnação, como a alma que ele é, que ele iria ser professor, curador, mas ele não sabia exatamente como tudo iria acontecer. Verdadeiramente todos vocês, todos nós concordamos com uma missão antes de uma encarnação, mas como isso funciona é deixado para certas decisões que você toma ao longo do caminho.

Agora você aceitou uma missão e está levando a cabo sua melhor compreensão do que é sua missão. Este “agora” faz parte dessa missão. Este “agora” é um tempo de despertar e reivindicar aquilo que você deseja ser, conhecer e dar exemplo aos outros. Neste “agora” você está dizendo sim à sua Realidade – “R” maiúsculo. Você está dizendo: “Sim, é a minha divindade, minha energia divina, o Eu divino que me permite viver uma vida que parece ser apenas uma vida humana”, e ainda assim o que você faz e como você faz isso cura a si mesmo e outros pelas escolhas que você faz.

Eu o estive observando como você tem passado pelo que é chamado de sua vida, e eu o vejo escolhendo o amor. Às vezes você está em circunstâncias em que é um pouco difícil amar, estar em um lugar de cura, oferecer cura a outras pessoas. Se eles aceitam ou não, não é sua a responsabilidade, mas oferecê-lo; oferecer amor aonde quer que você vá e ter o sorriso no rosto que diz para o outro: “Eu entendo você. Eu amo Aquilo que você é.

Antes de encarnar nesta vida, você concordou com o grupo de almas, porque sempre antes de você vir, existe o que você chama de conferência, que é realizada, e a visão geral é colocada à sua frente. Então cabe a você como o pequeno nos braços e quando você cresce irá descobrir como você quer fazer isso. Tudo bem se você tentar coisas diferentes; às vezes funciona, supostamente – sempre funciona, mas às vezes é mais óbvio que outras vezes – ou se não funciona como você esperava, como age e reage ao que acontece ao seu redor e dentro de você.

Você é um curador, na forma muito extensa de cura. Você é um mestre que escolheu vir neste momento, que não é o momento mais fácil de uma realidade, mas você disse: “Meus irmãos e irmãs, as outras centelhas da divindade, precisam de mim, querem a mim. Eu os quero. Eu quero conhecer minha Unidade com os irmãos e irmãs ”.

Então, você escolheu um caminho. Às vezes é suave. Às vezes, tem algumas mudanças e mais transformações. Às vezes, você faz uma pausa para pensar, avaliar e se perguntar: “Por que escolhi esse caminho?” Sim, eu sei, houve muitas vezes em que você se perguntou: “Do que tudo isso se trata e por que estou aqui? Por que ainda estou aqui?

Bem, se você ainda está ativando um corpo, é porque você não completou o que você disse que faria, ou você escolheu se divertir um pouco mais. Isso acontece de vez em quando quando alguém termina sua missão e pergunta: “Posso ter mais alguns dias, semanas, horas e talvez anos para me divertir, porque, você sabe, eu não acho que tenho muito tempo para desfrutar realmente. Eu estava muito ocupado trabalhando …

Então, sim, claro, como você pede, é concedido. Tem que ser, porque para a criança sagrada, a centelha divina, tudo o que você escolher é o que você receberá. Nada pode ser retido de você. Então, se você está procurando por cura, se você está procurando por um certo sentimento de satisfação, se você está procurando uma resposta para uma pergunta que dura a vida inteira – ou talvez mais do que uma vida – é garantido que você tenha tempo, como você mede o processo. É concedido que você tenha esse tempo.

Você tem amigos que receberam um certo veredicto de que o corpo está terminando, que será um certo número de semanas, meses, talvez até anos, e então o corpo chegará ao fim. Mas nada é decidido antes do tempo que não possa ser mudado. Alguns de vocês sabem disso, porque você já experimentou isso. Você está ativando um momento muito agitado em sua vida agora. O tempo está acelerando. O tempo, sim, está encurtando, o seu processo de tempo. Você sente “estou ficando sem tempo”, e você está, porque o tempo é um constructo que você criou para si mesmo, acreditando no processo; processo que tem um começo, meio e fim algum dia. E você está descobrindo que já não são os dias mais longos que você costumava experimentar quando estava muito sintonizado com a terra. Você sente um aperto, que nem sempre é bom, de tentar fazer tudo em um determinado período de tempo. Procure os presentes à medida que avança. Se você tiver um certo sentimento de julgamento no começo, tudo bem. Não julgue a si mesmo. Apenas diga: “Ah, bem, é como eu estava me sentindo naquele momento. Agora eu escolho de novo ”, e você prossegue a partir daí.

Você escolheu esta vida. Você escolheu todas as circunstâncias ao longo do caminho. Não é pré-ordenado que você vá se encontrar com alguém em um determinado momento e em uma determinada data, exceto quando você se aproxima dessa hora e as circunstâncias parecem se encaixar. Mas não é que isso que tem que acontecer. É isso que você escolhe para que isso aconteça.

Então, seja feliz com o que você escolher. Saiba que sempre há um presente em tudo e se permita ser fácil consigo mesmo. Eu o vejo como eu vejo a energia, como eu o vejo se julgando de vez em quando. Sempre que você entra nesse modo de julgar a si mesmo, geralmente você sai disso um pouco maltratado. Então, dê o julgamento para mim. Deixe-me julgar se o que você disse, o que você fez, aonde você foi, foi a coisa certa e melhor.

Em primeiro lugar, eu posso ver uma cena maior. Mas em segundo lugar, eu sempre julgo com amor. Portanto, nada, na Verdade – com “V”maiúsculo – está errado com qualquer escolha que você faça. Você pode fazer uma escolha que nesta realidade, neste mundo como você o chama, pode lhe trazer certos efeitos com os quais você não quer lidar, mas se você a faz, e você tem que lidar com os efeitos, você sai disso muito mais sábio. Você diz: “Bem, eu tentei isso. Hmm, eu não irei fazer isso de novo. ”Eu o ouvi dizer isso algumas vezes.

O que você irá querer fazer, e você está fazendo isso, é escolher o amor, escolher o positivo, escolher ser feliz sempre que se lembrar. Você chegará a um lugar onde você sabe que está completo e verá isso e dirá: “Esta tem sido uma vida bem vivida”.

O que você tem a dar? Amor, alegria, entusiasmo, estar junto com alguém, permitindo que o que você aprendeu seja compartilhado com o outro até onde eles se animam e dizem: “Sim, é exatamente isso que eu estava pensando. Isso é exatamente onde eu estava no meu pensamento. Não é incrível que pensemos da mesma forma? ”E, nesse ponto, você provavelmente concordará. “É maravilhoso. Eu encontrei alguém que pensa como eu. Eu pensei que eu era o único no planeta que pensava assim.” E às vezes, individualizado como você pensa que é, você é o único no planeta naquele momento pensando assim.

Você deu a si mesmo um presente, um presente da realidade – com”r” minúsculo – para ativar um corpo, para poder falar com os que têm os tons, e se você não tem os tons, você elaborou o linguagem dos sinais que as pessoas podem aprender. Você nunca está em um lugar onde você não possa se expressar. Agora, o que você expressa? Às vezes, julgamento; muitas vezes julgamento. E geralmente esse julgamento, mesmo se você acha que está desaparecendo, faz um retorno e volta. Você se vê julgando a si mesmo, e isso não parece bom.

