QUANDO OS BUSCADORES TORNAM-SE DESCOBRIDORES

image

Por Alan Cohen
10 de junho de 2017  

Todas as manhãs depois de caminhar com nossos cachorros, dois deles perseguem-se ao redor da mesa. É bastante divertido observar esses espíritos exuberantes provocando um ao outro, latindo e correndo em círculos. O pequeno se mantém um pouco à frente do maior na perseguição. Então pára e ele o alcança. Os dois permanecem por um momento com um olhar como, “Agora, o que fazemos?” – Então o cachorrinho corre na direção oposta e o outro volta à perseguição.

Observando-os, ocorreu-me que a diversão deles está na perseguição. Uma vez que a perseguição acabou, a brincadeira termina. Então, para manter a ação viva, eles devem começar a perseguição novamente. Se isso parece familiar, é.

Nós, humanos, somos de muitas maneiras, como aqueles cães. Nós prosperamos no esforço, na busca, na tentativa e no anseio. Quando conseguimos o que queremos, ficamos satisfeitos por um momento, mas depois seguimos para a próxima perseguição. E o jogo continua.

Alguns de nós perseguimos por tanto tempo que desenvolvemos identidades como buscadoras. Buscamos mais coisas do que as encontramos. Você pode até se orgulhar de se proclamar um Buscador Espiritual. Mas você já pensou em proclamar-se um Descobridor Espiritual? Como o seu mundo mudará se você começar a encontrar/descobrir mais do que procura?

No filme inteligente e divertido Princess Bride, encontramos Inigo Montoya, que está em uma missão vitalícia para vingar a morte de seu pai, que foi morto há muitos anos. Inigo constantemente revolve sua espada, praticando sua declaração de vingança: “Meu nome é Inigo Montoya. Você matou meu pai. Prepare-se para morrer.”Finalmente, Inigo apanha o assassino.

Depois, seu amigo pergunta:” Inigo, agora que você vingou a morte de seu pai, o que você vai fazer? ” – Inigo responde: “Estive ocupado com a vingança por tanto tempo que não sei o que faria sem ela”.

Essa é precisamente a situação em que muitos de nós nos encontramos. Estamos ocupados na Busca há tanto tempo que não saberíamos o que fazer se encontrássemos.

Nós mantivemos pensamentos de falta tão consistentemente que, quando a Abundância aparece, não sabemos como aceitá-la. Nos sentimos frequentemente tão atrapalhados, que ficamos com dificuldades com a liberdade quando nos é oferecida. Nós procuramos um parceiro tão arduamente que realmente não acreditamos que esteja lá fora, e se ele ou ela aparece, nós duvidamos que essa pessoa seja real.

Tal posição nos leva a reexaminar, desafiar e crescer além das antigas crenças que nos mantiveram pequenos.

A falta, a dor e a solidão são flechas que nos mostram pensamentos falsos sobre nós mesmos e a vida que nos impede de ter o que queremos.

Ao invés de simples comportamentos contínuos que não funcionam, devemos estar dispostos a nos ver de forma diferente e a Receber o que mantivemos à distância.

SIMPLIFICANDO, ESTAMOS SENDO CHAMADOS A DEIXAR A VIDA NOS AMAR.

A maneira mais rápida e fácil de satisfazer suas necessidades agora é mudar sua visão. Cultive sua capacidade de encontrar Amor, Beleza, Saúde, Sucesso, Paz e Abundância exatamente onde você está.

Não espere que as condições mudem para que você tenha o suficiente. Reivindique o suficiente aqui mesmo, e o suficiente expandirá para o excedente.

Muitos anos atrás, eu estava jantando com o Dr. Wayne Dyer quando o assunto chegou ao dinheiro. Wayne disse com indiferença: “Eu tenho dinheiro suficiente. Eu não preciso mais. “Ouvindo isso, pensei ciumentamente, -” Claro que você tem. Você faz vinte mil dólares por uma palestra.”

Então percebi que uma ensinança mais profunda era oferecida. Wayne tem dinheiro suficiente porque decidiu que o que ele tinha era suficiente. Você e eu conhecemos pessoas que têm muito mais dinheiro do que Wayne Dyer, e nunca têm o suficiente. Elas sempre estão preocupadas em proteger seus ativos e obter mais.

Também conhecemos outras pessoas que têm muito pouco, e estão crescendo em contentamento e Alegria.

Por isso, a descoberta é menos sobre como obter e mais sobre saber.

Um amigo me disse: “Eu costumava pensar que eu era um perfeccionista porque achava pequenas falhas em tudo o que via. Agora percebo que sou realmente um não perfeccionista porque me concentro na imperfeição. Se eu fosse um perfeccionista, encontraria perfeição em todos os lugares que eu olhava, não imperfeição “.

Este mês, convido você a se tornar um verdadeiro Perfeccionista ao encontrar a Perfeição.

Procure a Beleza e não a feiúra; Amor em vez de alienação; O Todo em vez da ruptura.

Você pode se surpreender ao descobrir que o que você estava procurando já estava aqui o tempo todo.

Talvez James Allen tenha dito melhor: “Dois homens olharam pelas barras da prisão. Um viu lama; o outro, as estrelas “.

-…..—==I.=|=|..|=|=.I==—-…..-

Direitos Autorais: © 2016 Alan Cohen Publications – http://www.alancohen.com – Alan Cohen é o autor de muitos livros de inspiração popular, incluindo o apenas devolvido Enough Ya: The Power of Radical Contentment.
https://www.lovehaswon.org/love-blogs/when-seekers-become-finders

Tradução: Vilma Capuano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s