O QUE É O “CAMINHO DE JESUS”?

image

Yeshua explica …
Yeshua, Jesus Sananda… através de Linda Dillon
04 de abril de 2018  

     
Em nossa teleconferência de sábado, Yeshua falou: “É você se lembrando do nosso acordo e Meu acordo com você para auxiliar, dar suporte, adicionar minha energia, ajudá-lo a se afastar e permitir que você seja aquele vaso a produzir criação e cura e a Nova Terra. ”

Saudações, EU SOU Yeshua, Jesus Sananda, Yeshi.

Bem-vindos meus amados amigos, minha família, meu círculo. Eu abro meus braços para dar as boas-vindas a todos e a cada um de vocês enquanto Eu me junto a vocês em seu caminho, em sua jornada. Pois é uma jornada mútua e é uma jornada de Alegria e é uma jornada de Luz, é uma jornada de desdobramento, de mistério, de suspense e compreensão.

É uma jornada compartilhada e é um caminho compartilhado e sempre foi.

E assim, quero esclarecer e compartilhar mais com vocês o que se entende por este termo “O Caminho de Jesus”, pois é um título atraente, não é? Mas isso significa muito mais.

Há muito tempo a maioria de nós viveu e amou e viajou juntos e nós compartilhamos a jornada do coração dentro e fora do planeta por milhares e milhares e milhares de anos e éons.

Então, o que significa quando viajamos pelo planeta e quando andamos pelas estradas e caminhos empoeirados de Jerusalém, da Galiléia, do Líbano, da Palestina, do Egito juntos?

Nós nos comprometemos um com o outro, não somente com nossos corações mas com nossas missões e nosso propósito de servir a Mãe, sim, sempre e para sempre, mas também agindo como Despertadores e atuando como Âncoras e Portadores de Luz e Amor para este belo planeta. Que nós chamamos e conhecemos como Gaia. Um ser tão incrível.

E durante aquele tempo em que andamos juntos muitas vezes vocês me disseram “Yeshua, como você fez isso? Como você multiplicou o pão? Como você curou essa pessoa? Como você fez esse cego ver? Como você ressuscitou Lázaro? Como você fez? Como você curou? Como você ressuscitou? ”

E Eu contaria a vocês e lhes digo hoje que recuei, na atenção de permitir, não intenção, na atenção de permitir.

De acolher, de abraçar, de permitir que a energia do Puro Amor de Mãe / Pai / Um se movesse através de mim e crie, co-crie. Por que uso o exemplo do pão, do vinho, dos peixes, dos cegos, dos humanos mortos e desaparecidos? Porque a energia e os métodos, a estratégia, a abordagem, são todos iguais.

E Eu diria a você, como eu faço hoje de novo, “Eu nada fiz, Eu permiti. Eu me permiti ser o canal entre a Fonte do Um e as moléculas de pão, as moléculas do homem, as moléculas dos pássaros. Eu permiti que a união acontecesse, mas isso só poderia acontecer porque as moléculas do pão, dos peixes, dos pães, de Lázaro, dos cegos estavam de acordo.

Elas estavam lá dizendo: “Sim, eu vou receber, sim, vou permitir; sim, eu realmente desejo cumprir meu propósito de uma maneira mais elevada, de uma maneira mais completa, no qual é o propósito da farinha e do sal e da água para alimentar.” Então, se tivesse a escolha de sentir um ou dois ou dois mil, a escolha era clara, estava em alinhamento com a missão e o propósito.

Esta é uma verdade fundamental. E eu lhes falei, então, e lhes digo novamente hoje e também, lembro-os, o que lhes disse há muito tempo, “Isto você fará, e mais”.

E é isso que significa “O Caminho de Jesus”.

É você se lembrando do nosso acordo e meu acordo com você para auxiliar, dar suporte, adicionar minha energia, ajudá-lo a se afastar e permitir que você seja esse vaso para gerar a criação e a cura e a Nova Terra.

Não é que vocês estejam Me seguindo, meus amados irmãos e irmãs, é simplesmente o lembrete de que estou andando com vocês, não estou seguindo vocês e não estou guiando vocês, estou andando com vocês. Há espaço suficiente para nós dois e para muitos de nós, para todos nós neste caminho.

E então Eu os lembro, Eu coloco Meu braço ao redor de seus ombros, Eu seguro a sua mão, e Eu lhes acolho.

Este não é apenas o tempo da Ascensão. É você na plenitude de seu papel como criador, co-criador e aceitação do seu papel. Isto não é apenas parte da sua Ascensão; é o resultado, como você diria, da sua Ascensão. E isso não é algo no futuro distante, meus amados, é agora mesmo.

Não é algo na próxima semana ou ontem, é agora.

E quando digo isso, sim, sabemos a referência a “O Eterno Agora” e “estar no presente” e isso é fundamental e essencial, mas quando digo “agora mesmo”, refiro-me ao seu entendimento humano. Eu me lembro quando Minha Mãe me disse “Yeshi, entre na casa agora mesmo”.

Eu sabia o que ela queria dizer.

E então eu lhes digo: “Podemos andar juntos e criar esses milagres de cura, de Amor, de Luz, da Nova Terra e Novo Ser juntos agora?”

Permitam. Tragam a sua atenção, intenção e cada partícula de seu ser para simplesmente serem o canal. Eu ajudarei. Eu adicionarei minha energia a você.

Eu vou segurar sua mão e estou sempre presente com você. Vá com meu Amor e vá em Paz.

Despeço-Me.

-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: Linda Dillon

https://prepareforchange.net/2018/04/04/what-is-the-jesus-path-yeshua-explains/

Tradução: Vilma Capuano  

Anúncios

PRIMAVERA

image

Mensagem de Yeshua/Jesus
através de Judith Coates
9 de Março de 2018  

 
Amado, iremos falar da primavera. Na verdade, você aguarda ansiosamente a Primavera, mas a primavera de que falaremos agora é a Primavera de sua vida. Você está vivendo a Primavera de sua vida, não importa quantos anos você tenha. Você dirá: “Bem, Yeshua, eu tenho X anos atrás de mim. Como posso estar na Primavera de minha vida?”

Isto tem a ver com atitude. Tem a ver com o entusiasmo de encontrar novas percepções. Enquanto você estiver lendo, enquanto você estiver discutindo com os seus irmãos e irmãs, enquanto estiver assistindo em sua tela grande, você estará absorvendo novas idéias e se perguntando: “O que isto significa? Será que isto realmente fala comigo? Há uma ressonância, ou é apenas algo que me confunde?”

Assim, como você viu, as sementes que você esteve plantando anteriormente nesta vida estão surgindo. Elas estão aparecendo através do solo da escuridão em que você viveu por algum tempo, porque você esteve se concentrando muito no mundo, e no que precisava ser em várias fases na vida. Mas agora você chegou aonde as mudas surgiram através da crosta, e elas estão crescendo na Luz de sua consciência. Elas estão se abrindo e crescendo, enquanto você se concentra nelas e pergunta: “O que isto significa realmente? O que esta pequena semente tem a compartilhar comigo?” E quando você estiver com uma semente física e lhe pedir, ela lhe permitirá ver toda a vida nesta semente e na semeadura quando ela surgir.

Você está interessado em saber mais. Alguns dos irmãos e irmãs têm o suficiente para se adaptarem ao que eles sentem que as atividades do mundo teriam que ser, mas você é aquele que disse: “Bem, eu assistirei o drama do mundo e verei como ele funciona e o que há de humor em tudo isto, assumindo tudo de forma leve, e, então, eu observarei para ver o significado mais profundo.” E realmente o que você está procurando é amor, ver como o amor floresce e nutre a pequena semeadura.

Você vive no amor a cada momento, quando escolhe perguntar conscientemente: “Como eu posso ver isto de forma diferente? Como posso ver isto com amor? O que isto está realmente me mostrando, esta pequena semente que parece tão delicada, como é um novo pensamento, e, no entanto, é muito forte.” Quando você cultivá-la, ela se abrirá para você e revelará mais a vida, não a vida do mundo, mas a vida que é realmente a consciência. E ela lhe mostrará a resiliência do amor.

Você esteve nutrindo novas ideias. Esteve brincando com elas. Você gosta de ler os diferentes textos para ver o que está lá para compartilhar com você e onde o trem do pensamento o levará. Você pula a bordo do trem e segue nele por algum tempo para ver o que há nas várias estações onde possa parar por algum tempo. Você pergunta: “O que você tem para me mostrar?”

Quando você está com uma idéia, quando está com a pequena semente, ela se desenvolverá e você conseguirá, então, sentir o perfume, a consciência da vida, para levá-la a um lugar onde você se sinta em harmonia com toda a vida e com esta flor. Você ganha vida, como eu o vi quando houve uma nova idéia e você esteve se divertindo com ela e querendo saber: “Isto é realmente verdade? Isto realmente ressoa comigo? Ao que isto me leva? Qual é a conclusão que posso tirar disto?”

E, de repente, literalmente, vejo a Luz entrar. Há um momento em que a Luz nasce e você diz: “Oh, isto é o que está acontecendo. Estive pensando sobre isto durante duas décadas ou três, ou, talvez, até mais. Ouvi dizer isto, mas me perguntei sobre o significado de uma determinada declaração.”