Você tem um exemplo disso em um de seus líderes neste momento, que não está se sentindo completo, inteiro, até onde o que ele vê, ele sente como um julgamento, e então ele tem que levantar uma barricada – todos vocês fazem isso, então não é só esse; você coloca uma barricada para que o pequeno eu não seja ferido. Ninguém gosta de se machucar, e às vezes, durante a vida, aquilo que você escolheu para lhe permitir crescer em seu próprio amor, o amor ao Eu – “E” maiúsculo – às vezes não é entendido como um presente, e às vezes é assumido como um julgamento severo.

Mas na verdade, muitas vezes, aqueles que estão moldando seus primeiros anos querem o melhor para você, e ainda assim eles não sabem exatamente como mostrar isso. Há muitas histórias contadas sobre novos pais que chegam em casa com o pequeno, e então eles se olham e dizem: “Agora, o que faremos?” Quase todos os novos pais se sentem assim. Mesmo que tenham cursos que supostamente os instruam, eles descobrem que têm um indivíduo que realmente não se encaixa em todas as descrições do que eles devem fazer ou ser e, “Agora, o que faremos?”

Os pequenos vieram até você como presentes. Eles vieram até você para trazer o seu melhor – parece um anúncio – e eles o fazem; eles trazem o seu melhor. Às vezes, não parece o melhor, a princípio, mas na verdade você está fazendo o melhor que pode, que você sabe, como lhe foi ensinado, que você aprendeu com a geração mais velha, talvez. Então você está indo tão bem quanto sabe fazer.

E sim, os pequenos irão irritá-lo, mas é isso que eles vieram fazer, e às vezes eles fazem isso muito bem. Mas você sorri e você os ama e você continua, e vê como eles podem ser criativos. É o mesmo com os quadrúpedes. Se eles não conseguirem sua atenção de uma maneira, eles tentarão de outra maneira até que você preste atenção neles, e talvez você descubra o que eles querem. Então, talvez você diga “sim” e talvez diga “não”, e então todo o ciclo começa novamente.

Você traz os pequenos e os quadrúpedes para a sua experiência porque você quer saber: “O que posso criar? Como posso criar? E por que, às vezes, eu crio o que parece ser o desafio? ”É para lhe permitir que você veja, em primeiro lugar, como você é criativo. “Bom Deus, eu criei isso?” Oh, sim. Aproveite suas criações. Aproveite todas as suas experiências.

Aquele que foi tão honrado neste tempo [McCain] teve experiências que você não escolheria voluntariamente, e ele sentiu algumas vezes que não escolheu essas experiências. E, no entanto, havia um espírito vivo dentro dele que sabia: “Isto é tudo por um propósito. Eu não sei o propósito. ”Ele disse isso muitas vezes, e ainda assim havia um conhecimento de que algo maior estava acontecendo.

Se você puder abordar – e você pode – qualquer desafio aparente e saber que o que você está vendo é apenas parte do cenário que é realmente maior, mais distante do que você vê no momento, isto permite que você respire fundo e diga “Ok, talvez eu não goste do que está acontecendo agora. Talvez eu gostaria que fosse diferente, mas tem que haver uma boa razão para isso. Tem que haver um presente nisto. E mesmo que eu permita que o corpo termine, irei olhar para o que aconteceu e perceber em minha consciência que foi um presente. ”

Então você passa por todos os desafios, sabendo que o cenário é realmente maior do que o que você vê no momento. E foi isso que seu amigo fez nos anos em que ele se sentiu detido, restrito. Ele sabia em um nível muito profundo, que havia algo acontecendo que era maior do que ele mesmo. Ele não sabia que ele iria passar por tudo isso e viver o número de anos com o corpo que ele tinha. Houve momentos no tempo em que ele estava nessa experiência, em que ele pensou que ele estaria acabado. Mas ele acordava na manhã seguinte e o corpo ainda estava com ele, ativado para mais um dia e mais um dia, confiando em um nível muito profundo que havia um propósito. E havia.

Não foi fácil. Mas como você descobriu, nenhuma vida humana é, em termos humanos, fácil. Toda vida humana tem seus desafios e, ao mesmo tempo, você reconhece que está criando. Eu sabia disso. Eu experimentei isso mais de uma vez. Eu tive mais de uma vida humana, porque eu queria saber mais. Então, eu tive a vida como um simples camponês, um agricultor, aquele que estava em sintonia com o sol nascente e o tempo da lua, e isso era tudo que eu precisava; isso e os pequenos quadrúpedes e as ovelhas.

Eu tive várias vidas que, como você julgaria do ponto de vista humano, foram muito tranquilas, muito em sintonia com a energia da sagrada Mãe Terra. Eu tive vidas antes de chegarmos àquela que é tão famosa. Isto não está em seus textos sagrados, nem nos textos que são tão populares, tão aceitos. As outras vidas estão escritas em outras obras, e nem sempre eu utilizo o nome Yeshua. Eu também tinha outros nomes, como você.

Então eu conheci a vida humana. Agora, apenas para agradar um pouco a curiosidade: eu tive outras vidas, não na sagrada Mãe Terra, lá fora, no que vocês chamam agora de espaçonaves. Eu trabalhei como aquele que tinha algo a ver com a energia da nave espacial. E, então, em uma vida eu fui um comandante. Em outra vida eu me experimentei como cristal líquido, cristal de fluxo livre.

Então, você vê, não tem que ser na forma humana. Não precisa estar na sagrada Mãe Terra. Poderia ser em outro sistema solar longe, muito longe… (Sorriso)

Cada bela expressão do divino é muito parecida com as facetas de uma pedra preciosa, em seu diamante. Quando você reúne tudo isso, como é brilhante! A luz dentro e fora dele é linda. Uma vida você diz: “Oh, isso é o que eu sou nesta vida. Ah, isso é ótimo. Eu sou líder de todo o meu povo.

Então, se eles não gostam do que você está fazendo e há um julgamento pesado, você passa a ser aquele que cuida das ovelhas e dos bodes e dedica um pouco de tempo para reconhecer o seu espírito que ativa toda a experiência.

Agora chegamos ao ponto mais interessante. Neste dia e hora, o tempo é considerado como um continuum, que existe o passado e existe o presente, e então existe o futuro. É um processo. Toda a experiência dentro do tempo está no que você imaginará como uma esfera. Você diz que o tempo é linear. “Bem, isso aconteceu há alguns dias. Isso provavelmente acontecerá no futuro. Isso aconteceu na história há muito tempo.”

A razão pela qual você pensa que o tempo é linear é porque dentro desta bela esfera da criação, um ponto aqui e um ponto aqui, os pontos estão ligados por uma linha. Então, você diz: “Ok, o tempo é linear. Esse é o passado. Este é o futuro Eu estou em algum lugar no meio disto. Todo o tempo está nesta esfera de crença.

Agora, isso traz uma boa pergunta. O que está fora dessa esfera? O que está fora do tempo? Há muito que está fora do tempo. Você não vê isso normalmente na vida, onde você está se concentrando no que o corpo faz.

