O ANCORAMENTO INTERIOR E O MOVIMENTO COLETIVO

image

Mensagem de Maha Chohan
Canais: Michele Martini e Thiago Strapasson
13 de abril de 2017
 

Recomendamos ler ao som de: Homing
https://www.youtube.com/watch?v=ViHmTXAKPrg
 
 

Filhos da verdade e da manifestação da paz no planeta.

A partir do momento em que atingem o estágio de irradiação de equilíbrio, perante de todas as adversidades que são colocadas diante de vocês, passam a compreender o que é o estado de plenitude alcançado com a maestria. Nesse ponto, começam a perceber as nuances coletivas, e sentem como elas influenciam em suas vidas.

Estar imerso na consciência coletiva, filhos, é como estar no mar, em meio às ondas. Elas os levam e depois os puxam. Assim é o coletivo, feito de ciclos. E na medida que expandem a consciência, se tornam mais fortes como se fossem um mastro em meio ao mar revolto, parados em equilíbrio, pois percebem a influência do todo em vocês mesmos e são capazes, através da meditação e do ancoramento no coração, de permanecerem em paz. Esse é um estado daquele ser que é iniciado na plenitude da vida, o estado do equilíbrio e da atenção quanto àquilo que sente, em detrimento das ondas que estão a os levar.

Vocês percebem o momento em que devem se recolher para o seu próprio interior, a buscar a verdade e a paz, a qual nunca será condizente com o meio externo, pois vocês estão aqui como viajantes longe do lar, que é a morada do coração. Estão imersos em experiências físicas, por vezes densas e que dão a possibilidade de conquistar mais sabedoria, ainda que através do sofrimento. Aquele sofrimento que vocês são capazes de transmutar em amor, e que não permitem mais que faça parte das suas vidas, pois em um devido estágio, percebem que toda a forma de sofrimento é apenas uma ilusão.

Nesse estágio vocês estão sempre a buscar o equilíbrio, reparam a vibração de seus corpos que se manifestam em ansiedade, que se recolhe em timidez, que deseja solidão, ou que quer confraternizar. Mas começam a perceber que esse não é o estado natural de vocês. Estão a se permitir serem influenciados pelo coletivo, pelo todo, pela unidade. Nesse estado de plenitude, vocês já são capazes de manter sua própria vibração, pois começaram a se conhecer, e já sabem distinguir aquilo que é o anseio exterior da vontade do coração. Vocês se mantêm no centro, e não se permitem mais caminhar nessas ondas. Aquele que se conhece, é capaz de estar em unidade sem perder a sua essência, pois já possui consciência do que é.

O olhar amoroso e compassivo diante dos seus irmãos, mesmo diante das atrocidades observadas na caminhada de cada um, e também diante das belezas da vida, acaba por não causar mais nenhum tipo de reação. Vocês permanecem inseridos na própria verdade e luz interior de forma equilibrada, não se permitindo entrar na onda energética vivenciada por qualquer um que entre em contato com vocês.

É um estado que, ao menor deslize, vocês respiram, param, e simplesmente se buscam novamente. E então se tornam a própria paz, porque o estado fora de si mesmos, da essência, já os incomoda, e então são capazes de permanecer nesse ancoramento interior, irradiando a sua essência ao mundo, enquanto todos continuam a serem levados pelas ondas da vida.

Para isso, filhos, muitas vezes é necessário se retirarem para um momento de paz e meditação. A buscar a verdade interior, quando as emoções da matéria que os rodeiam já estão além do que seria uma vida de paz e equilíbrio. Percebe-se que se iniciam os excessos de todas as formas, e logo vem o desejo de se isolarem de tudo. Mas aquele que tem a maestria da vida, já é capaz de buscar a sua paz nesse estado, porque conhece a sua própria vibração, sente a alteração de sua assinatura energética, seja por qual causa for, pelas suas emoções que exacerbam, ou pelo externo que o provoca.

As pessoas que já não buscam o silêncio, mas sim a extroversão, de forma a se deixarem levar pela onda energética do momento, que se intensifica nas datas comemorativas, onde há uma grande forma energética que paira sobre a humanidade, e que leva a todos a serem vítimas de suas próprias mentes escravizadas do sistema. E é onde vocês se percebem gastando além do que seria necessário para que sejam felizes, onde consomem alimentos e bebidas em excesso, apenas para que pertençam àquele meio.

