LEMBRAR-SE DA SINFONIA DOS REINOS SUPERIORES DE ILUMINAÇÃO

image

AS ENERGIAS DE MARÇO DE 2017

Natalia Alba

 
Meus amados,
 
Em um ano em que o elemento fogo reina em nossos céus, damos boas-vindas a um dos meses mais mágicos do ano, um mês regido pelo elemento água e sua frequência mutável/yin. Uma etapa na qual somos ainda acompanhados pelas frequências dos eclipses, cujos efeitos durarão pelo menos por seis meses, e que provocarão um tremendo impacto liberador no coletivo.
 
Um mês em que estamos acessando uma nova e mais elevada versão de nós mesmos, enquanto simultaneamente descartamos o que não serve mais à vontade do nosso eu divino. Nessa fase intensa nos encontramos acolhendo uma oitava superior do amor divino, da compreensão mais elevada do papel exclusivo de nossa alma na Terra, e um sentimento de unidade, que decidimos manter, como nossa nova maneira de SER.
 
Este é um mês que marcará um ponto chave em nosso Planeta, porque o coletivo está enfrentando um despertar cósmico, enquanto somos banhados pelas energias piscianas, que nos ajudam a libertar nossa personalidade programada tridimensional, ao mesmo tempo em que conscientemente adotamos uma versão mais elevada de nós mesmos.
 
Para as almas ascendentes, esta será um etapa muito importante e intensa, porque estamos começando a nos lembrar da sinfonia dos Reinos Superiores de Iluminação, à medida que continuamos fazendo descer mais luz de nossa Presença EU SOU, e entramos em ressonância mais íntima, em frequência, com a nossa verdadeira essência e nossos companheiros estelares.
 
Este é um mês ocupado em nossos céus, por isso vamos imaginar o que está acontecendo – internamente – nos vindouros alinhamentos macro que vão nos ajudar na aceleração do nosso processo de liberação.
 
Pessoalmente, sinto que este mês – e o que o meu Eu Unificado (Mônada) me disse – está funcionando como um enorme portal, em que finalmente decidimos, por pura intenção, servir somente à Lei do Um e estar a serviço do Todo. Visto que estamos deixando para trás a Era de Peixes, de limitação e autossacrifício, por escolha consciente em desfazer nossa mente tridimensional programada e começar a plantar as sementes – as fortes bases – do que serão nossas novas vidas.
 
Este é um mês de transformações profundas. Uma etapa em que estamos profundamente imersos no domínio pisciano de uma visão mais elevada, navegando por diferentes dimensões, até obtermos a clareza do que deve ser desfeito e do que vale a pena prosseguir.
 
Como uma confirmação da ressurreição, e do consequente aumento do que estamos experimentando, internamente, é a frequência universal do número13 que esse novo mês de março detém.
 
13 é o número da transformação e do renascimento, que é representado pela carta da morte, no tarô, o período entre os mundos, em que ainda estamos fazendo nascer algo novo, mas não é – ainda – o tempo apropriado para trazê-lo à luz, exatamente o processo interno/externo que estamos enfrentando desde que os eclipses começaram e que culminaram com o equinócio.
 
Após o término de uma etapa de transição, passamos a ancorar essas mudanças internas no físico, que é também a mesma mensagem que o número 4 (número 13 reduzido) nos dá, neste momento, e que os meses seguintes confirmarão, estabelecendo fortes fundações em nossas vidas terrenas, e nos lembrando de que não podemos viver somente de meros sonhos, que residem em nosso plano etéreo, mas que estamos também aqui para dominar a arte de trazê-los para a matéria física.
 
O número 13 e 4 representam as polaridades yin/feminina e yang/masculina em perfeita unidade e equilíbrio, que é a etapa que estamos alcançando nesta época do ano, principalmente com a chegada do equinócio.
 
Ambos os números são um lembrete perfeito, para nós, de que não existe um ponto linear e fixo, em que as coisas e as experiência da vida terminam para começar novamente, mas sempre é uma espiral em movimento infinito de transformação, em que os novos começos e fins estão ligados e acontecendo simultaneamente.
 
Nosso principal alvo é trazer o que criamos internamente para uma existência tangível – dominando a alquimia e o processo da criação consciente, para finalmente encantar a fisicalidade de nossas visões interiores, no externo.
 