O que é um mês? É uma configuração arbitrária à parte de uma certa reunião de tempo; feito pelo homem. Você nem sempre teve o mesmo calendário. Você nem sempre sentiu que o tempo era o mesmo de todos os dias. Você o cria. Você trabalha dentro dele. Por exemplo, você tenta fazer com que todos cheguem ao mesmo tempo e se encontrem e façam certas coisas juntos. Então você descobre que há uma pessoa (ou mais) que não pode fazer isso naquele momento. “Ok, vamos mudar isso.” Então, há outra pessoa que não pode fazer isso naquele momento. “Ok”. E você se diverte com isso, eu espero. Nem sempre; Eu observo. Pode ser um pouco de expansão da mente, sim; expansão do julgamento.

Você trabalha com o tempo, mas como eu disse, o tempo é sua criação. Você sabe que isso é verdade, porque às vezes você se divertiu com o tempo. Por exemplo, você deve estar em uma reunião às sete horas, e não há como você sair de casa e dirigir por vinte minutos e chegar lá às sete horas se você saiu de casa quando faltavam cinco minutos para as sete horas.

Mas isso pode ser feito e você fez isso. Você se surpreendeu e disse: “Bem, o que aconteceu?” Isso prova a você que você é quem está criando o tempo. Vocês são criadores maravilhosos. Permita-se olhar para tudo o que você cria e chamá-lo de bom. É por isso que você tem a passagem em seu livro sagrado que diz que Deus – que é você – criou no primeiro dia, no segundo dia, no terceiro dia, e assim por diante. E Ele, olhou para a sua criação e a chamou de boa.

Chame tudo em sua experiência de boa. Você tem muitos que o observam. Você tem muitos que ouvem o que você tem a dizer. Talvez eles ouçam apenas uma palavra, mas pode ser o catalisador certo e perfeito para o seu despertar, para entenderem que são muito mais do que apenas o corpo.

Você não precisa saber o que eles ouvem. Mas você faz isso o tempo todo. É um presente que você dá de graça, e é aceito por aqueles que estão procurando exatamente por esse presente. Muitas vezes, você anda e não tem idéia do que você acabou de fazer, e você não precisa saber. Você é o professor, o mestre, o amante que só dá amor, apenas sorrindo.

E você diz: “Bem, sim, o sorriso não é realmente um presente tão grande.” Ah, sim, é. Pode mudar o dia de uma pessoa. Ele pode mudar sua vida porque você sorriu. Isto faz a diferença. E quando você chega ao fim de uma certa vida, seus amigos irão se lembrar de seu sorriso, de seu apoio, de seu amor, e eles dirão: “Essa foi uma vida bem vivida”.

Que assim seja.

Jeshua ben Joseph (Jesus)

expressando-se através de Judith
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br  

O RITMO DA TERRA

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe
em maio de 2018  

Querido Amigo, Eu sou Jeshua e o saúdo.

Quero-lhe muito bem e o respeito muito por sua coragem e perseverança. Como ser humano, você é vulnerável: na falta de conhecimento, na sua busca, nos novos caminhos em que se aventura…. Percebo em você o medo, o anseio, a saudade da luz, da segurança e da liberdade. Você está sempre buscando e, de vez em quando, se perde em caminhos que foram traçados pela sociedade, pelas vozes do medo que falam sobre não ser bom o suficiente ou não ter o suficiente, e da necessidade de proteção. Estas vozes falaram tão alto no passado, que o penetraram profundamente e se tornaram mais altas que a voz do seu coração, a sua voz interior. Você está lutando contra as vozes do medo, as vozes do passado.

Respeito-o por ter assumido essa luta, essa luz, essa busca. Você deu um salto de fé e isto exige coragem e entrega. Portanto, respeite-se e compreenda que o que você está fazendo aqui, em sua vida na Terra, faz parte de um todo maior. O que você faz tem um efeito nos outros, em toda a rede de vidas e almas com os quais você está envolvido. Este efeito é maior do que você imagina. Você irradia para outras partes do mundo, para outros seres vivos, sem saber disto. Você é maior do que pensa.

Na maior parte do tempo, sua consciência está voltada para os seus medos, seus problemas e as preocupações que o mantêm ocupado no seu dia-a-dia. Mas a energia da sua alma é muito maior; muito mais vasta e ampla do que as questões pessoais que o preocupam e com as quais você se identifica.

Peço-lhe que tome consciência, agora, do ser infinito que você é. Sua alma escolheu esse corpo para nele se manifestar nesta vida. Ao escolhê-lo, escolheu também seus pais, a família na qual você nasceria e as condições nas quais seria criado. Sua alma se rendeu voluntariamente e se deixou comprimir e se enredar na teia tecida tanto pelo medo quanto pelo amor. Por intermédio dos seus pais e, mais tarde, do mundo à sua volta, dos seus relacionamentos e ambiente de trabalho, você se deparou com o medo, a limitação e a escuridão.

Entretanto, sempre houve e haverá a presença do amor, que você só consegue encontrar se assim escolher. Se estiver bem consciente do seu próprio centro, você consegue enxergar através dos medos, máscaras e ilusões do mundo que o cerca. Em vez de se concentrar nas suas preocupações, e no que considera suas deficiências, você passa a se conscientizar da luz que sempre esteve presente e que brilha dentro de você; a luz que vem de um mundo diferente, um mundo que não é limitado pelo medo, julgamento nem escassez. Sua tarefa mais importante na Terra é encontrar essa luz dentro de si mesmo e nutri-la, dando-lhe mãos e pés terrenos para que ela possa realmente fluir na Terra e para a Terra. Este é o seu propósito verdadeiro; todo o resto é secundário.

Agora se conecte com seus pés, sinta-os no solo e sinta-se sustentado pela Mãe Terra. A Terra, como ser vivo, é sua aliada. Sinta a vibração dela, o silêncio da natureza, a fluidez tranquila com a qual os processos da vida se desenrolam. Sinta a essência da Mãe Terra nos seus pés e abaixo deles. A Terra acolhe você e ama-o como a um filho. Ela quer que você tenha tudo de que necessite; acima de tudo, ela deseja ajudá-lo a descobrir sua própria luz, pois ela precisa da sua luz. A Terra se torna inspirada e fértil através da sua consciência; você é um criador, e a Terra deseja recebê-lo. Sinta como a Terra o ama. Sinta seu fluxo maternal subindo pelos seus próprios pés e panturrilhas; sinta seus joelhos e coxas, e perceba como a essência da Terra – a consciência da Terra – preenche seu baixo ventre, sua área pélvica.

Imagine que você voltou a ser criança e sabe que está sendo cuidado e sustentado, e não precisa se preocupar se está ou não seguro. Na verdade, é assim que realmente é: você está em segurança nos braços da Mãe Terra. Se o permitir, ela cuidará de você do seu nascimento até sua morte. Se estiver sintonizado com ela, estará conectado com o ritmo que é correto para você. Todos os processos da vida e de crescimento interior têm um certo ritmo, uma cadência. Seu ritmo só falha por causa dos seus medos ou porque você não acredita nele e não o escuta. São as energias da cabeça que interferem com o fluxo natural da sua vida; portanto liberte-se desses julgamentos mentais.