Você já ouviu no ensino de gerações o que foi essa interpretação, mas você disse: “Isso realmente não me satisfaz. Tem que haver algo mais do que isso. “Todos os ensinamentos, seja lá o que esteve no trem de pensamento religioso / filosófico que você alcançou nesta vida, têm mais presentes para você. Então você se senta com eles, e você pega seu texto, talvez, e você está lendo uma passagem que você leu, talvez, cinquenta vezes ou mais, e você pensa: “Oh, é isto o que significa?”

Porque a luz apareceu. Talvez alguém tenha dito algo que seja como uma pista. Talvez haja algo do passado que você tenha lido ou que lhe disseram e que agora faz sentido e esclarece as coisas. Você deixou escondido na parte de trás da mente, da consciência, algumas das pistas que surgirão em seu tempo, assim como a semente surge. Isto lhe dá, então, algo mais a contemplar, em que pensar, e você fica entusiasmado. Eu o vejo quando você tem tempo para fazer isso. Vejo que você se entusiasma com algo que talvez um momento antes realmente não o animasse. De repente, a luz continua, e é como “Oh, nunca pensei nisso desta maneira”.

Então, permita-se ler, estudar, ouvir os vários CDs que você possui. É daí que vem a sua alegria. Essa é a primavera da sua vida, sempre que você está disposto a olhar para coisas novas e olhar de uma maneira nova, talvez, as idéias antigas, textos antigos, mesmo que tenham chegado ao seu caminho, e alguém diz: “Bem, você já leu tal e tal “E você diz:” Oh, sim, eu li isto, talvez, há dois ou três anos, talvez até há quinze ou cinquenta anos. Sim, eu conheço este. ”

Ok, pegue-o e o leia novamente pela primeira vez. Em outras palavras, sim, você pode tê-lo lido há vinte anos, mas o leia agora novamente pela primeira vez porque você está em um espaço diferente. Todos os ensinamentos que você leu há dois mil anos, quando você estudou comigo, todos os manuscritos antigos, antigos mesmo naqueles dias, onde lemos sobre a sabedoria daqueles que vieram antes de nós e tinham registrado as idéias, todas estas idéias se desenvolvem, transformam-se em mudas, nos ramos das mudas, em flores, até onde esta muda se torna o arbusto, e então o arbusto se torna a árvore.

Uma das coisas que eu sugeriria é que você se dê um tempo para sentar e respirar: cinco minutos. Lembre-se de como é bom e como o corpo agradece a sua respiração. Alguns me perguntaram: “Por favor, indique um procedimento que eu possa seguir para a respiração”. E eu disse: “Inspirar e Expirar, Inspirar e Expirar”. Se você está respirando, você está fazendo isso direito. Se você não está respirando, você pode pedir outra vida para terminar isso.

Em outras palavras, isto não precisa ser complicado. Foi-me perguntado muitas vezes há dois mil anos e desde então. “Yeshua, que postura devo tomar para rezar? Devo ficar de joelhos? Devo ficar de pé, de frente para uma determinada direção? O que eu faço com os meus braços? Devo estendê-los como uma cruz, ou devo colocá-los em uma posição de oração em frente ao coração? Devo ficar em um pé e colocar o outro pé atrás de mim, ou eu deveria ficar no outro pé e colocar aquele atrás de mim?”

E eu lhes disse: “Não importa. Na verdade, o que importa é onde está o coração “.

Neste momento em que você está evoluindo a consciência mais maravilhosa, permitindo que a consciência se expanda para assumir a verdade e o amor, esta é a sua primavera, e ela se expandirá e se estenderá enquanto você o desejar; em outras palavras, outros já disseram: “Bem, Jeshua, vivi quase 90 anos e como você me fala da primavera?” Mas no coração – o coração é amor – você sempre é jovem. Você está sempre no espaço de celebrar a primavera.

Você procura a primavera no exterior, e você se alegra quando a primavera chega. As pequenas plantas, agora em seu tempo, estão surgindo através do solo com promessa, promessa de beleza, a promessa de uma nova vida que vem lhe agradar. Você as está criando. Você está pedindo que elas venham. Caso contrário, elas não estariam em sua realidade. Então, elas estão vindo para agradá-lo. Os pequenos brotos estão chegando, e eles têm tanta promessa neles! O mesmo ocorre com a primavera de suas idéias. Elas têm muito a compartilhar com você. Elas vêm e batem na porta da sua mente e dizem: “Abra para mim. Eu me abrirei para você. Eu compartilharei meu perfume das novas idéias com você.” Então você permanece no espaço da primavera, e isso pode ser para sempre.

Permita-se conhecer a primavera. Se você optar por ser oprimido pelo mundo, é uma escolha. Muitos dos irmãos e irmãs que vejo neste dia e hora estão oprimidos. Eles até caminham de uma certa maneira, e você pode ver que eles levam uma carga sobre seus ombros, nas costas. Fale com eles sobre a respiração profunda. Fale sobre a novidade da primavera. E quando eles olharem para você como se estivesse louco, você diz: “Sim, eu estou. Eu bebi do elixir da primavera, e é bom. ”

Você fica novo todos os dias, a cada momento. Esta é a primavera que você carrega com você todos os dias, a cada momento.

Alegre-se.

– Jeshua ben Joseph (Jesus), expressando-se através de Judith Coates
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br

TOTALMENTE HUMANO E TOTALMENTE DIVINO

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe em
dezembro de 2017, no Egito  

Queridos amigos, eu sou Jeshua, seu amigo e irmão. Por favor, sintam sua conexão como grupo neste momento. Vocês estão aqui reunidos por uma razão. Antigas lembranças estão sendo despertadas em cada um de vocês, enquanto visitam antigos templos e tumbas aqui. E algumas dessas lembranças são dolorosas e perturbadoras. Lembranças dolorosas são energias que ainda fazem parte de suas almas e que estão buscando soluções, para serem libertadas. Vocês podem ser os libertadores delas. E isto se torna mais fácil quando estão em companhia de almas afins. Porque nada lhes é mais reconfortante do que se sentirem reconhecidos e compreendidos por outro ser humano que está consigo nesta realidade terrena.

Nem anjos nem guias espirituais podem oferecer o tipo de conforto que vocês sentem na presença de amigos de mentalidades afins. Encontrar sua família de alma na Terra é algo muito precioso! Vocês podem apoiar uns aos outros e, assim fazendo, trazem uma energia nova e revigorante à Terra. Então, por favor sintam a conexão entre todos vocês e ancorem esta energia. Sintam a energia fluindo pelos seus corações. Vocês estão unidos. E quando sentirem esta energia compartilhada, conectem-na com a Terra; permitam que a Terra se junte a vocês para reuni-los.

Vocês evoluíram muito desde os antigos dias do Egito. Naquela época houve um impulso cósmico que entrou nesta terra e, como eu já disse antes, vocês faziam parte desse impulso. O aspecto mais elevado de vocês, a parte mais inteligente, informada e evoluída, contribuiu para isto no nível da alma. Esse aspecto de vocês ama a Terra e a humanidade. Vocês são quase como pais para a humanidade da Terra. Entretanto, naquele tempo, a humanidade não conseguiu integrar ou incorporar totalmente as suas mensagens, a sua energia. E assim, vocês decidiram voltar para a Terra e encarnar novamente para poderem vivenciar as dificuldades, a densidade e a dualidade da Terra e, deste modo, entende-las

Alguns de vocês já tinham completado sua jornada naquele tempo. Antes da antiga civilização do Egito, houve outra civilização, chamada Atlântida, na qual vocês se dedicaram profundamente a expressar seu conhecimento. Vocês tinham uma grande ambição, mas também um mau entendimento da vida humana e das emoções humanas. O coração humano, dentro de vocês, ainda não tinha despertado. Mas, perto do fim da Atlântida, quando as coisas saíram do equilíbrio e houve muitos desastres e muita destruição, seus corações se abriram. Foi um momento de crise profunda, mas que os capacitou a descer para a área do coração. Enquanto, antes disso, vocês estavam mais concentrados nos seus poderes psíquicos, na mente e inclusive no chacra da coroa, no fim da Atlântida a energia de suas almas despertou para um nível mais profundo e mais encarnado. A energia do amor e também a da humildade nasceram em seus corações. Vocês perceberam que haviam forçado as coisas, pressionado demais as coisas, e que realmente precisavam ajoelhar-se diante da realidade do ser humano. Então, depois do desaparecimento da Atlântida, vocês quiseram enviar energia de amor, compaixão e sabedoria para o Egito. E, como eu disse, começaram a ter vidas humanas aqui. Mas era muito difícil combinar seu aspecto superior e mais evoluído com a natureza crua e densa da realidade.

Sintam essa dificuldade, a dor que vocês sofreram naqueles dias antigos. Vocês foram pioneiros da consciência. E, muitas vezes, isto fez com que se sentissem diferentes e sós. Sintam essa solidão, esse sentimento de desconexão. Sintam a coragem e humildade que foram necessárias para que assumissem essa responsabilidade. Estou lhes pedindo que voltem a atenção para essas velhas memórias, porque elas querem ser curadas.

Vocês estão aqui novamente e agora estão juntos. Imaginem que, no meio deste círculo, há uma pedra, uma pedra grande. A pedra é fria e dura. Ela contém a dor, a solidão, a escuridão, o sentimento de separação que vocês vivenciaram em vidas anteriores. Percebam também quanto amor existe dentro dessa pedra, que não podia se expressado nem sentido no passado.

Agora lhes peço que enviem amor de seus corações para essa pedra que está aqui no meio. Vocês podem ver raios de luz dourada entrando nela, aquecendo-a a partir de fora. Essa dor quer ser curada, e está pronta para ser curada.