Sob uma perspectiva física, muitos dentre vocês estão enfrentando mudanças em seus veículos físicos, à medida que continuam a liberar e transmutar toda a densidade em sua verdadeira essência cristalina. Esse é um longo processo, mas todos sabemos que vimos aqui para purificar, reconectar nossas faixas de DNA perdidas e dominar nossos corpos no plano físico.
 
Haverá determinadas sensações em sua coluna, uma vez que é um dos primeiros lugares em que começamos a sentir as mudanças ocorrerem, assim como a reconfiguração total de determinados ossos em nosso crânio e no sistema ósseo em geral, entre muitas outras, porque somos únicos e há certas partes de nossos corpos que precisam de mais liberação do que outras.
 
Não se enganem. O aspecto individualizado da Fonte – encarnado na Terra – que vocês são, está aqui por escolha consciente, sabendo, quer se lembrem disso, quer não, das muitas mudanças que esta jornada trará. Nada é por acaso em nossa realidade. Não existe casualidade – nas situações ou nos seres que tocam a sua vida – porque tudo está perfeitamente orquestrado por Vocês, quando residem em um plano anímico – em um espaço de conscientização total e Unidade Com Tudo.
 
Consequentemente, é quando estão sentindo dor, física ou internamente, que vocês experimentam esse processo natural de transformar o seu corpo em pura essência cristalina, que é o nosso estado natural de ser.
 
Lembrem-se, vocês escolheram estar aqui neste intenso momento da Criação. Era sua intenção experimentar esta transformação física, sabendo que, para começar, vocês contaram com a força e a orientação divinas necessárias – para superar qualquer coisa que possa vir a desafiar o poderoso e soberano ser que vocês são.
 
Desde uma perspectiva cósmica, começamos o mês tendo o Sol junto com Netuno, Quíron e Mercúrio no signo de água, de Peixes, e a oposição entre Júpiter e Urano. Mercúrio em Peixes estará exaltado, a comunicação com os reinos internos/superiores fluirá e sentiremos profundamente essa onda criativa e inovadora que Mercúrio, junto com o restante dos Planetas neste mesmo signo trazem.
 
Vai ser um grande momento para cultivar nossa conexão divina e interromper outros ruídos que possam nos confundir e impedir que recebamos plenamente toda a orientação – de que precisamos – bem como canalizar todos os dons que devem ser compartilhados com o mundo.
 
Por outro lado, a oposição entre Júpiter e Urano reforça as mudanças que estão ocorrendo neste momento no Planeta, principalmente no coletivo e seu desejo interno por liberdade pessoal, que, embora possa parecer caótico, é na verdade uma total reorganização do velho para uma nova forma de existir.
 
Júpiter expande o que Urano luta contra, libertando o que está impedindo o seu fluxo natural e desejo de embarcar para novos horizontes, mesmo que não sejam familiares. Porque ele sabe que o desconhecido será finalmente conhecido, até que mudemos outra vez e acolhamos uma nova realidade, porque esse é o meio e sempre será, até um mundo sem fim – um constante acolhimento de novos começos, que, embora desconhecidos para o nosso eu inferior, são lembrados por nossa alma e sua natural necessidade de habitar na familiaridade do que é divino em essência.
 
Em 4 de março, o planeta do amor e da abundância ficará retrógrado, no signo de Áries, até o dia 15 de abril. Conforme vocês já sabem, o meu ponto de vista sobre planetas retrógrados difere claramente dos demais, que veem isso como algo tumultuoso, originando-se de fora, que joga conosco e decide se experimentamos sorte e amor ou não.
 
Para mim, não há nada retrógrado na Criação, porque a única coisa que existe, e que sempre existiu, é uma expansão infinita dentro de novas camadas dessa espiral eterna em que todos nós navegamos.
 
Quando nossa visão limitada de um planeta, percebe Vênus, ou qualquer outro planeta, sendo retrógrado, somos convidados a nos voltar para dentro e imaginar que aspectos nossos não estamos trazendo para a unidade.
 
Visto que Vênus está habitando no ígneo Áries, é uma mensagem para que aguardemos, até que recuperemos uma visão mais elevada do que está precisando ser transformado, antes de utilizar nossa força criativa interna e o desejo apaixonado em nosso plano tangível.
 