Desça, em consciência, à sua cavidade pélvica e sinta a voz suave da Mãe Terra; acalme-se e descanse aí! Imagine que sua cavidade pélvica é o próprio útero da Mãe Terra e você está sendo embalado, como numa rede que balança suavemente de um lado para o outro. A intenção é que você se sinta seguro na Terra, porque, só assim, poderá se desenvolver do seu próprio jeito. Desenvolver-se é como o lento desabrochar de uma flor frágil que carrega em si a energia de um mundo diferente. Essa flor precisa de tempo, nutrição apropriada, proteção e estabilidade.

Agora imagine que você se cerca dessas energias e se dá o espaço necessário para crescer da maneira que mais lhe convém. Observe se, neste momento, você sente uma necessidade especial de descansar. Sinta isto por uns instantes. Descansar não significa não fazer nada. Na maioria das vezes, significa dar atenção a si mesmo, às suas necessidades reais. Inclusive, é possível que você queira fazer alguma coisa que deseja fazer há muito tempo, mas tem negado a si mesmo. Talvez agora seja o momento certo de nutrir sua alma. Coloque esta pergunta para a Mãe Terra.

Imagine que você está se balançando suavemente numa rede. Ela é segura e você está relaxado. Então aparece um animal da natureza, que lhe traz uma mensagem… essa mensagem é uma energia, uma energia curadora. Receba-a e fite os olhos desse animal; aceite-o como um guia da Mãe Terra.

Você está aqui na Terra para dar forma à energia da sua alma de uma maneira terrena, e isto só é possível se você se sentir em casa na Terra. Você, como todos os seres humanos, carrega uma bagagem do passado que torna isso difícil, e faz com que você se sinta inseguro em seu corpo quando está entre outras pessoas, ou até consigo mesmo e suas emoções – eu posso ver isto.

Existe uma luta causada pelo abismo entre a luz, o calor e a segurança de um lado, e o medo e o frio que você vivencia do outro. Entretanto, apelo a você, à consciência mais profunda no seu interior, que acredite que a luz, o calor e a segurança são mais fortes do que o medo e o frio. Você pode sentir isto no seu dia-a-dia, conectando-se com a Terra, a natureza, e o seu próprio baixo-ventre e pélvis.

Ali há segurança, ali existe amor, e ali você encontrará as respostas que procura – elas vêm do repouso e do relaxamento. Nunca se conecte com as respostas que vêm da sua cabeça. A partir da conexão com seu ser terreno, com sua natureza terrena, é que você pode realmente entender, confortar e encorajar a si mesmo. Entregue-se à Mãe Terra! Este é o primeiro passo para se tornar completo.

No momento em que experiencia a segurança básica, você consegue escutar a voz do seu coração, claramente audível, como se fosse o cantar de um pássaro. Você também pode trazer para esse espaço a paciência para deixar as coisas se desenrolarem e se desenvolverem à maneira delas. Siga o ritmo da Terra e tenha compaixão de si. Mesmo que às vezes se sinta perdido no medo, no frio e na ignorância, você tem uma luz grandiosa em seu interior, e a Terra acolhe com prazer a sua luz e você.

Agora sinta essa luz radiante em seu coração: uma consciência pura e fresca. Sinta de onde você veio, sinta os lugares do Universo onde você já esteve – você tem um passado rico. Você possui muito conhecimento e experiência, que podem ser compartilhados agora com a Terra e as pessoas à sua volta. Não tenha medo. Você é um portador de luz, e é isto que você deseja ser. Sinta essa luz no seu coração. Sinta como essa luz o une a todos os outros seres vivos: aos humanos, aos animais e a toda a natureza.

Reverencie essa luz que há dentro de você. Sinta que ela é maior do que a sua personalidade e as suas preocupações. Estas têm direito de existir, mas, ao mesmo tempo, sinta a fonte inesgotável de luz no seu interior. Deixe agora essa luz lavar você e limpar seu campo de energia, como uma fonte jorrando do seu coração. Sinta a luz se derramar sobre a sua cabeça e ombros, descendo pela parte superior do seu corpo, para sua pélvis, suas pernas e pés e, finalmente para dentro da Terra.

Muito obrigado pela sua atenção.

-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

O MURO

image

Mensagem de Yeshua
canalizada por Judith Coates
14 de Julho de 2018  

 
Amado, eu gostaria que você soubesse que a palavra “amigo” é uma derivação de outra palavra que significa “igual”. Você é igual a mim. Agora, eu sei que seus santos Padres disseram: “Bem, isso não pode ser. Um Yeshu’a, um Jeshua, um Jesus passou algum tempo com você ensinando-lhe”- na verdade, eu não ensinei; Eu invoquei o que você já sabia – “então ele permitiu que o corpo fosse arrebatado, e houve uma Luz muito bonita, e ele ascendeu ao que foi conhecido como o Céu. Ele está separado e acima de você, sentado à direita de Deus no Céu ”.

Agora, eu falaria com você sobre o céu, porque o céu não está lá mais em cima do que abaixo. Sei que seus santos Padres lhe disseram: “É melhor ouvir as palavras que falamos para você. E se você fizer o que todos os professores mais bem versados ​​lhe dirão, você irá para o céu; você irá ascender. Ai de você se você descer, porque há o poço de fogo que queimará todo o lixo e fará de você a Luz novamente. ”

Mas na Verdade, não há lugar algum que você possa ir além do que e onde e quem você é agora. Aqueles que liberaram o corpo se percebem despertos; eles ainda estão vivos. Eles ainda estão conhecendo a existência. Eles ainda estão sabendo.

Na verdade – agora, ouça isso bem – eles o ouvem muito melhor depois de terem liberado o corpo do que quando você estava no corpo e focado em algo que você queria dizer, pensar, ser absorvido. Quando não há o corpo para ter que arrastar, eles estão muito na Totalidade do Espírito.

Então você pode ter um ente querido que tenha liberado o corpo, feito a transição, como você quiser chamá-lo, e você sente que há uma presença. Você sente, talvez, “Oh, isso parece com ______”, e você sente a presença dele, sente a energia dele. É muito, muito verdadeiro que ele está com você, porque… você se lembra? Você se lembra da única declaração abrangente que fiz repetidas vezes? Porque não há separação. Eu tento reforçar essa verdade toda vez que falamos.

Então você pode sentir que alguém liberou o corpo, e você pensa: “Oh, não, eles foram embora, e eu não posso falar com eles. Eu não posso ouvi-los. ”Não, isso é pensamento limitado. Eles estão ao seu redor, muito mais ligados a você do que nunca, quando havia foco no corpo; muito mais abertos e receptivos ao que você está sentindo, ao que você está pensando, ao que você está questionando.

E eles ficam muito felizes quando você está feliz. Quando você está passando por um momento triste e lúgubre, sentindo falta deles, eles tomam isso como um elogio, mas eles não desejam que você permaneça naquele espaço, porque a vida se trata de viver. A vida se trata de alegria.