No meio da pedra há uma criança. Ela é a parte de cada um de vocês que queria viver e se expressar livremente, mas não pode fazer isso durante um longo tempo. E agora ela sente os raios dourados de seus corações e desperta.

Por favor, percebam agora, enquanto a criança desperta, como a pedra se transforma numa pedra preciosa, com muitas e muitas cores brilhantes em seu interior. Como um arco-íris. Este é o presente de vocês para a Terra. E a Terra quer lhes retribuir… recebam a energia dela. Sintam a criança dentro da pedra; ela é parte de todos vocês. Sintam que ela se aproxima de vocês. Ela finalmente encontrou seus pais. Seus Eus Superiores podem descer à Terra agora.

Peço a cada um que permita que a criança entre em você e que você se permita fundir-se com ela. Sinta o que ela precisa de você. Que energia você precisa mais, neste momento da sua vida?

Se você respeita a criança em seu interior, isto significa que respeita a vida e a sua própria condição de ser humano. Você está pronto para mover-se para além deste ciclo de vidas no qual foi separado em duas partes humanas: a superior e a inferior. Viva como uma criança. Viva espontaneamente com o coração aberto. Você pode realmente confiar nos seus instintos. Não precisa revisá-los constantemente e pesá-los do ponto de vista espiritual. Sua espiritualidade já entrou em seu coração e agora quer nascer completamente e integrar-se à área do seu abdome, aos seus chacras inferiores. Este é o último passo.

Você hesita tanto e tem tantas restrições para permitir que a sua energia desça plenamente à Terra. Então sinta isso agora. Permita que ela desça, permita que a energia da sua alma desça ao seu abdome, ao seu chacra raiz e pelas suas pernas e pés. Conecte-se com a Terra. Confie em suas emoções, confie em sua imaginação. Você está aqui para vivenciar alegria e leveza agora. Esta é a energia curativa que você procura. Você tornou-se extremamente sensível, e quando seus chacras inferiores não estão totalmente aterrados, quando você não está totalmente presente neles, sua sensibilidade pode fazer com que absorva energias externas; seu coração pode estar aberto demais, sentir responsabilidade demais, absorver energia demais de outras pessoas. E esta não é a sua missão agora. Sua missão agora é retornar ao seu eu completo. Não ser mais dividido, mas um ser humano que respeite a si mesmo, que respeite seus próprios limites. E a partir desse respeito próprio e senso de limites, se estenda do coração para fora.

Sinta intensamente a si mesmo no seu chacra raiz, na base da sua coluna vertebral. Abandone todos os cordões de energia e apegos a coisas ou energias externas. Esteja consigo mesmo.

Imagine que existe um espaço sagrado ao seu redor. Este é o seu lar. É o que você é e quem você se tornou através da sua longa jornada. Respire nesse espaço. Sinta-se protegido pela sua própria energia. E fique nesse espaço onde quer que você esteja, onde quer que você vá. Dentro desse espaço, você é totalmente divino e totalmente humano. Você é completo.

Obrigado por estar aqui comigo. Eu estou com você.  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net

Fonte: http://www.jeshua.net/home/home12.htm
Áudio: http://jeshua.net/audio/home12.mp3 

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

AS SEMENTES DA INTEIREZA, QUE ESTÃO DENTRO DE VOCÊ, DESEJAM GERMINAR

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe
no Egito, em dezembro de 2017  

Querido amigo, eu sou Jeshua. Estou aqui hoje para celebrar com você. Respeito e honro sua alma e vejo a grandiosidade em você. Você veio para a região do Egito para se reunir com uma parte mais profunda de sua própria alma. É o seu Eu Maior, sua Consciência Superior, que você está procurando expressar e canalizar para a Terra. Não é nenhuma coincidência que você esteja aqui exatamente neste momento, porque existe um anseio, um desejo em seu coração de se conectar com aquele que você realmente é. Muitas vezes você se sente partido ou incompleto, como se não tivesse acesso ao seu conhecimento interior e ao seu poder criativo. Em algum ponto, nas profundezas do seu ser, você se lembra de como é ter esse poder criativo e esse conhecimento interior e, por isto, está sempre procurando por eles.

No mundo de hoje, com a criação e educação que lhe são oferecidas, você acaba se distraindo do seu Eu Interior; você desenvolve uma personalidade que se concentra principalmente no mundo exterior e na sociedade. Mas você é uma alma desperta e não é capaz de se esquecer completamente de quem realmente é. Por isto sente-se dividido internamente; e, provavelmente, sente-se assim desde a infância. Para acessar totalmente o seu Eu Real, você precisa se libertar ou se distanciar de muitos conceitos que lhe foram ensinados. Precisa deixar para trás ou separar-se do modo como foi criado. Muitas vezes você não se sente à vontade com o tipo de educação que recebeu ou com o trabalho que está fazendo. A parte da sua alma que está chamando-o está levando-o para longe do modo comum de pensar e da sociedade humana. Então parece que os chamados da sua alma o levam para um espaço de solidão e separação. Você deseja ser nutrido por um tipo de energia e vibração que parecem não estar disponíveis neste mundo. Se entrar nesse espaço de solidão – o que é inevitável no decorrer da sua vida – você será profundamente desafiado. Entretanto, esse espaço de solidão, essa sensação de ter uma percepção diferente da maioria, é o portal para outro nível de consciência.

Peço-lhe, agora, que se conecte com essa parte de si que não se sente em casa, que não ressoa com a realidade em que você se encontra. Sinta o quanto você tem sido mal compreendido, como tem sentido a falta de reconhecimento de outras pessoas ao longo da sua vida. Sinta sua própria solidão. Muitas vezes você tentou lutar contra essa solidão e encontrar respostas no mundo. Estou lhe pedindo, agora, para estar totalmente presente e consciente dessa solidão em você. Volte-se para dentro de si com a sua consciência, e sinta o seu corpo a partir do interior. Sinta, em seu coração, a tristeza de estar desconectado do todo, da unidade. Existe uma parte sua, que você pode chamar de criança interior, que se sente incrivelmente perdida e confusa nesta realidade. É extremamente importante que você conheça essa criança e se conecte com ela. Então, conecte-se com ela agora e perceba em que parte do interior do seu corpo ela está.

Essa criança é muito sensível; ela é atenciosa, compassiva, e enxerga e sabe muitas coisas. É uma criança do universo que viajou por muitas e muitas vidas. E, para que essa criança, pudesse experimentar verdadeiramente a vida, ela teve que abandonar as fontes mais profundas de conhecimento. Quando você inicia sua viagem como alma, quando começa a ter vidas encarnada, você abandona uma parte de si mesmo. De certa forma, é você separado de si mesmo. Esta é a ferida original da separação. É a divisão dentro de você mesmo.

A sua parte criança é muito corajosa! Ela é curiosa e aventureira, e é apaixonada pela vida. Mas, às vezes, é também ignorante e ingênua. Ela precisa da sua orientação. Então, conecte-se agora com a sua criança interior, esta sua parte mais preciosa – ela é a própria vida. A criança dentro de você representa a dualidade: as emoções internas que sobem e descem; as dúvidas, os medos, as alegrias e as lutas… ela é como um oceano de sentimentos dentro de você. Respeite essa sua parte.

Nesta época, neste momento de transição, seu objetivo é levar sua consciência para essa criança. Você testemunhou, nos templos que visitou aqui, como no final de cada um deles o céu e a terra se juntam. No local mais sagrado de cada templo, o teto e o piso simbolicamente se fundem, representando o ponto onde a consciência se funde com a vida, onde a unidade encontra a dualidade. E é aí que a ferida original da separação é curada.

Imagine-se dentro de um templo – qualquer um que lhe venha à mente – e que você está nesse local sagrado, onde céu e terra se encontram. Agora sinta a energia do firmamento, ou Céu ou consciência, na metade superior do seu corpo. Esta é a energia da qual você tem sentido tanta falta. É a energia da clareza e sabedoria. Sinta-a entrar na sua cabeça, ombros e coração. Esta é a energia que mantém tudo unido, todas as suas encarnações. Permita que as células do seu corpo se abram; simplesmente peça-lhes para receberem esta energia do lar. Inspire-a e absorva-a dentro de si, nas células do seu corpo. Ela está muito presente aqui. Você nem precisa ir a um templo para conectar-se com ela, mas ir até lá e ser tocado pela energia dentro do templo pode ajudá-lo a se lembrar e, desta forma, conectar-se a ela.

Esta energia cósmica não é uma coisa fora de você; como eu já disse antes, é realmente uma parte essencial sua. Agora você pode verdadeiramente abraçar e incorporar essa energia. Está na hora de mover-se para além da dualidade. Foi necessário um certo número de vidas para você realmente submergir na dualidade e todas as emoções que ela traz. Você precisava experimentar verdadeiramente a vida sem conhecimento e sabedoria. Mas, agora, você está pronto para avançar. E isto não quer dizer que vá rejeitar a dualidade; não significa que vá mandar sua criança interior embora. Pelo contrário, você pode abraça-la e, então… a mais bela dança da criação surgirá.

Sinta a energia da Terra, da criança interior, na metade inferior do seu corpo, especialmente no seu abdome. A criança está procurando orientação e quer ser abraçada pela parte consciente de você. Ela chegou ao fim de um ciclo de encarnações, no qual esteve submersa na vida terrena. Ela quer se elevar agora. Então imagine que a consciência cósmica, que está na metade superior do seu corpo, desce do seu coração para o seu abdome.