Vênus representa o nosso aspecto micro que tem a ver com a nossa sensação de abundância e amor, em relação a nós mesmos e ao Todo. Estou ainda surpresa que alguns astrólogos nos dizem que, enquanto Vênus está retrógrado, dar e receber amor será difícil. Digo isso com grande amor e respeito a todos que se dedicam a compartilhar seus corações.
 
Mas, Vênus, sob a minha humilde visão, está também ascendendo nesta espiral divina da Criação. Vênus representa amor e abundância, o que fazemos com essa força – que também reside em nós – é nossa escolha pessoal.
 
Vênus, assim como qualquer outro planeta, não nos causará qualquer dano, sua essência simplesmente é, somos nós que fazemos interpretações, cedendo nosso poder a essas forças macro, que estão comungando conosco nesta jornada evolutiva para continuar descobrindo nossa Verdadeira Essência.
 
Vênus é sempre amor, sempre abundância, a pergunta é: Vocês são? Vocês ainda estão esperando que os outros ou os recursos externos preencham suas necessidades humanas básicas? Vocês estão esperando que alguém ou alguma coisa de fora preencha seus espaços vazios, devido a sua falta de amor próprio?
 
Quando Vênus habita em Áries, também nos pede para ver se somos sociais apenas por mera alegria de compartilhar nosso amor e trocar nossas experiências com os outros, ou se estamos ainda nos socializando simplesmente porque tememos ficar sozinhos e queremos que os outros nos deem a atenção que não nos damos.
 
A autoconsciência é onde tudo começa, porque é quando nos observamos e encontramos os muros internos que criamos para impedir o próprio bem-estar, que também encontramos a força para mudar o que separamos internamente.
 
Para estabelecer um equilíbrio entre nos voltar para dentro e agir, temos a poderosa frequência do guerreiro, Marte, saindo de Áries e entrando no signo terreno de Touro, no dia 9 de março. Enquanto passamos para a manifestação de nossas criações interiores, assim como os planetas, em uma eterna dança de unicidade conosco.
 
Marte representa nossa força interna. É a energia que possuímos internamente, que vem direto do divino e de nosso Sol Central, que nos dá o vigor para agir com paixão e alegria.
 
Podemos canalizar esse potente influxo de energia para a criação daquilo que vai servir a nossa jornada no físico – novos projetos direcionados para nos ajudar a crescer e a expandir-nos em nossas novas experiências da vida, bem como os demais, e começando a construir as novas bases para as sementes que logo, em maio, estamos prestes a plantar.
 
Enquanto mergulhamos profundamente em um dos mais etéreos signos de todos, no dia 12 de março, teremos a Lua Cheia no grau 22 de Virgem.
 
Virgem principalmente neste momento pisciano, nos faz recordar de que estamos aqui para deixar brilhar a centelha que somos no físico, não é apenas acerca de construir o etéreo sem dar-lhe forma, lembrando de que nossa tarefa é fazer descer todos os mundos internos, que demos à luz, para nossas vidas, e não somente permanecer no ar, vivendo de meras ilusões e sonhos.
 
Essa Lua nos trará energias tranquilizadoras no tumulto dos eclipses, principalmente porque Quíron, o curador cósmico, como eu o chamo, está extremamente envolvido nesta Lua. Assim, essa é uma Lua para suavizar, acolher e acima de tudo, nos purificar – e os nossos corpos – de todas as energias que estão sendo integradas e de todas as coisas que estão, ao mesmo tempo, sendo liberadas, e sendo acolhidas constantemente.
 
Lembrem-se, vocês são o que colocam em seus pensamentos e em seu corpo. Vocês o alimentam com amor, luz e cuidado? Ou vocês ainda o usam como um meio de satisfazer seus desejos inferiores, sem se importar com as consequências? É um bom momento para honrar o nosso veículo humano, porque ele está nos permitindo experimentar o reino físico com todos os sentidos.
 
Os virginianos gostam de preservar o seu senso prático e racional da vida, que lhes dá a firmeza necessária para encarar a vida conforme ela é. A Lua Cheia em Virgem também nos oferece um senso de dever, um lembrete de nossa missão exclusiva na Terra.
 