No entanto, ao passar pela vida humana, você terá pontos de interrogação. Você terá muros que você enfrenta. Você vai ter momentos em que você se pergunta: “Como eu ultrapasso este muro? Como eu fico embaixo deste muro? Como posso me aproximar deste muro? ”Você chega a um espaço onde sente que está sendo retido, que foi detido; Você quer saber mais; você sabe mais, mas quer saber como conseguir isso.

Como você encontra esse espaço? Respirando fundo. É assim que começa. Essa é a chave que destrava a porta na parede ou que colocará para você a escada para que você a escale. Você começa com uma respiração profunda que diz: “Ok, o que quer que esteja acontecendo, eu paro”.

A mente gosta de continuar com todas as perguntas de: “Como vou fazer isso? Com quem irei falar que vai ter a resposta? Para onde eu vou daqui? ”E tem que ser lógico, a mente diz. Às vezes as respostas não são lógicas. Às vezes eu o vi … você obtém a resposta e diz: “Ah, não, não pode ser assim tão simples”.

Então você se permite continuar respirando. É uma coisa boa contanto que você esteja ativando um corpo. Então você permanece no espaço da paz, o espaço que diz: “Ok, eu não tenho que colocar muito stress em mim mesmo.” Na verdade, quando você faz isso, muitas vezes isso mantém a resposta lá fora em algum lugar, e você não está sendo receptivo a ela.

Quando você chega ao espaço do muro, muitas vezes você sente: “Eu não sei o que está do outro lado do muro. Eu só sei que não posso voltar. Eu tenho que seguir em frente. Há esse muro na minha frente e eu preciso de algumas respostas. ”Você já disse isso? Claro, muitas vezes. Você perguntou aos seus amigos, aos seus professores, foi à bibliotecas, estudou nos livros e pode ter encontrado uma resposta.

Então você continua mais alguns dias ou anos, e às vezes você vem contra outro muro. E você diz: “Eu pensei que já tivesse superado isso.” Você se vira e olha em volta, e com certeza, você passou por esse muro, mas aqui está outro. Então, o que você faz? Você respira fundo e permanece em paz. Você respira fundo e se permite permanecer em paz até que haja um esclarecimento de uma idéia.

Mesmo que não seja a resposta completa, você avança com a parte da resposta que está recebendo. Pode ser uma sugestão para que você vá falar com alguém. Você não está realmente certo do porquê. Você se sente muito constrangido com isso, mas você vai até a pessoa e diz: “Eu preciso falar com você por um minuto. Isso é o que está acontecendo comigo, e tenho a sensação de que você tem a resposta. ”

E a outra pessoa provavelmente dirá: “Eu não acho que tenho a resposta para você”. Mas então você começa a falar, e quando você o faz, você compartilha, e algo irá levar como se fosse uma associação para outra e para outra, até você ver que, “Ok, eu realmente não estou preso. Eu posso seguir em frente, mesmo que seja apenas por centímetros. ”Às vezes é assim que é; é apenas uma polegada de cada vez.

Ou outras vezes parece que você vai adiante aos trancos e barrancos, e você sente: “Graças a Deus. Eu me senti tão retido por tanto tempo, e agora vejo o que posso fazer.” Há uma exultação, um sentimento de “Uau!” E você segue em frente.

Agora, na verdade, você nunca vai para trás. Você tem isto atrás de você, a experiência do que você fez, e você traz isto com você, porque é e tem sido um ensinamento que você fez para você, uma experiência, e toda encarnação lhe trará experiência; cada encarnação, não importa a forma que você escolher.

Você pode optar por ser a abelha. Você não precisa ser humano para conhecer a vida. Você pode ser o mosquito que nem todo mundo adora ter em casa. Ou você pode ser a águia que voa alto. Ou você pode ser um dos irmãos do espaço. Como você acha que chegou aqui para viver na sagrada Mãe Terra? Por pensamento, sim, mas pelo pensamento da viagem espacial. Já pensou nisso, já se perguntou – eu sei que você já o fez: Você se perguntou como chegou aqui? Como surgiu a primeira forma da sagrada Mãe Terra? Pelo pensamento e forma, porque a forma segue o pensamento.

Então você já foi o irmão/irmã do espaço? Pense nisso. Certo. Por que não? Você não está limitado. Qualquer coisa em que você possa pensar, você foi e é muito mais. Muitas coisas você acha que não experimentou. É por isso que é divertido fazer certos exercícios em que você entra na meditação ou você entra no que é chamado de hipnose regressiva e volta ao que parece ser uma vida anterior onde você esteve. Às vezes você experimenta o que parece ser uma forma muito estranha, e ainda assim qualquer coisa em que você possa pensar, você pode experimentar e você pode ser.

Então, quando você está aqui e parece estar contido em um corpo, isso é apenas uma experiência. Se você consegue pensar – e eu sei que muitos de vocês e irmãos e irmãs que gostam de ficção científica – surge uma idéia, de onde veio essa ideia? Veio de você. Veio do que você fez e experimentou; do contrário, não estaria dentro do seu conhecimento.

Então, quando seus programas de entretenimento aparecem e parecem estar bastante “lá fora”, você fica muito animado com eles porque, “Oh, uau, o que vai acontecer? Como eles podem fazer essa viagem espacial? Esse espaço expansivo … – todos aqueles anos-luz que eles estão me dizendo que é necessário para viajar de uma galáxia para outra. Bem, se você imagina que todas as viagens são pensadas, isso diminui um pouco.

Qualquer coisa que você possa imaginar – e muito mais – você já experimentou. Portanto, nunca abandone ou rejeite uma ideia que chegue a você. Ela chega para ajustar sua memória quanto a quão expansivo você é. Você não está contido dentro do corpo. Você o usa, tanto quanto você pensa que pode; você o usa, mas não é tudo de você. A grande maioria de vocês não está contida, não pode ser contida. E você sabe disso, porque você sonhou em correr nos campos. Você sonhou em voar. Você sonhou com outras existências. Então você acorda e diz: “Ah, mas foi apenas um sonho”.

Eu lhe pergunto, de onde vem o germe de um sonho? A partir do pensamento, e o pensamento muitas vezes é baseado no que você já experimentou fazer e ser.

Quando falei com minha amada amiga e professora, a que você conhece como Judith, que meu tema nesta noite seria “O Muro”, ela me perguntou: “Isso tem alguma coisa a ver com o projeto político que está sendo amplamente divulgado? ”E eu disse:“ Bem, é claro. ”Tudo está dentro do reino do pensamento, e é aí que está o muro; está dentro do reino do pensamento. Será? Para alguns de vocês, será uma realidade parcial.

Eu vou lhe pedir que faça algo divertido. Coloque-se no futuro daqui a vinte e cinco anos. Haverá necessidade de um muro como o que está sendo considerado agora? Provavelmente não. Eu sugiro a você que em vinte e cinco a cinquenta anos de seu tempo, o que você vê como países separados como o Canadá, Estados Unidos, México, alguns da América Central, todos serão unidos como um só. Eles podem ser como os estados de seus Estados Unidos: autônomos em algum grau e ainda parte de um todo maior.