Existe uma espécie de momentum e sincronicidade em seu caminho de crescimento; o segredo é que a criança só se abrirá para a orientação do seu Eu Superior, quando terminar um ciclo de experiências. Na sua vida cotidiana, você vivencia esse final de ciclo, quando (finalmente) se rende, verdadeiramente se rende ao que é. Nesse momento de entrega, que geralmente é um momento de “não saber, mas aceitar”, você se abre para um conhecimento maior, que não vem da mente. Você – assim como muitos – está pronto para se entregar. Na verdade, muitas vezes acontece que, quando a ferida da separação se torna muito intensa, como uma dor abrasadora, é justamente essa dor implacável que abre a possibilidade da entrega. Quando você chega nos extremos da dualidade, você está quase além dela. Por favor, lembre-se disto quando estiver vivenciando uma dor intensa. Isto não é o fim do caminho. É uma transição, mas seus olhos humanos não conseguem enxergar além da escuridão. Você não consegue encontrar satisfação dentro do mundo da dualidade.

Agora, imagine que sua parte consciente e cósmica se funde com sua criança interior, sua parte emocional e sentimental. Apenas por brincadeira, imagine como seria isto, e o que aconteceria com a sua criança interior, se essas duas energias se unissem em harmonia perfeita. Talvez você comece a ver um anjo magnífico dançando na Terra. Observe que energias se desenvolveriam dentro de si quando estivesse totalmente conectado com o Céu e a Terra. Você é uno consigo mesmo, nesse estado, e ama estar na Terra. Sinta as energias fluindo para cima e para baixo, vindas de baixo e do alto. Este é o seu destino – unir essas duas energias. Isto é um ato de pura criação.

Por enquanto, isto pode parecer uma imagem do futuro, mas peço-lhe que sinta esta promessa dentro de si, a promessa de inteireza e criatividade. Dê uma boa olhada em quem você é, nesse estado de equilíbrio criativo, e peça a esse ser, a esse Você Futuro, alguma orientação ou conselho. O que é importante você saber neste momento? Sinta a profunda sabedoria no interior desse Você Maior e olhe-o nos olhos. Receba suas bênçãos.

Você não pode imaginar quanta beleza e sabedoria você carrega dentro de si! Você está realmente criando algo novo no universo. Você não vai simplesmente voltar para o lar, quando terminar este ciclo de encarnações. Em vez disto, continuará aventurando-se e criará o Lar, criará a Unidade em diversos lugares do universo. Você é verdadeiramente admirado pela sua coragem e ousadia. Respeite a si mesmo e tenha confiança e fé no futuro. O Lar está sempre dentro de você.  
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net

Fonte: http://www.jeshua.net/home/home10.htm 
Audio: http://jeshua.net/audio/home10.mp3 

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

PREPARANDO-SE PARA 2018

image

Jeshua ben Joseph (Jesus) expressando-se
através de Judith Coates
9 de Fevereiro de 2018  

Amado, este ano será um ano de mudanças. Aquilo que parecia estático ou imutável, será movimentado um pouco, porque você olhou e averiguou em seu coração que realmente o que você vê não é tão amoroso como poderia ser. Não é tão atencioso como poderia ser.

Você sabe a partir dos seus próprios sentimentos que gostaria que outros o aceitassem mais. Você gostaria de receber mais amor. Você gostaria de ver mais amor no mundo, e você sabe que isto é realmente possível, mas, então, quando você olha, há o julgamento que vem muito rapidamente e diz: “Mas algo não está tão bom como poderia ser. Algo está faltando.”

Você sabe, intuitivamente, como seria se todos se sentissem amados. se tudo seguisse nas rodas do amor. E, no entanto, quando você olha o mundo, você vê que realmente o caminho é acidentado, que há alguns lugares onde as rodas podem passar facilmente e há alguns lugares que são muito desiguais. E você disse: “Por que tem que ser assim?”

Quando você criou os pequenos, seu coração queria amá-los. Você procurava nos pequenos todas as qualidades boas que poderia elogiar. Às vezes, eles cresceram como a flor ao sol, e outras vezes, eles reuniram a sua energia e pareciam não ter uma boa conduta. Você se perguntou por que, especialmente nas famílias onde há mais de um dos pequenos. Você se perguntou por que eles são tão diferentes na forma com que eles reagem ao mundo e a forma com que o mundo reage a eles.

Falamos disto em outros momentos, dizendo que ninguém vem com uma lousa perfeitamente limpa. Ninguém encarna com uma lousa perfeitamente branca. Você vem com uma história passada, com uma certa inclinação de lembranças muito profundas de como foram as circunstâncias em outras encarnações. E as outras encarnações, até certo ponto, podem – nem sempre, mas podem – influenciar como você vê esta encarnação.

Você viu isto com os seus amigos. Alguns deles vieram com muita força. Eles entram em uma sala e de repente, há a luz solar na sala. De repente, lá estão eles e toda a sua energia é ótima. Por trás deles, vem esta pessoa muito silenciosa que nada diz, e ela não tem certeza se será aceita ou não. Você se pergunta por que a diferença.

Cada um de vocês está vivendo aquilo que sentiu que não estava bem completo. Você não tinha concluído completamente como seriam as experiências de um relacionamento, como os relacionamentos seriam, como o corpo seria. Todos vocês se moldaram de uma certa forma, semelhante, mas não idêntica, de modo que pudessem vir ao mundo. Até certo ponto, você pode falar com o mundo, você pode ouvir o que está acontecendo no mundo. Você se move no mundo e, no entanto, cada um tem uma certa nuance de como eles falam, como eles vêem, como eles pensam, como se sentem.

Então, como você entenderia determinados atributos? Às vezes, estes atributos são fáceis de estar e, às vezes, estes atributos são como lixa em um relacionamento. Irão lixá-lo até que haja uma parte realmente suave de você, ou podem lixá-lo até que o irritem. Você se levanta cada vez que é irritado um pouco, até que chega um momento em que diz: “Eu desejo a paz. Já basta.”

Neste ano, você estará vendo com mais clareza a distinção entre a paz e a ausência de paz, a distinção entre o amor e a ausência de amor. Você verá isto em seu círculo, e, também, no círculo mais amplo do cenário mundial. Você já tem os jogadores no cenário mundial e você estará assistindo: “Como este drama está funcionando?” Realmente, é um drama e é verdadeiramente para a sua diversão, sua edificação e, também, para a sua cura.

Você olha para o mundo e se pergunta: “Como tudo isto pode ser curado?” E, na Verdade, você sabe, em um nível muito profundo, tudo isto pode ser curado em um instante. Tudo o que tem que haver é um certo sorriso e um certo retorno à paz, ao espaço onde não haja mais o desejo de argumentação, não mais o desejo de separação, não mais a crítica.

É um espaço onde o valor da paz vem em primeiro plano, não apenas a paz no cenário mundial, mas a paz em cada vida individual. Isto é realmente o que, em sua maior parte, você está buscando para si mesmo. Agora, sim, há momentos em que você quer um pouco do tempero do entusiasmo e diz: ”Bem, se fosse totalmente tranquilo, eu não sei se realmente gostaria disto.” E eu lhe digo: “Experimente, você poderia gostar disto.” Você pode perceber que a paz tem tanto de sua energia que você não se sentirá entediado, mas se sentirá feliz.

Para si mesmo, como eu instruí há alguns meses, busque a paz. Reserve cinco minutos pela manhã. Agora, na época do inverno, o clima não está assim tão bom para sair, a menos que coloque a mente em um determinado lugar e diga: “Está tudo bem”, e você sai. Se este não for o seu chamado agora para sair por cinco minutos, fique na janela e se permita se projetar para a árvore, para um arbusto, para a flor – sim, você ainda tem flores nesta época do ano.

Permita-se projetar a sua energia, o seu conhecimento, além da janela, que é bastante permeável, sinta a Unidade e ouça, porque realmente as suas plantas, suas árvores, e até os pequenos animais que estão ainda por aí, têm comunicação com você e para você.

Permita-se respirar profundamente. Permita-se encontrar o espaço da paz interiormente, e saiba como ela é. Pois quando você está fora, entre os irmãos e irmãs, e há muita atividade acontecendo e, talvez, um pouco da energia que não é pacífica e que está vindo em primeiro plano, você conhecerá o espaço da paz para retornar rapidamente. Pratique.

Pratique como é estar em paz, não estar no próprio julgamento, ou da cor do céu, ou da cor da árvore, ou da cor da grama, não estar no julgamento de nada, mas apenas respirar e estar em paz.

Há uma certa energia de paz que é a cura, e seu mundo está clamando por cura. Seu mundo, até mesmo quando você está na janela, aceitará a sua energia da cura, da paz. Cinco minutos, e, então, você pode chegar ao espaço onde realmente quer fazer sete ou dez. E, então, eu sei que o mundo virá gritando e dirá: “Está bem, você precisa se encontrar com fulano, em um determinado momento, você tem que estar em determinado lugar, há coisas que você tem que preparar.”

Então, você seguirá com as atividades do dia, de uma forma mais tranquila e mais aberta porque você se estimulou por cinco minutos ou um pouco mais. Você merece isto. Você já está bem ocupado pelo resto do tempo durante o dia. Você está bem ocupado fazendo o que o mundo pedir. Reserve cinco minutos para você.