E, enquanto Peixes nos convida a olhar internamente e reconhecer que todos pertencemos à mesma Fonte de Amor Divino, Virgem, em vez disso, quer nos lembrar de que, mesmo que sejamos todos Um na Criação, vimos aqui com uma missão individual e única para desenvolver, e que é nossa responsabilidade cumpri-la, e que também necessita de nossa atenção consciente.
 
A última parte deste mês será regido pelo elemento fogo, com o Sol entrando em Áries, no dia 20 de março, junto com Vênus e Mercúrio já nesse mesmo signo, desde 13 de março. Nesse mesmo dia, também celebramos o portal do equinócio da primavera/outono e o Ano Novo Astrológico. Essas energias ardentes vão culminar no dia 27 de março, com uma maravilhosa Lua Nova, no grau 7 de Áries.
 
Com Peixes, saímos da roda do carma por sermos purificados do velho e por termos aprendido nossas lições. Com Áries, começamos a dominar nosso eu humano em um reino físico – iniciando-nos nessa espiral evolutiva infinita. Podemos nos sentir impetuosos, saindo de nosso casulo protetor, reconfortante e intuitivo de Peixes para o nosso plano tangível neste momento.
 
Mas, se lembrem de que estamos aqui para trazer todas essas visões interiores, tudo o que dominamos internamente, para nosso reino terreno. Esse é o modo que o cosmos tem de confirmar que chegou o momento de utilizar essa nova etapa, que estamos prestes a dar as boas-vindas, com alegria e gratidão, para que todas as nossas criações internas comecem a florescer.
 
Estamos ainda imersos em um imenso portal cósmico mesmo antes do primeiro eclipse de fevereiro. E vamos continuar a nossa jornada nele após o equinócio de março. Esse é o momento de ir além de nosso sentido humano de polaridade, porque já vimos trabalhando por muito tempo na integração da polaridade – passando de condições externas para um estado de ser que transcende o tempo e o espaço.
 
A Lua Nova de Áries, do dia 27 de março, ativa todos os inícios que estão acontecendo internamente e que não se completarão, se não os ancorarmos em nossas vidas. O catalisador, que permite que o desconhecido entre em nossas vidas, com plena fé no divino, em vez de ficarmos apegados a um determinado resultado. Essa Lua Nova também nos ajudará a recuperar a confiança em nosso caminho, e na força para agir, relacionada com as visões de nossa alma.
 
Essa Lua reacende o fogo em nós, para que iniciemos todas as mudanças necessárias, a fim de refazer a nossa realidade física, assim como para avaliar, a partir de uma perspectiva mais ampla, os relacionamentos que mantemos nessa nova etapa de nossas vidas.
 
É essencial nos permitir estar no momento, e sentir o regozijo e o amor desse poderoso e ardente influxo, e direcioná-lo para cocriar com as almas, que nos acompanham neste momento, usufruindo a dádiva de sua presença e de tudo o que elas têm para oferecer, em vez de perder a pureza do momento, apenas porque tendemos a estar constantemente buscando “alguém” que pensamos que está destinado a trilhar este caminho conosco, visto que esse é sempre quem nos faz ativar e incorporar os nossos novos aspectos.
 
O Universo sempre ilumina o caminho. Apenas temos que saber olhar entre todas as sombras que o nosso eu humano tende a projetar e nos livrar das velhas cargas, enquanto estamos no processo de plantar novas sementes. Confiar que estamos sempre sendo apoiados e amados imensuravelmente por este Universo amoroso, e que todos os desejos de nossa alma vão florescer e se expandir no tempo divino para Todos.
 
Encerramos o mês com Júpiter em quadratura com Saturno, no dia 30 de março, e com Mercúrio entrando em Touro, no dia 31. Com o mensageiro alado em Touro, passamos de um plano mental para o nosso plano terreno. Mercúrio, que rege Virgem, em Touro, nos pede para aprofundar-nos em nossas questões de amor próprio, bem em como valores.
 
Estamos amando, respeitando e honrando a nós mesmos? Ou estamos ainda criando a separação interna e culpando as condições externas e a falta de abundância, devido ao resultado que inconscientemente criamos?
 
Tudo aquilo que nos sustenta, nos dá prazer para o que compartilhamos e damos de nossos corações, deve ser observado neste momento, porque não podemos dar ou esperar receber, se primeiramente não formos nossos cuidadores e doadores, tratando-nos com amor incondicional, respeito e compaixão.
 