Vocês, como um coletivo, irão se cansar de estar contra alguma coisa. A ideia de Unidade já está germinando. Então, aqueles de vocês que estiveram assistindo e seguindo toda a conversa – e é isso que é agora – permitam-se avançar alguns anos e saibam que as comunidades que vocês têm agora estão mudando; elas já estão mudando.

As energias conflitantes que você observa agora são muito como falamos muitas vezes sobre a muda enquanto ela está germinando e subindo pela crosta do solo. É difícil. Faz uma bagunça das coisas. Quando essa pequena muda surge, ela empurra a sujeira que se afasta. Isso muda tudo. É preciso muita energia para surgir e deixar de lado tudo o que existiu de certa forma que parecia que sempre iria ser assim, e ainda assim a muda diz: “Mas eu devo crescer. Eu devo florescer. Eu devo ser.”

É onde você está agora. E aqueles que se lembram das vidas de ser não apenas a muda, a consciência, a consciência expandida; aqueles que se lembram de como é estar no verdadeiro amor e amizade com os outros, você está dizendo: “Por que não podemos ter isso agora?”

Porque existe uma crença no processo, no tempo, que diz: “Bem, tem que haver um começo. Tem que crescer. Tem que germinar um pouco. Tem que subir pelo solo. Tem que ser um processo.

Mas pensei… que coisa excitante. O pensamento pode ser muito rápido, muito rápido, ir de uma ideia a uma manifestação. Se você olhar para o processo que está acontecendo do meu ponto de vista, é muito rápido.

Então, eu ouvi alguns de vocês dizendo, “Mas Yeshua, se eu tiver apenas um certo número de anos nesta vida, eu ainda irei estar ativando o corpo quando isso acontecer, porque parece que vai ser muito tempo a partir de agora. ”

A resposta para isso é: “Como você desejar.” Se você quiser prolongar a vida útil ou se quiser reciclar e voltar, criar uma forma novamente … ou você pode dizer: “Bem, eu já visualizei isso, e eu realmente gosto do que eu visualizo, então talvez eu não tenha que fazer isso de verdade. Talvez eu saiba apenas que isso irá acontecer.

Veja, de onde você está a qualquer momento, há mais caminhos do que você pode contar a partir desse ponto; potenciais. E aquilo que você pode visualizar, imaginar, brincar, tudo isso, na verdade, já aconteceu. Mas é divertido vivê-lo, e é por isso que você faz isso. É divertido experimentá-lo.

Você sabe voar? Como se sente ao voar, estar acima e ter a perspectiva de ser capaz de olhar para todas as pequenas criaturas que estão correndo pela superfície da Terra? Você pode imaginar isso. Você provavelmente já esteve no avião e olhou para baixo. Se não, você lembra como é da nave espacial.

Você sabe como é fazer a meditação certa e ir até a colina gramada, ir até à árvore, ir para a nuvem, olhar para o prado verde. Você sabe como é; o rio que está correndo, o prado verde, o pássaro que fica na árvore. Como você sabe disso? Porque você já esteve lá, fez isso.

Como é ser elegante como um gato e pular do parapeito da janela e se mover com facilidade e graça; como um gato pequeno ou como um grande leão? Você sabe que o pequeno quadrúpede – você o chama de pequeno – acha que ele é tão grande quanto o leão? Por que não?

Existe um conhecimento. E como eu já perguntei, como você tem esse conhecimento? Ele existe porque você já esteve lá, fez isso. É na verdade uma lembrança. E você tem um professor sábio que lhe disse que tudo o que você faz aqui é feito em memória; não em memória de mim. Se você quiser se lembrar de mim, tudo bem, mas você não tem que fazer isso em memória de alguém que aparentemente está acima de você. Eu não estou acima de você. Somos iguais; sempre seremos, sempre fomos. Nós somos da única Mente – com“M” maiúsculo. Isso é tudo.

Então, quando você chegar àquele lugar onde parece haver um muro à sua frente, “Você sabe, eu gostaria de mudar minha rotina diária. Eu gostaria de estar realmente fazendo algo onde eu pudesse usar mais meus talentos, mais o meu pensamento, mais as minhas idéias expansivas. Eu nem me importaria de ter um trabalho em que eu pudesse estar. Pode ser bom.”

Coloque-se daqui a um ano; talvez nem tanto tempo assim. Visualize. Porque eu direi a você que, com toda a probabilidade, daqui a um ano você estará fazendo algo muito diferente do que está fazendo agora. Você irá estar se expandindo, desenvolvendo-se, divertindo-se mais e mais fazendo o que seja o novo empreendimento. Até certo ponto de uma vida, você parece estar acumulando experiências, conhecimentos, idéias, técnicas. Você vai à escola e eles ensinam como é a forma aceita de escrita, a forma aceita dos sons das palavras, e você diz: “Ok, você sabe, eu vou concordar com isso. Irei estudar, irei aprender.

Você está vivendo em um momento muito emocionante, porque a consciência está pronta para saber o que está além do muro. Você está em um lugar onde você sabe que nenhum muro poderá retê-lo. Você é o único que construiu o muro, então, portanto, ele tem que lhe obedecer.

Agora eu sei que às vezes os muros podem parecer muito grossos. Houve muitas vezes, como está registrado em seus textos sagrados, que eu ia a um jardim e comungava com o Pai, como o chamava – o Pai, porque era uma sociedade patriarcal, e o pai era visto como o Provedor. Como eu compartilhei com você em outros momentos, se tivesse sido uma sociedade matriarcal, teria sido a Mãe.

Então eu comunguei. Eu disse: “Veja, há certas pessoas nesse grupo, o grupo expandido, esse grupo religioso, que não gosta muito do que estou dizendo. Eu sei que eles não gostam de mim, e eles gostariam que eu simplesmente parasse de compartilhar, mas eu não posso. ”Há dois mil anos, eu estava falando sobre algumas das mesmas coisas? Sim. Você compreendeu as idéias então? Sim. Por que você está de volta agora? Dê-me uma resposta para isso. Por que, se há dois mil anos você teve um vislumbre do que eu estava compartilhando com você, por que você está de volta agora?

Para explorar todas as possibilidades das ideias, que é o que você está fazendo agora, com a exploração de novas dicas, ideias que chegam até você e você se empolga com elas. Você acorda de manhã e pensa: “Hmm, eu me pergunto o que era aquilo quando ele disse isso ontem e eu estive pensando sobre isso”, e surge uma nova ideia. Às vezes você fica muito empolgado com isso e quer compartilhá-lo com alguém, e você o faz.

E é assim que a consciência muda – em um instante. Uma ideia vem, e não será silenciosa até que você brinque com ela, até que você diga: “Ok, eu estou subindo neste muro com essa idéia que acabou de chegar a mim. Estou animado com isso. Eu realmente quero ver até onde isso irá. Eu quero ver o que acontece.”

O muro é de sua própria criação. E se for da sua criação, quem pode mudar isso? Você quer me chamar para mudar isso para você? Eu tenho novidades para você. Eu só posso fazer por você o que posso fazer com você. Isso é o quanto você é poderoso.