Essas ondas energéticas que se desdobram em ansiedade, na sensação de que muito está pendente a ser resolvido, de que é necessário novamente tomar a frente para que tudo caminhe. É isso que as ondas coletivas fazem com vocês, quando ainda não se observam com maestria.

Reparem amados, que a natureza tem ciclos lunares, ciclos energéticos de alternância de temperatura, épocas de chuvas mais intensas e de estiagem. Mas a natureza é una com esses ciclos, pois eles a renovam, revigoram, fazem-na morrer para renascer, mas ela permanece no equilíbrio da vida em sua sabedoria, renovando-se, renascendo, sabendo que depois da estiagem haverá a chuva, que depois do frio virá o sol. A natureza é paciente com os seus ciclos, pois assim é Deus, e assim devem ser vocês, conhecedores dos ciclos da vida, observadores das ondas energéticas da realidade que se inserem, daqueles que já não permitem se levar como antes, pois se conhecem.

Mas inconscientemente se deixam levar pela forma pensamento da grande massa que está ali, atuante e presente nas suas vidas, justamente por ainda fazerem parte das suas experiências como encarnados nesse planeta, e parte também desse sistema, que é a malha energética planetária. A malha se movimenta, em ondas, mas isso ocorre porque vocês não vigiam a si mesmos, não se observam, andam nessa massa, acabam sendo conduzidos pelas ondas.

Isso, nobres irmãos, reflete-se em seus sentimentos, em suas emoções, quando se permitem serem conduzidos pelos eventos que permeiam toda a humanidade.

Então, passem a reparar os ciclos de agitação, de interiorização, de revolta, os ciclos que envolvem a todos ao seu redor. Vocês se tornam os observadores. E sintam como os seus corpos respondem, quando eles disserem que aquela vibração já destoa do seu estado de paz, é a hora do recolhimento e da meditação, para que se busquem novamente.

Vocês manifestam os comportamentos que são ativados por essa forma pensamento coletiva de várias formas, como exemplifiquei acima, mas todas elas puxam vocês a saírem do seu centro de paz e equilíbrio, criando ilusões justamente nos seus pontos de superação, alguns em relação à excessos de alimentação, outros de doenças, outros de vícios, como o auto julgamento, os gastos excessivos, e todos os tipos de sentimentos que estão enraizados em seus registros e que até esse momento estariam superados, mas que nessas épocas são expostos de forma que vocês acabam cedendo, e se distanciando da sua essência novamente.

Vocês, nesses períodos, podem optar por meditar, em permanecerem silenciados dentro de si mesmos, e a serem os agentes que trarão o equilíbrio para esse descontrole momentâneo do coletivo. Quando vocês se tornam a paz, tornam-se o ponto de referência, aqueles que destoam da onda, o mastro de apoio, para que outros se fixem em sua imagem e percebam como estão fixos diante das ondas.

Pois, meus irmãos, quando não temos um ponto de referência, não percebemos o deslocamento. Mas aqueles que estão fortes, suficientemente ancorados como um mastro, são justamente os que se tornam o ponto de equilíbrio, a mostrar a todos que a onda está a os levar. E para isso, basta que se mantenham eretos em sua própria posição energética, que outros o tomarão como o ponto de referência, a se manterem firmes em sua vibração também.

Vocês permanecem centrados nas suas próprias verdades quando passam a olhar para dentro de vocês mesmos, e então percebem que não ressoam com os impulsos que os outros são levados e que, diante dessa perspectiva, passam a ser apenas os observadores do desequilíbrio externo, mas que não atinge vocês, pois estão atentos e conectados com as suas próprias verdades.

Atentem-se filhos, nessas épocas comemorativas, a manter o próprio equilíbrio, permanecendo centrados nas suas próprias verdades, e então verão como, no final dessa fase, estarão mais fortes e sábios, a superar mais um grande desafio que assola tanto a humanidade, que é a conexão com as formas pensamento coletivas.

Estejam ancorados nessa paz interior.

Maha Chohan
 
-…..—==II==—-…..-
 
Direitos Autorais: Canais: Michele Martini e Thiago Strapasson
Fonte: http://www.pazetransformação.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s