E se você entrar em um espaço onde é tão bom, permita-se os cinco minutos antes de deitar a cabeça no travesseiro. Lembra-se de quando era pequeno, você ajoelhava aos pés da cama e dizia as suas preces? A rotina disto era a mesma que levar os cinco minutos e respirar a paz. Era igual, exceto para aqueles que faziam a prece tão rápido quanto podiam, porque a conheciam, e, então, pulavam na cama.

Ou você permitia que os cinco minutos fosse o seu presente para o seu Eu Superior – Deus, como era chamado. Permita-se reconectar-se com este sentimento de paz, de adoração. E como eu lhe disse muitas vezes, o verdadeiro significado da palavra adoração “worship”, é: valer a pena. Saber que vale a pena ter os cinco minutos fora de seu dia agitado para se conectar com o seu Eu Superior.

Este ano ocorrerá muito da maneira do drama, um pouco na cena individual. Não será muito ruim, porque você esteve se preparando. Mas na cena maior, no grande palco, será muito interessante assistir. Você terá a oportunidade de estender a paz.

Agora, como você estende a paz? Sendo a paz. É por isto que você deve reservar os cinco minutos a cada manhã para viver em paz, de modo que quando for chamado para dar um pouco de paz, você sabe como ela é. Respire profundamente. Interiorize-se, a este espaço interior de silêncio, e permita que o manto da paz desça sobre a testa, os ombros, para os pés, onde cada parte de você tenha a chance de se expandir. Cada parte conhecerá a cura.

Então, quando for chamado durante o dia, é como se você empurrasse o botão e ele estivesse bem aí com você, porque você sabe onde encontrar o botão. Eu vi alguns de vocês procurando o botão. “Está aqui? Está lá? Está mais no alto? Mais embaixo? Onde está este botão mágico?” O botão mágico está dentro. Está no espaço da expansão. Está no espaço onde você deixa todas as preocupações do que você tem que fazer, todos os julgamentos de se você é bom ou não tão bom, deixando ir por cinco minutos e se aquecendo no sol de sua própria Luz.

Você já é bom. Não tem que se esforçar para ser melhor. Você já é bom o suficiente. Você tem um ditado em seu mundo que diz: “Nosso Pai não cria lixo.” Ele o envia com uma lousa limpa se você aceitar. Ele o envia para criar aquilo que é amoroso e saudável. Ele o envia para ser tudo o que você pode ser de uma maneira positiva que estimula.

Agora, se você quiser ser tudo o que você pode ser de forma negativa e ficar realmente chateado com as coisas, Ele não irá pará-lo. O fluxo de energia é verdadeiramente neutro, e o fluxo de energia fluirá através de você, porém você o dirige. Mas eu sugiro que você possa tentar se sentir tranquilo. Pelo menos por alguns minutos, veja como isso é.

Muitos dos irmãos e irmãs sofrem com o que você experimentou ao pensar que eles não são suficientemente bons, e eles têm que trabalhar para ser melhores. Mas enquanto eles estiverem trabalhando nisso, eles não estão aceitando isso. Tudo o que você precisa fazer é parar e dizer: “Ok, por um minuto eu sou bom o suficiente. Talvez no próximo minuto não serei, mas não irei atravessar a ponte agora. Eu sou bom o suficiente. Oh, você sabe, isso é realmente bom. Não acredito, mas é muito bom “.

E quanto mais você o praticar, mais parecerá real, porque você o estará tornando real. Você é bom o suficiente. Apenas pare e aceite o presente da divindade, o presente que diz: “Eu o criei a minha própria semelhança”; em outras palavras, divino e onipotente.

Permita-se sentir o amor, porque você é amor; não só ser amado, aquilo que você é, mas você é o próprio amor com dois pés, caminhando, fazendo o melhor que pode e sabendo que cada passo que você dá está na Luz, porque está. Você é bom o suficiente.

Agora, no tempo que passamos juntos, temos trabalhado principalmente com a mente. Existem cursos de estudo que trabalham com a mente, como o primeiro passo para levá-lo para dentro, e estes são bons. Muitos dos conceitos que eu coloquei em várias mensagens o levam ao espaço da mente, de entender como você é bom, como você é divino, como você tem o potencial divino de ser tudo, todas as coisas, todo o amor.

A mente é uma ótima ferramenta, e é por isso que nos aproximamos do lugar da paz através da mente. Mas agora você está pronto, você está pedindo para saber, “Como é realmente conhecer o amor? Isso explodirá todos os circuitos? “Não, não irá. Isso irá ativá-lo, sim, e você pode ter as sensações físicas de estar quente, energizado. Pode ter sensações físicas de querer estender os braços e sentir tudo o que você pode sentir e interiorizar isto, para ser tudo o que você pode ser.

Este é o próximo passo do que você quer assumir e incorporar no corpo. Tornar real no corpo, este espaço da paz, este espaço de poder, este espaço de amor, aquilo que estivemos falando através das palavras. Palavras e conceitos são ótimas ferramentas, e elas o levarão diretamente à porta, ao limiar do que você realmente está buscando conhecer.

Isto é o que eu tentei compartilhar com você há dois mil anos, compartilhar com você que deve atravessr este limiar para o espaço do grande amor. Auto-aceitação – este espaço que diz: “Eu não tenho que fazer nada.” O ego separado então, corre e diz: “Oh, mas há este estudo, há esta coisa que você tem que fazer, há certas posturas, você tem ir de joelhos, tem que chegar ao céu, tem que fazer X, Y e Z para conhecer o espaço da divindade.”

Mas eu lhe digo que não há nada que você tenha que fazer. Apenas seja. Apenas aceite isso. Você tem a oportunidade em seu mundo todos os dias – alguns de vocês mais do que outros enquanto interagem com os irmãos e irmãs – de reivindicar esse lugar de paz, de reivindicar o espaço que diz: “Tudo está realmente bem.” Porque há quem virá de frente e dirá: “Como você sabe que isso é verdade?”

Você pode dizer o que quer que venha a sua mente e que você tenha lido, seja qual for o conceito que você queira dar, mas então você pára e diz: “Está tudo bem com você, agora”, e você olha com os olhos do amor. Aqueles olhos de amor falam muito; não em palavras, mas muito do Ser divino. Você olha para eles com amor no rosto, e eles sentem algo diferente, porque eles são acostumados a muito do mental. Eles podem vir com capítulo e verso do seu livro sagrado e dizer: “Bem, isso diz isso e aquilo. Como você explica isso? “E você sorri e diz:”Já está escrito em seu coração “.

Você quer conhecer o coração. Você quer sentir esse lugar expansivo de ser aceito como o amor que você é. Ninguém pode fazer isso por você, e ninguém pode tirá-lo de você.

Tudo o que você precisa fazer é aceitá-lo – e isso não é uma mera coisa. Mas você respira, e com essa respiração vem a oportunidade de se apaixonar. É tão simples quanto isso. É tão simples que a mente separada diz: “Mas eu tenho que ler isso em um livro em algum lugar. Eu tenho que encontrar capítulo e versículo onde fala sobre isso. “Isso é a mente separada, e é uma boa ferramenta, mas não é amor.

Você está agora pronto para dar este salto de fé, o salto no espaço que diz: “Eu já o encontrei. Pensei que era algo realmente complicado. Mas, eu sabia disto quando era pequeno.”

E, então, por causa da maneira do mundo, você foi lançado de um lado para o outro, até que foi moldado, de acordo com o mundo, quanto a como tinha que ser. Retorne a sua criança. Esta criança sua que está ainda viva e bem, e vivendo apaixonada. Sim, ela recebeu alguma parte das batidas do mundo e supostamente se tornou um pouco mais sábia, mas no início, ela já sabia Quem e o Que você é. Ela já sabia, e ela apenas queria florescer.

Agora você chegou ao espaço onde há aceitação, permissão para florescer. Espero vê-lo desabrochando como o jovem no coração, amando-se, dando amor, porque você é amor; apaixonando-se, porque é você. Esteja no espaço onde você saiba como se dar bem no mundo, mas você não precisa se emaranhar para estar no mundo.

Você se treinou por muitos anos para ser aquilo que alguém espera que você seja. Mas e se por cinco minutos em um dia você não precisasse ser assim?. Você poderia levantar-se da cama com os cabelos desarrumados e se amar de qualquer maneira. Sim, você poderia olhar no espelho … e oh, meu Deus, nem todos os cabelos estão arrumados. Tanto faz!

Isso é importante? Quando você chegar ao último momento dessa encarnação, você irá se preocupar com o aspecto do seu cabelo? Bem, há alguns de vocês que tiveram as encarnações onde, sim, isso importava, mas nessa vida, isto não irá importar. Nesta vida a única coisa que importará, verdadeiramente, é como você se sente amado.

Alguns de vocês irão sorrir porque, “Graças a Deus, a vida acabou.” Grande sorriso. Alguns de vocês irão sorrir porque você sabe que você fez um bom trabalho, e você estará encontrando entes queridos, o que é verdade. Você tem um sorriso no rosto porque, “Eu já me sinto sorrindo”.