Seus mestres religiosos, seus santos Padres lhe ensinaram por um longo tempo que vocês eram minúsculos vermes do pó, que você não sabia como sair e você não sabia como entrar, que você tinha que procurá-los por conselhos. Às vezes, o conselho o mantinha em um contêiner, impedia que você pensasse que poderia ser qualquer coisa além do que você era; não entendendo o quanto você é e até onde você pode ir.

Mas isso está mudando. Quando você sentir que chegou a um muro; escale-o. Suba o muro. Saia da bengala; ande pelo muro. Pegue o balão e passe por cima: da maneira que você quiser.

E saiba que você nunca faz nada sozinho. Sempre há ajuda. Estou sempre aqui para ajudar. Os mestres, os professores, aqueles que você conheceu em outras vidas, os que escreveram os livros nesta vida: vocês são professores uns para os outros. Compartilhe o que você sabe. Compartilhe o que você está questionando, porque às vezes as respostas surgem das perguntas.

Entusiasme-se com a vida. Vá em frente, como dizem. Anime-se. Saiba que não há muro muito alto, muito espesso, muito longo. Respire fundo e diga: “Eu vou” e, com isso, um milagre acontece. O muro desaparece.

Que assim seja.

– Jeshua ben Joseph (Jesus)

expressando-se através de Judith
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br

TERAPEUTA E PACIENTE

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe
em maio de 2018  

Querido amigo,

Eu sou Jeshua, e o saúdo hoje. Estou perto de você em meu coração, porque estamos profundamente conectados um ao outro. Existe um nível no qual nós somos um em consciência, uma consciência indivisa, livre, grandiosa e criativa, que é nosso verdadeiro refúgio.

Você está aqui, manifestado em uma forma corporal, localizada no tempo e espaço, mas é muito mais do que isso, e lhe peço que se conecte com essa consciência maior, indefinida e mais ampla, que o conecta com a sua origem, com o seu Lar.

Sinta Deus dentro de si, e perceba como esta energia é realmente simples. Deus não está acima de você, ele é uma energia que flui através de você, através de toda a vida na Terra, e até através dos objetos e coisas materiais que o rodeiam. Deus é tudo, e Deus não se sente limitado por formas. Deus é consciência pura e não adulterada. Entretanto, o poder divino deseja vivenciar todas estas formas diferentes, todas estas manifestações no tempo e espaço.

Sinta agora, por um momento, quem você é em todo esse fluxo… uma centelha de luz num imenso oceano de consciência, mas uma centelha de luz imperecível, que oferece uma contribuição única para o todo.

Sinta o poder indestrutível dentro de si, que sempre é, sempre foi e sempre será a centelha da vida eterna. E nessa centelha de luz, você é parte do Criador, parte de Deus. Você possui uma consciência criativa, e escolhe as experiências da sua vida, o caminho de vida com o qual você se compromete. Nas profundezas do seu ser, há um ponto central, no qual você está consciente do projeto da sua vida e atrai as coisas que deseja experimentar a fim de se desenvolver e aprender.

É por isto que, essencialmente, você nunca é vítima do mundo. Em essência, você nunca é totalmente impotente ou vulnerável, porque, no fundo do seu ser, essa centelha de Deus está presente, essa centelha de Deus que diz “sim” para tudo que você está passando em sua vida, e que, inclusive, sabe que você é capaz de aprender e se desenvolver a partir dessas experiências e se tornar maior e mais inclusivo.

Diga “sim” para essa força dentro de você, essa fonte de luz através da qual você atraiu para si a vida que você vive agora, com tudo que faz parte dela. Você disse “sim” uma vez e, internamente, sabe que possui o poder de realizar essa vida, esse destino, de uma forma positiva, lembrando-se de quem você é, em meio às suas preocupações terrenas, no seu dia-a-dia, em que enfrenta problemas e resistências. Voltar para o Lar, para si mesmo, e compartilhar esse conhecimento e luz com outros, lhe trará a mais profunda satisfação.

Você deseja ser terapeuta espiritual, o que significa que deseja espalhar luz e consciência na Terra, a partir da sua alma. E este é um desejo puro e autêntico do seu coração e da sua alma. Isto vem diretamente da centelha de Deus que você é, porque, para Deus, é natural compartilhar alegria, sabedoria e entendimento. Isto faz Deus feliz, e faz você feliz, porque você é Deus em seu coração e em sua alma.

E agora você pergunta: “Como exatamente se faz isso?…’espalhar a luz’, oferecer cura aos outros?” É sobre isto que desejo falar hoje, porque na sua sociedade, existe uma estranha dicotomia entre doente e saudável, inteiro e fragmentado. O terapeuta supostamente se encontra do lado saudável, aquele que é inteiro e oferece luz e cura aos que estão fragmentados ou doentes.

Visto por esta perspectiva, o terapeuta é maior e está muito à frente, enquanto o paciente está atrasado e é menor. E o maior tem algo que o menor não possui e que ele compartilha com o menor. Entretanto, do ponto de vista espiritual, esta é uma imagem falsa. O que acontece, então, é que, mesmo antes de a pessoa ser tratada por um médico ou terapeuta, ela já está se apresentando como menor do que aquele que a irá tratar, ou seja, o paciente tem um problema e vai ao terapeuta para que este lhe ofereça uma solução.

Esta imagem do relacionamento entre terapeuta e paciente permeia toda a assistência convencional à saúde. O médico que você procura tem o “conhecimento e competência” e, portanto, você, como paciente, é menor e inferior a ele, porque precisa do conhecimento dele (de algo que está fora de você), para ficar bom. Involuntariamente, este modelo também é usado com frequência na “saúde mental”. Gostaria de sugerir que você arrancasse esta imagem “pela raiz”, porque é uma ideia completamente falsa de como é um relacionamento entre paciente e terapeuta.

A verdade é justamente o contrário: você é um bom terapeuta, se souber fazer-se pequeno e devolver, àquele que vem buscar sua ajuda, a grandeza dele. Isto é algo que essa pessoa perdeu involuntariamente.

Uma pessoa que tenha problemas espirituais graves está, de certa forma, convencida de que é impotente, de que não consegue suportar a resistência e negatividade da vida, e, por isto, sente-se pequena e indefesa. Você, como terapeuta espiritual, é aquele que convida essa pessoa a reencontrar e experimentar novamente sua própria força. Você a encoraja a descobrir sua própria grandeza, e manter acesa sua centelha divina interior. E como faz isto? Não é lhe oferecendo algo que a faça sentir-se melhor, alguma coisa que venha de fora dela, mas acreditando no poder da alma dessa pessoa. Você faz isso conectando-se com a alma dela, e, a partir daí, mostrando-lhe, através dos seus olhos, de suas palavras, gestos e olhar, que acredita nela; mostrando-lhe que você reconhece a força, a beleza e a sabedoria de sua alma. E graças a esse reconhecimento, e através da sua fé e confiança no que essa pessoa realmente é, ela também recebe esperança e confiança.