Por outro lado, Júpiter, fazendo quadratura com Plutão, expande a energia plutoniana, dando-nos o poder de regenerar tudo o que deve ser destruído e transformado pelo poder pessoal. A transformação não é o mesmo que a mudança, porque a mudança implica em atrair novas coisas/pessoas da mesma frequência que possuímos.
 
Ao contrário, a transformação significa mudar nossa frequência interior para poder incorporar um aspecto nosso mais elevado, para poder atrair novas situações e pessoas com uma frequência totalmente diferente daquela que costumávamos manter – o que inclui experiências de vida e encontros de alma que não foram vistos ou vivenciados antes.
 
Esse é o lugar em que estamos no momento. Queimando velhas pontes, que ainda nos conectam à frequência que mantivemos anteriormente, à medida que emergimos de nosso casulo em belas borboletas.
 
Esse é o lugar em que o coletivo também se encontra, porque todo esse caos não é nada senão o que eles estão sentindo internamente, o desejo da alma de liberar uma frequência antiga e libertar-se de todas as formas de ilusão humana, e começar a fazer descer a Verdade da sua existência e propósito aqui da própria Presença EU SOU.
 
Este mês amoroso e mágico é um dos mais intensos, mas, ao mesmo tempo, é o limiar que temos que atravessar para começar o nosso caminho consciente neste Novo Ciclo, em que nada permanece igual, porque quanto mais ascendemos, mais essa mudança se torna nossa aliada, apenas tendo nossa bússola interna para navegar através de nossa realidade.
 
Março é um período para habitar na Unicidade, conforme Peixes nos faz lembrar, ao terminar uma velha Era de se estar imerso na ilusão humana, para começar um Novo Ciclo de Luz, em uma oitava superior de amor, com base na autenticidade e em uma conexão mais elevada com o nosso Eu Unificado, e com outros planos da existência.
 
Peixes nos ensinou o que o amor divino e a compaixão verdadeiramente significavam, enquanto aprendíamos nossas lições “cármicas”.
 
Agora, estamos finalmente prontos para atravessar os véus da ilusão humana, que, certa vez, serviram ao nosso propósito para lembrar e começar a escutar os sussurros dos Reinos Superiores da Iluminação, das profundezas de nosso ser, chamando-nos de volta ao Lar, enquanto continuamos nos lembrando de nosso verdadeiro legado e propósito divinos, que são sempre de reconhecimento próprio em todas as coisas/seres na Criação.
 
À medida que continuamos a liberar mais as camadas do velho e enquanto continuamos a fundir-nos com os aspectos mais elevados de nossa Verdadeira Essência, lembrem-se de permanecer sempre na Presença Iluminadora da sua Alma, amados.
 
Desejo a todos vocês um mês de março mágico, repleto de muitos milagres, amor e alegria!
 
P.S. – O título deste post, assim como algumas informações que eu compartilho nele, me foram dadas pelos Arturianos – seres maravilhosos com quem eu tenho a dádiva divina de trabalhar no momento – quando acordei alguns dias atrás. Eles compartilharam o título que representa a essência do que este mês traz, e o que algumas das almas ascendentes estão começando a experimentar, por escolha consciente. Pois estamos nos alinhando com os Reinos Superiores e sua Divina Sabedoria, visto que vimos trabalhando na cura e na elevação de nossa frequência por muito tempo, e estamos prontos para acessar um novo modo de Ser.
 
Esta é uma etapa fundamental para aqueles que estão prontos para fazer descer mais informações dos seus Eus Unificados, Companheiros Estelares e Guias. Apenas se lembrem de que estamos em cocriação com esses seres, eles nos ajudam a nos lembrar, eles não fazem nada por nós. Visto que já somos mestres de nossa jornada humana, lembrando-nos de que nossa principal Fonte de Sabedoria permanece internamente.
 
Com amor e luz infinitamente.
 
Natalia Alba
 
Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Direitos Autorais: Natalia Alba – http://www.starseedsoul.com/

Tradução de Ivete Brito – adavai@me.com  – http://www.adavai.wordpress.com

Fonte: http://www.decoracaoacoracao.blog.br/2017/03/as-energias-de-marco-d…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s