Então lembre-se disso quando você chegar ao seu último suspiro. Diga: “Uau! Que vida eu vivi. Foi tão magnífica!. Eu tive muitas oportunidades, e tirei o maior proveito delas. Mesmo que eu entrasse lá e estivesse na poça de lama com o resto dos amigos e talvez jogando a lama no ar e em volta e ficando coberto com ela, eu me diverti. Eu vivi a minha vida. Na verdade, eu vivi a minha vida; não apenas existi, mas eu realmente vivi. Eu a experienciei. E eu cheguei ao espaço onde, se alguém quisesse uma parte de mim, eu lhe dava um pedaço de mim. Eu lhe dei o meu amor. Se quisessem crucificar-me, tudo bem. Eles poderiam fazer o que quer que quisessem, e eu gostei. E eles sentiram isso.

O amor é a única coisa que vive. Todas as suas pequenas diferenças, todos os julgamentos quando você dizia: “Bem, ela não fez a minha torrada direito. Ela não colocou o copo de volta no armário, da maneira certa, ela não lavou a roupa direito”, todas estas coisas são como nada, nada. O que vive é o amor. O que vive de uma vida para outra é o amor.

O que você é para sempre, nessa vida e em outras vidas, eternamente, é amor. A mente irá querer dissecá-lo. A mente irá querer ter definições do que é o amor. O amor não pode ser colocado em palavras. O amor não precisa ser colocado em palavras. O amor é uma força de paz, um fluxo, se quiser, do interior ao exterior.

Pratique isto porque é bom. Por nenhum outro motivo, reserve cinco minutos. Chame-me nestes cinco minutos, se quiser, chame-me para amá-lo, para vir e ficar ao seu lado e colocar o meu braço em torno dos seus ombros. Não salte quando sentir o meu braço. Espere senti-lo e você o sentirá, porque eu o amo, eternamente, não apenas com palavras, mas com o Ser que você é. Somos Um neste amor.

Estimule-se neste amor. Pratique-o. Como qualquer coisa boa que queira saber mais, pratique. É o mesmo que aprender a tocar violino. Nas primeiras vezes que você toca o instrumento, oh, meu Deus, sim, você quer tapar os ouvidos. Mas depois de algum tempo, isto começa a ser estimulante. Parece que a sua energia está sendo apresentada.

É isto que é o amor, quando você permite que o fluxo apareça. Todos os que você encontrar no dia seguinte, sorria para eles. Se eles quiserem saber por que você está sorrindo, deixe-os perguntar. Sorria porque você sabe Quem eles são. Sorria porque é o maior presente que você pode lhes dar.

Que assim seja.
     
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: 2012 Universidade Oakbridge.
Judith Coates
O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: http://www.oakbridge.org 

Traduzido por: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br  

IMAGENS DE DESMERECIMENTO

image

Mensagem de Jeshua
através de Pamela Kribbe
31 de outubro de 2017  

Queridos amigos, eu sou Jeshua. Venho recordar-lhes quem vocês são, e lembrá-los de sua força e grandiosidade. Vocês são uma fonte inexaurível de Luz que se renova continuamente, que cresce e se expande; um fluxo exuberante de energia divina. Quero infundi-los com esta energia e pedir a cada um de vocês que permita que ela flua totalmente em sua mente, seu corpo e em toda a sua vida, de modo que a energia da sua alma possa se expressar aqui na Terra.

Rogo-lhes que abandonem as velhas e falsas imagens de desmerecimento. Quero lhes falar hoje sobre autoestima e autoempoderamento, sobre ter a ousadia de levantar-se e acreditar no fogo que carregam dentro de si. Este fogo é sua Luz, ele quer arder brilhantemente aqui e agora. Mas vocês têm assumido tantas informações falsas sobre quem são e quem deveriam ser, que houve um enfraquecimento de seu poder espiritual e sua originalidade, sua singularidade. Neste momento da evolução da humanidade, novas forças espirituais estão sendo liberadas, mas isto só pode ocorrer completamente através das pessoas que estão vivento agora na Terra. Um novo tempo e uma nova energia estão nascendo através de vocês e só podem se manifestar de uma forma profundamente enraizada, se cada um assumir totalmente seu próprio valor.

Homens e mulheres vem sendo enganados pela sociedade, através de suas tradições e sistemas educacionais, de modo que as imagens de pecado, vergonha e culpa continuam agarradas a eles, vivendo no interior de cada um. A vida é retratada como um teste para pôr à prova o ser humano, e uma luta para sobreviver. Nesta tradição, uma forma muito limitada de energia masculina está sendo considerada necessária à vida, e esta postura repousa essencialmente numa base instável de medo e necessidade de controle. Esta forma de energia masculina há séculos vem dominando inclusive a espiritualidade. A espiritualidade Cristã foi dominada pelo masculino através da Igreja, tendo, assim, perdido a conexão com sua origem. Vocês estão aqui para restaurar a energia do Cristo em sua origem; para restaurar seu coração, que está vivo dentro de cada um de vocês; para trazer tudo isso à luz e transmiti-lo aos outros.

Eu os reconheço como meus irmãos e minhas irmãs. Eu os amo muito, e o que mais me entristece é ver como vocês se diminuem e se depreciam, como se sentem desanimados com o que são. As imagens de pecado, vergonha e culpa iludem todos vocês. Observemos o papel que essas imagens desempenham, tanto na vida dos homens quanto na das mulheres. Nos homens, essas imagens são impressas durante sua educação infantil, através da ênfase que é colocada no desempenho, na competição e na importância de destacar-se dos outros, de defender seu território, ser duro e mostrar sua masculinidade. A sensibilidade e as qualidades femininas, como a empatia e a capacidade de se conectar com os outros, são rejeitadas como características não apropriadas para um homem. Na mulher, a ênfase é colocada em não se destacar, mas em ser capaz de entender os outros e estar preparada para servir, cuidar e doar de si.

Estes dois modelos ainda estão afetando a psique masculina e a feminina, e apresentam imagens falsas. Supõe-se que a mulher deva encontrar seu verdadeiro valor na entrega de si mesma, na sua empatia e no cuidado para com os outros. Desta forma, ela perde sua própria força e a capacidade de se erguer e assumir uma posição clara no mundo. Mas a energia feminina só pode fluir com seu verdadeiro poder, se a mulher reivindicar sua autonomia, sua liberdade e independência no mundo. Se essa base de autonomia estiver faltando, as mulheres ficam enfraquecidas e não assumem a posição e poder no mundo aos quais teriam direito. O modelo tradicional para a mulher encobre sua mente aguçada e seu espírito de aventura.

Para o homem, num certo sentido, é justamente o contrário. No decorrer de sua criação, ele geralmente é blindado contra seu coração, sua sensibilidade e a necessidade de cuidar, amar e proteger. Ele deve distinguir-se e acaba sendo forçado à solidão, ao isolamento e ao sentimento de estar perdido, o que o separa do todo. Às vezes ele realmente perde a sensibilidade e não ousa entregar-se ao fluxo de emoções, sentimentos e do amor que certamente também está presente em seu coração.

Na alma masculina, existe um desejo de incorporar também a natureza feminina, que já é uma parte intrínseca dessa alma. Mas os homens tendem a projetar esse desejo fora deles – nas mulheres. Da mesma forma, as mulheres tendem a projetar seu desejo de poder e discernimento nos homens. Mas se os dois sexos não conseguem ver essas qualidades em si mesmos, acaba surgindo uma relação dolorosa entre homens e mulheres. Eles sentem a necessidade um do outro, mas, ao mesmo tempo, há um conflito porque a dependência nunca é uma boa base para um relacionamento verdadeiramente amoroso. Ambos precisam fazer uma conexão interna com seus próprios poderes masculinos e femininos. Essas energias devem estar juntas; elas são como as pás de uma hélice que são entrelaçadas entre si. Somente juntas elas podem crescer e florescer.

O que acontece com a autoestima dos homens e mulheres, quando eles têm que viver de acordo com tais estereótipos unidimensionais de masculinidade e feminilidade? O homem geralmente desenvolve uma persona, ou falso ego, que ele deve apresentar para o mundo, porque sente que precisa se autoafirmar, realizar, ser um homem de ação. A mulher também desenvolve uma persona, porque deve ser charmosa, boazinha, útil e aquela que cede, que doa. Quando o homem ou a mulher tenta mostrar o outro lado de si mesmo, geralmente provoca sentimento de culpa, de vergonha, de inferioridade, ou o oposto – a impressão de ser presunçoso ou arrogante. Vejam na sua História, por exemplo, o ódio como reação à homossexualidade. Homens que assumiram explicitamente seu lado feminino, e mostraram prazer em fazer isso, foram considerados o epítome da depravação. Limites, que supostamente deveriam permanecer intactos, foram ultrapassados. E por que isso foi assim? Aparentemente porque era necessário colocar homens e mulheres em caixas apertadas, de modo a suprimir seu verdadeiro poder espiritual e força original, pois todos esses estereótipos se expressaram contra o pano de fundo da energia da dominação e poder.

Todos vocês tiveram que lidar com essa energia repressiva, algumas vezes como vítimas e outras como algozes; então talvez se perguntem por que essa atitude se desenvolveu. Podemos olhar para essa situação da seguinte forma: a aventura criativa na Terra – todo o ciclo de vidas e mais e mais vidas – é um vasto processo de crescimento. É uma longa jornada, na qual vocês aprendem os extremos da “dualidade” no mundo da forma: luz e escuridão, conexão e separação, masculino e feminino… Vocês viajaram para muito longe do Lar, mas isto tem um propósito. Esta experiência tem um grande valor e gera uma riqueza imensa em cada alma que dela participa. Mas isto também significa que tiveram que descer aos domínios do medo, desolação e esquecimento do seu ser verdadeiro. Estou aqui para lembrar-lhes de quem vocês são nesta descida para as trevas, e da sua experiência em ambos os lados das energias de poder e dominação: vítima e algoz.