Este é o caminho da cura espiritual: devolver ao outro a grandeza dele mesmo. É tentar, de várias maneiras, reconectá-lo com o poder de sua própria alma e, inclusive, desta forma, devolver-lhe totalmente a responsabilidade. A grande força do trabalho espiritual é mostrar à outra pessoa que ela é a única responsável por seu próprio caminho de vida, e que sua necessidade de cura não é um ponto de fraqueza; que o que ela está enfrentando não é algo que ela não possa administrar, que justamente a aceitação da responsabilidade é que poderá ajudá-la a libertar-se de seus fardos.

Devolver ao paciente a responsabilidade por sua própria vida não quer dizer abandoná-lo à sua própria sorte. Significa que você o encoraja a descobrir e experimentar o poder que existe dentro dele; a perceber que ele é muito maior, mais sábio e mais poderoso do que imagina. Ser um terapeuta espiritual significa receber o outro de alma para alma.

Visto da perspectiva humana, pode parecer que você é mais forte ou sabe mais do que a outra pessoa, e que ela está em apuros e precisa da sua ajuda. Mas do ponto de vista da alma, vocês dois estão em um caminho e, neste momento, uma alma tem mais dor do que a outra, o que não tem nada a ver com o caminho no qual se encontram como almas, nem com o nível de realizações de cada uma. Simplesmente uma alma fez uma escolha diferente da outra. Portanto não há nenhum julgamento a ser feito, e também não é útil fazê-lo.

Você realiza um trabalho espiritual porque, no nível da alma, deseja compartilhar a luz. O que acontece, quando faz este trabalho, é que a sua luz interior brilha mais intensamente e você experimenta uma satisfação profunda. Neste sentido, não é tanto o que você faz pelos outros, mas algo que você realiza porque é seu destino realizá-lo, da mesma forma que uma flor em botão deseja desabrochar. É por isto que você faz isso; é simplesmente o curso natural dos acontecimentos. A luz sempre deseja irradiar e aumentar.

Portanto, o verdadeiro trabalho de luz é irradiar sua luz para os outros sem nenhum julgamento. Você não tenta resolver os problemas do seu paciente, porque isto é algo que você não pode fazer, e esta não é a sua intenção. Você permite que sua luz se irradie sobre a essência dele, ajudando-o a despertar para sua própria essência, para sua própria luz. Isto é a coisa mais importante que você pode fazer por outro ser humano. E quando isto se torna disponível por seu intermédio, você descobre imediatamente um aumento de alegria nesse ser, porque ele pode se aproximar mais da sua própria essência, da sua própria força vital, que lhe dá coragem e confiança. Nada pode incutir mais coragem e confiança numa pessoa, do que sentir que ela é o mestre de sua própria vida, e é capaz de moldar sua vida a partir da sua própria força interior.

E eu gostaria de acrescentar mais uma coisa: percebo que você, que faz este trabalho espiritual ou deseja fazê-lo, às vezes tem dificuldade para liberar a energia negativa da outra pessoa, sua dor e sofrimento. Tanto que às vezes fica oprimido pelo sofrimento do outro e até se sente sobrecarregado por ele. Nesse momento, você se afasta da sua própria grandeza, da sua centelha divina, e desliza para o seu lado humano. Você salta para seu modo antigo: “Ai! Essa pessoa precisa da minha ajuda! Não posso suportar isto, tenho que lhe estender a mão!” Veja o que esta abordagem faz para a outra pessoa: você a considera pequena e indefesa, uma vítima que é preciso salvar. Mas, ao agir assim, você realmente não faz justiça a ninguém e, no fim, não ajuda em nada.

Manter-se verdadeiramente em seu poder como ajudante espiritual significa dar um passo para trás. Como ser humano, você pode ser tentado a dar um passo à frente e querer suavizar a dor do outro. Mas como ajudante espiritual, como alma, você dá um passo para trás. Você se mantém totalmente presente, tem compaixão pelo outro e geralmente entende muito bem o processo pelo qual ele está passando, mas não se deixa envolver por esse processo. Você se mantém fora do problema. Você é um farol de luz e, ao retroceder, demonstra que é possível não ser atraído por pensamentos que envolvam pequenez, fraqueza e desamparo. Dando um passo para trás, você abre espaço para a outra pessoa assumir sua própria força. Você a encoraja a assumir essa força, embora esta atitude possa ir contra tudo que você aprendeu como ser humano.

Esta abordagem pode parecer dura ou cruel, mas não é, se a enxergarmos do ponto de vista da alma. Imagine que você se encontre num momento de muita fraqueza, no qual vivencia muita dor e se sente bastante impotente, ou quando a vida parece demais para ser suportada. O que lhe pode ser mais útil? Alguém que lhe ofereça ajuda a partir do nível vibracional no qual se encontra e, desse nível, lhe dê um tapinha nas costas? Ou alguém que tente ajudá-lo partindo da ideia de que você não é capaz de fazer isso por si mesmo?

Como ajudante, você geralmente dá conselhos bem-intencionados a partir da sua própria visão de como resolver o problema da outra pessoa. Mas não alcança realmente a alma dela, porque não está conectado a ela no nível da alma.

Pense nos momentos em que você se sente extremamente vulnerável, triste ou ansioso. O que mais o ajuda nessas horas é alguém que continua acreditando no seu poder, que ainda continua percebendo a força da sua alma, do seu ser, mesmo que você não se enxergue totalmente dessa maneira. Este é o verdadeiro trabalho de um terapeuta espiritual. E isto algumas vezes significa ter que se apegar à imagem da outra pessoa como um ser poderoso, criativo, livre e amoroso, mesmo que ela não seja capaz de fazer isto sozinha.

Pode significar que você tenha que esperar pacientemente, enquanto mantém essa imagem em mente. Mas é essencial, no nível da alma, que ambos permaneçam como iguais. Senão, você desliza de novo para a antiga imagem do maior comparado ao menor, do indefeso diante do poderoso; e esta é uma imagem destrutiva, pois mantém a pessoa afastada do seu poder verdadeiro.

No momento em que se sentir fragilizado pela dor ou negatividade dos outros, lembre-se do que está realmente acontecendo. Tenha a coragem de dar um passo para trás e não veja isto como insensibilidade ou crueldade, mas como uma reavaliação na qual você coloca em perspectiva a verdadeira relação entre você e aquele que está sofrendo. Mantenha-se presente no seu próprio poder, na sua própria luz. Isto é benéfico para você; não só para a sua mente, mas também para as suas emoções e o seu corpo. E beneficia também a outra pessoa, porque, deste modo, você lhe apresenta um farol de luz no qual ela pode se espelhar.

O trabalho espiritual, no qual você se relaciona com outra pessoa alma a alma, requer que você faça uma conexão interior com ela, especialmente com a grandeza dela. E significa, ao mesmo tempo, que você libera completamente a outra pessoa para ser sua própria grandeza. E isto é muito importante que seja lembrado, porque liberar o outro é um ato de confiança e é tão importante quanto fazer a conexão.

Eu acredito em todos vocês. E embora não esteja aqui para resolver seus problemas, estou aqui para dizer que cada um de vocês é uma estrela de luz; que sua luz e irradiação são ilimitadas; que você pode acreditar na sua luz e aproveitá-la, e viver plenamente aqui na Terra. Este é o trabalho de luz para o qual você veio. Obrigado por sua presença.
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br