Neste momento do ciclo de vida na Terra, estamos no ponto de retornar a um maior equilíbrio e harmonia, por isto os exorto agora a se lembrarem quem são. Vocês vieram de uma fonte de Luz inesgotável, uma Luz que é pacífica, mas flui, é dinâmica, experimenta e explora. Não havia nenhum deus onisciente, nenhum governador que ditasse as regras e determinasse a vida de vocês, mas sim um fluxo de Luz completamente livre, que se revelava tanto nas energias masculinas quanto nas femininas, e nas diferentes formas em que tudo se encaixa tão lindamente. Sintam novamente a ligação original entre as energias, a dança entre o feminino e o masculino.

O poder feminino refere-se a conexão e unificação; ele une as energias. A energia feminina abre-se para o exterior, a partir do coração, e acolhe com amor e ternura. De certa forma, a energia feminina carrega o universo. Ela é a fonte da conexão, da Unicidade. Sintam o poder desta energia. Ela está presente em toda a diversidade que vocês enxergam ao seu redor: pessoas, animais, plantas… Através de tudo flui o Um: a mãe, a deusa, a energia conectiva e unificadora.

O poder masculino refere-se à distinção e é criativo de um modo diferente; ele cria indivíduos. Na alma, vocês estão conectados uns com os outros, enquanto que, ao mesmo tempo, cada um é um ser individual, distinto, diferente e único – exclusivo. Em todo o imenso universo, não existe nada nem ninguém que seja exatamente igual a você. Que milagre! Tente, então, além de perceber-se como parte do Um, da fonte da qual você veio, perceber-se também como um dentro da diversidade – “um em um milhão” – vivenciando a magia completamente única de ser você! Sinta-o, embora não consiga expressá-lo em palavras – este é “você” dentro de você. Este é o poder criativo a energia masculina.

A maior alegria na criação é quando o Um encontra a si mesmo através do Outro. Se estiver vivendo num corpo masculino, você pode encantar-se com uma mulher, com sua aparência, sua beleza, o acesso que ela tem a determinadas energias, as forças unificadoras em seu interior. Como mulher, você pode encantar-se com um homem: seu corpo, sua força, a sentido de proteção que pode emanar dele. O jogo entre o masculino e o feminino torna-se uma alegria e uma fonte de criatividade quando ambos os sexos acolhem naturalmente sua própria força e valor. Os dois são parte da mesma Luz, eternamente conectados um com o outro. Mas, ao mesmo tempo, existe aquela diferença que torna tudo emocionante e aventuroso; uma viagem de descoberta plena de experiências em potencial que enriquecem a ambos. Esta é a promessa do jogo entre o masculino e o feminino.

Hoje estamos falando particularmente sobre a energia masculina, e quero dizer mais uma coisa sobre ela. No modo espiritual tradicional de pensar, muitas vezes acontece de o ego ser retratado como algo ruim, que precisa ser transcendido. Certamente, no passado, ascender para os reinos celestes era visto como o ideal da verdadeira espiritualidade. Mas o que é a verdadeira espiritualidade? Para a espiritualidade, não são fundamentais apenas a conexão, a comunhão e a unidade, mas também a capacidade de distinguir os poderes únicos de ser um “Eu”. Permitir que os seus poderes exclusivos fluam e se desenvolvam é tão importante quanto conectar-se, e isto oferece uma forma terrena, manifestadora para a Luz da sua alma. É especificamente devido a esta força distintiva que você precisa de um ego. Mas não estou falando do ego como tem sido representado na tradição masculina; não um ego valentão e endurecido que quer se destacar às custas de todos e de tudo, que deseja acumular poder, que deseja governar os outro ou a vida. Esta é uma imagem falsa do que o ego é. Em sua forma verdadeira, o ego é um ponto focal, um prisma, para a sua individualidade essencial, seu poder único. Ele precisa existir e é uma parte muito especial e insubstituível da criação, como uma peça de um quebra-cabeça que faz de você uma parte do todo maior.

Acolha esse poder! Diga “sim” para ele. Responda com alegria a quem você é; você é insubstituível. E quando você se sustenta em sua força verdadeira, não precisa transcender o ego, sua personalidade, e deixá-lo de lado; não precisa negar nada em você mesmo. Pelo contrário, você se torna quem realmente é. A Luz da sua alma desce e penetra plenamente todas as suas células, todo o seu corpo, todo a sua humanidade. Tudo que lhe pertence é iluminado por essa Luz. Então você diz “sim” para si mesmo – tudo o que faz parte da sua humanidade tem permissão para ser – e seu eu único flui para tudo o que você é e faz. Você não precisa se esconder da sua humanidade, não precisa envergonhar-se dela.

Imagine como a Luz se irradia da sua fonte por seu intermédio. Permita que a Luz flua para baixo, através do seu chacra coronário e, em seguida, através de todo o seu ser. Ela é uma Luz branca e universal, amorosa e delicada. Ela flui por toda a vida e, inclusive, por você. Por seu intermédio, a Luz adquire um brilho exclusivo, uma tonalidade especial, um som diferente. Olhe para dentro de si por um instante, e talvez possa perceber certas cores, ouvir determinados sons, ou simplesmente ter alguma sensação em particular; e então sinta-se profundamente… “Este sou eu; este é o mistério do que eu sou.” Você está aqui para receber este mistério e ninguém pode fazer isto por você. Deixe-o fluir pelo seu corpo, pelo seu abdome, pernas e pés. Isto é a integração, a fusão, do masculino e do feminino dentro de você.

Sinta-se acolhido na Terra e desfrute de quem você é. Não se envergonhe nem se sinta culpado. Abandone as velhas imagens de pecado. Eles não são úteis a ninguém; nem a você e nem ao mundo. Deixe o fogo queimar e a luz se irradiar! Este é o meu desejo mais profundo; que você se erga e se mantenha em sua própria força, em seus próprios pés. Deixe que a semente da energia de Cristo desabroche no seu interior e não seja dependente de ninguém.

Eu saúdo todos vocês, em igualdade e profunda alegria.

Jeshua
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br  

O SIGNIFICADO ESPIRITUAL DA VIDA NA TERRA

image

Mensagem de Jeshua
canalizada por Pamela Kribbe
20 de setembro de 2017  

Queridos amigos de almas afins,

Sou Jeshua falando. Vocês são meus irmãos e irmãs. Reúno-me com vocês aqui como um igual, não como alguém que está acima de vocês, mas como um amigo, um companheiro. Sintam a fonte comum através da qual nós estamos conectados. Sintam a vida fluindo entre nós, a conexão que cura e nos liberta.

Que cada um de vocês tenha respeito por si mesmo, do mesmo modo que tem pelos outros que estão reunidos aqui. Respeitar-se significa valorizar a si próprio, entendendo quem você realmente é e o que você assumiu nesta jornada para estar num corpo de carne e osso, aqui e agora, nesta Terra. Foi um salto de fé, e no fundo do seu ser há uma crença, uma força, uma consciência profunda que o fizeram escolher estar aqui. Você disse “sim” para esta encarnação, para a sua vida atual. O instante em que você disse “sim” fundamentou-se num conhecimento muito profundo, entretanto dúvidas logo surgiram, devido a antigas lembranças de experiências de outras vidas na Terra. Essas dúvidas encobriram o “sim” claro e óbvio, e fizeram com que ele se tornasse nebuloso e obscurecido. Você sentiu-se perdido nesta experiência terrena, sozinho e abandonado. Conheço essa dor, pois eu mesmo a vivenciei.

Muitas vezes tenho sido retratado com um santo, um iluminado que sabia tudo. Mas não foi bem assim, pois passei por dúvidas e medos intensos. Isso fazia parte da minha jornada, como faz da sua. Então veja-me na minha imperfeição, na minha fragilidade. Quando vivi na Terra, fui inspirado por uma luz da qual eu gostaria de dar testemunho; uma luz que está além das palavras, que contém amor, encanto, beleza, humor e sabedoria. Essa luz não era minha, mas era doada por meu intermédio, exatamente como acontece com cada um de vocês. Mas eu também tinha momentos de profundo desespero, devido à falta de entendimento daqueles que me cercavam, por não me sentir reconhecido… assim como acontece com você. E foi por isto que consegui atingir pessoas que eram muito solitárias; pessoas desesperadas, que sofriam, tanto física quanto emocionalmente; pessoas que se encontravam num terreno espiritual árido, inculto. Eu podia entender essas pessoas, porque vivenciara, em mim mesmo, as emoções, os estados de espírito e os pensamentos que elas estavam experimentando.

A experiência humana, com todos os seus altos e baixos, é necessária para que sua luz possa brilhar aqui. O que você vivencia agora em sua vida como trevas, tristeza, obstáculos – tudo isto faz parte da sua jornada. Não são empecilhos que você deveria evitar. Têm mais a ver com a sua capacidade de aceitar estas coisas e levar a luz do seu coração para elas, assim como uma pedra bruta pode ser despertada para a bela pedra preciosa que ela é internamente. Esta é a sua tarefa: vivenciar a escuridão, entendê-la a partir de dentro, e então iluminá-la e enfrentar toda a gama da experiência humana; envolvê-la com consciência e senti-la completamente.

E assim a energia do Cristo desperta no ser humano – mas, para que isto aconteça é necessário ser um humano. Não é possível desenvolver essa energia, esse poder singular e o brilho exclusivo da energia Crística, nos reinos altamente etéreos, onde faltam a resistência e intensidade da experiência humana. Então, perceba que o que aparentemente o retém, que o faz resistir, que o desencoraja ou incomoda, e que talvez você deteste, é exatamente o seu propósito – o motivo de você estar aqui.

É uma experiência mágica ajudar outro ser humano a iluminar-se a partir de dentro, de modo que se transforme em um ser através do qual podem acontecer milagres. Existem histórias sobre milagres que eu realizei, sobre curas físicas e mentais repentinas. Mas o poder que eu tinha não era o de um mágico; não era um truque místico. Eu conseguia atingir pessoas que estavam prontas para isso, que estavam no ponto de vivenciar uma ruptura no nível interno, através do meu entendimento profundo da natureza humana. Eu não fazia nenhum tipo de julgamento a respeito de quem elas eram, de seus aspectos negativos ou positivos; eu simplesmente estava lá. E havia pessoas que, quando estavam comigo, experimentavam o amor, e esse amor as tornava íntegras, inteiras. Era como se sua natureza fosse chamada a despertar de repente, e era isto que acontecia em tais momentos mágicos. Não era algo que eu fazia de fato, mas algo que acontecia na interação entre nós.

O fato de eu estar aberto era o que me possibilitava receber a luz do Cristo e ser capaz de transmiti-la a outros. E esta abertura, da qual estou falando, muitas vezes é alcançada por um ser humano através da vivência de uma crise. Geralmente você fica preso a todo tipo de crença sobre o que pode ou não acontecer, ou o que deve ou não dever ser, antes de realmente se abrir para a luz de Cristo. Você está cheio de ideias e padrões de pensamento que criam uma infinidade de emoções e estados de espírito. Você tenta moldar seu mundo, sua vida, a partir de tais ideias e padrões, até se defrontar com algo tão enorme que você não consegue encontrar nenhuma forma aceitável de evitá-lo, e então todas as suas certezas, crenças e padrões de pensamento caem por terra. Você cai num poço profundo que pode lhe causar um medo esmagador.

Você pode, inclusive, chamar isso de “noite escura da alma”, que é realmente uma experiência assustadora. Ao mesmo tempo, ela traz a possibilidade de você se abrir e perceber que não sabe mais qual é o modo “certo” de ser e agir, e então uma parte sua desiste, enquanto outra parte se abre. A parte que desiste é a defensiva, a resistente, que sempre pensa que sabe mais; é a impaciente, que quer e exige todo tipo de coisas da vida. Essa parte geralmente definha numa crise, e se você tiver a coragem de deixá-la morrer, a luz poderá começar a brilhar no seu interior. Aqui você pode ver que uma crise – uma experiência que lhe parece demais para ser digerida – também tem o potencial para ser uma abertura para a luz. Mas esta é uma experiência muito intensa, porque a parte que morre não quer morrer – ela deseja persistir… e resiste.

Peço-lhe que traga à mente a sua parte que é oposta à sua luz e contra a luz em geral, contra a luz do cosmos que deseja fluir através de você. Algo dentro de você deseja proteger-se contra essa possibilidade; então sinta, se puder, a hesitação, quando lhe peço para imaginar a luz fluindo através de você com muita facilidade e livremente, através de todas as partes do seu corpo e para fora, para todo o mundo. O que esta imagem invoca em você? Você pode aceitar esta possibilidade? Você sente que isto é possível? Ou existe algo em você que deseja se proteger, se defender? Se for este o caso, olhe para esta sua parte protetora e veja-a diante de si como um guardião. Pergunte a si mesmo: “Por que preciso deste escudo?” Leve a sério esta defesa, porque há algo em você que sente a necessidade de ter esta proteção. Respeite esta parte sua porque o escudo sempre tem um propósito. Ele está aí para proteger uma parte sua muito vulnerável.

Que parte sua não permitiria a luz? Que parte sua a vivencia como algo que é demais para se pedir a você, ou como uma ameaça, ou até como algo perigoso? Aproxime-se dessa sua parte gentilmente, como se ela fosse uma criança. Veja-a como uma criança que se tornou desencorajada, uma criança que voltou sua energia vital para dentro. Aproxime-se dessa criança muito delicadamente e veja o quanto ela é bonita; ela ainda irradia beleza, mesmo com essa vulnerabilidade e defensiva extremas. Ajoelhe-se diante dela e envolva-a com sua generosidade e bondade. Ajoelhe-se em carinhosa aceitação, sem querer que a criança mude, sem querer impor nada a ela. Sente-se tranquilamente, relaxadamente, com essa criança e sinta como você poderia tomar o lugar desse “escudo”. Até agora, a criança vem se sentindo protegida por essa barreira defensiva entre você e o mundo exterior, mas essa proteção é também uma barreira entre você e seus sentimentos mais profundos.

Pergunte à criança se você pode substituir o escudo. Simplesmente pergunte: “Você me permite tomar conta de você? Isto estaria bem para você?” Pergunte sincera e abertamente: “Estou protegendo-a o suficiente?” E deixe que ela fale livremente. Talvez ela diga “Não, não me sinto suficientemente segura. Estou com medo.” Pergunte-lhe, então, do que ela precisa, ou o que você pode fazer para que ela se sinta segura. Use o tempo que for necessário para fazer isto; você pode ter esta conversa com sua criança interior várias e várias vezes. Ela é um ser vivo, uma parte de você que carrega muito amor, e, portanto, tem muito amor para dar. Mas precisaria sentir-se segura na Terra, e é por isto que sua delicadeza e lealdade são necessárias.

Ao construir uma barreira defensiva, um escudo para proteger e esconder sua criança interior, você deixa de estar conscientemente conectado com ela; ela passa a ficar escondida de você. Em certos momentos da sua vida, você salta na defensiva, por exemplo, ou se fecha completamente, sem saber por que isto está acontecendo. Você pode ficar com raiva, ou frustrado, ou desanimado, ou desencorajado… Quando isto acontece é porque existem padrões reativos automáticos em ação, que se colocam entre você e sua criança interior. Ao renovar a conexão com essa criança vulnerável em seu interior, e começando a conversar com ela repetidas vezes, aos poucos você poderá encontrar uma forma de resolver esses padrões reativos automáticos – a barreira defensiva – mas isto requer paciência e delicadeza de sua parte. E também que você entenda, muito profundamente, que esta sua parte vulnerável não é nenhum obstáculo que deva ser evitado ou vencido, e que ele não deve ser eliminado.

A intenção é que você cresça por meio dessa criança, envolvendo-a com compreensão e amor, para que depois a luz Crística desperte em você. A partir desse momento, ficam para trás todas as suas ideias fixas, julgamentos e crenças, assim como o esforço e a luta incessantes por algo que você pensa que precisa. Em vez disto, surge em você uma disposição e abertura para se encontrar consigo mesmo, sempre que necessário, com atenção e admiração. Ao abandonar a certeza de que você já sabe o que precisa e o que é bom para si, você se permite surpreender-se com as respostas da sua criança interior.

Este é o seu caminho, porque a alma tem algo a aprender com a experiência humana. Às vezes você vê o céu – o mundo ao qual as almas pertencem – como um mundo perfeito, mas também um mundo do qual você foi banido. E você foi forçado a sobreviver em um mundo imperfeito e muitas vezes estranho – a Terra – onde tantas emoções o abatem; e tudo isto lhe parece um castigo. Mas o plano de onde você veio – o mundo da alma – também não é perfeito. Há algo essencial faltando lá, e é por isto que você tem sempre dado o salto de fé para a encarnação. É a própria vida – esta busca tateante, este modo intenso de experimentar, que é possível especialmente na Terra, através do qual o seu entendimento, sua paciência, percepção e compaixão tornam-se profundos e substanciais. Este é o significado espiritual da vida na Terra. Os vislumbres de perfeição que você pode vivenciar aqui – muitas vezes em momentos de simplicidade, ou através de insights, ou de alguma experiência de puro contentamento e beleza – esses vislumbres têm mais peso e valor do que simplesmente manter-se em estado de euforia durante anos nos reinos celestes.

Certamente é maravilhoso estar numa atmosfera de harmonia, com menos resistência e menos altos e baixos; e você anseia por isto. Mas não negue a beleza e o profundo valor espiritual da vida na Terra, em tudo o que você está passando agora. Leve a experiência, a sabedoria e os avanços, que você vivencia aqui, para os reinos de luz, e esses reinos adquirirão mais substância e vivacidade com isso. Existe uma interação constante entre o plano da Terra e os planos “do outro lado”. Aprecie sua própria vida e considere-a valiosa. Você é corajoso; você age com força e poder; portanto reconheça sua própria luz.

Gosto muito de nossas reuniões aqui. Quando estou aqui, embora não esteja em um corpo físico, torno-me humano, de uma certa forma, e me lembro de como é ser um humano. Sim, existem os pesos, mas há também momentos de leveza, amizade e solidariedade, que tocam a alma muito profundamente. Os laços de amizade, construídos aqui na Terra, permanecem com a alma e continuam fazendo seu trabalho para sempre – tão preciosa é a vida na Terra!

Agradeço a todos por estarmos juntos e saúdo cada um de vocês de coração.
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: © Pamela Kribbe
http://www.jeshua.net/mornings/mornings19.htm

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br